Krystal não gostava dos muçulmanos, mas apaixonou-se por um afegão

e | 9 Jan 2019 | Boas Notícias

Foto © Krystal Ashley/Daily Mail.

 

Krystal Ashley tem 30 anos e nasceu nos Estados Unidos. Católica desde pequena, foi criada no seio de uma família muito tradicionalista, algo que a tornou muito intolerante ao islão, especialmente após os atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos.

A sua intolerância começou a vergar quando entrou para a faculdade, algo que ela atribuí a uma aula que teve sobre religiões no mundo. Mas foi ao apaixonar-se por um refugiado afegão que a sua perspetiva de vida mudou drasticamente, como a própria contou ao Daily Mail.

Em Junho de 2016, a professora do estado da Virgínia estava em Paris a trabalhar numa organização sem-fins lucrativos, quando conheceu o muçulmano Rayi Khan, de 31 anos, num jogo de futebol: “Depois dos atentados fiz parte da onda anti-islão que estava a varrer os Estados Unidos. Nunca nos meus sonhos pensei que iria apaixonar-me por alguém do Afeganistão.”

O jovem tinha fugido de Kabul em 2012, por ter sido ameaçado por talibãs, o mesmo grupo responsável por assassinar os seus pais: “Eu tinha uma boa vida no Afeganistão mas, como tive tantos problemas com os talibãs, tive que deixar tudo para trás.”

Para Krystal Ashley, o que a atraiu em Khan foi a sua gentileza e maneira de ser, algo que a surpreendeu. Apesar das diferenças culturais e religiosas, a professora afirma que ambos têm uma mente muito aberta, o que os permite ter muitas conversas acerca das suas crenças.

Inicialmente, o casal manteve a sua relação em segredo por causa da família cristã de Krystal e ao facto de Rayi ser casado no Afeganistão. Hoje o afegão, que foi forçado a casar aos 16 anos, ainda não contou à sua família, pois sabe que a relação não será aceite. Segundo o Código Civil do Afeganistão, a idade legal para casamento é aos 16 anos para as mulheres e 18 anos para os homens, o que anula o casamento arranjado de Rayi Khan.

O casal conta que a guerra entre as nações de ambos, os EUA e o Afeganistão, também não ajuda à percepção que as famílias poderão criar da cara-metade. Mas Krystal brinca com a situação: “Somos Romeo e Julieta da vida real.”

Não sabem o que o futuro lhes reserva no que toca a filhos e casamento, mas a norte-americana acha que as pessoas ficarão surpreendidas pela história do casal. E diz: “Espero que isto faça muita gente mudar de ideias acerca de pessoas de diferentes religiões.”

Breves

Boas notícias

Bispo nos EUA nomeia mulher leiga para liderar paróquia

Bispo nos EUA nomeia mulher leiga para liderar paróquia

A paróquia católica de Fairfield no Connecticut (EUA) terá oficialmente um novo responsável a partir de janeiro de 2019 – mas a surpresa é que o cargo será preenchido por uma mulher. Eleanor Sauers é leiga, doutorada em teologia e professora de estudos religiosos e...

É notícia 

Cultura e artes

Exaltação das comunidades errantes

Exaltation é um diamante lapidado ou um extraordinário colar que vai desfiando preciosidades raras. Desde logo, pela voz única do contratenor israelita Yaniv d’Or, de ascendência sefardita (os judeus da Península Ibérica).

Pessoas

Sete Partidas

Noruega, metáfora do futuro

 Este país do norte da Europa que, pelos mitos do frio e do escuro, pensava só se poder escolher por necessidade ou por loucura, é agora a minha casa desde há cinco anos.Recordo ainda assim que já o via de longe e o admirava pela sua verdadeira social-democracia e...

Visto e Ouvido

Agenda

Jan
21
Seg
Curso Filosofia, Literatura, Espiritualidade – 1ª sessão @ Capela do Rato (Lisboa)
Jan 21@18:15_20:00
Conversas sobre Doutrina Social da Igreja – Dignidade da Pessoa @ Instituto Universitário Justiça e Paz (Coimbra)
Jan 21@21:30_23:00
Jan
23
Qua
Curso Teórico-Prático de Introdução ao Budismo Tibetano @ Círculo do Entre-Ser (Lisboa)
Jan 23@19:00_22:30

Ver todas as datas

Entre margens

Fale connosco