Portugal tem três delegados

113 igrejas cristãs da Europa reúnem-se em Tallinn, Estónia

| 9 Jun 2023

Cartaz da assembleia CEC 2023. Foto © CEC

“Sob a bênção de Deus – moldar o futuro” será o tema da assembleia do Conselho das Igrejas Europeias. Foto © CEC.

 

Vai decorrer de 14 a 20 deste mês de junho, em Talinn, na Estónia, a assembleia geral do Conselho das Igrejas Europeias (CEC, na sigla em inglês), em torno do tema “Sob a bênção de Deus – moldar o futuro”, na qual Portugal estará representado por três delegados.

O programa deste evento quinquenal inclui como conferencistas principais Hartmut Ros, que intervirá sobre “Qual é o contexto sociológico da Europa”; Sviatlana Tsikhanouskaya, sobre “O que é que as Igrejas podem oferecer na sociedade europeia?” e Rowan Williams, que falará sobre “Como é que trabalhamos teologicamente com o nosso papel na sociedade europeia”. O patriarca ecuménico Bartolomeu responderá à questão: “Quais são as nossas tarefas ecuménicas na Europa do futuro?”.

Haverá também duas audições sobre a Ucrânia, com painéis de representantes de várias confissões cristãs daquele país e da região, o primeiro sobre “Preparar a paz: O papel das igrejas na transformação da violência”, e o segundo sobre “As igrejas como agentes de mudança na sociedade do pós-guerra”.

A Assembleia, que é organizada pelas Igrejas membros da CEC na Estónia, a Igreja Evangélica Luterana e a Igreja Ortodoxa, incluirá também uma “Assembleia da Juventude”, com jovens de diferentes partes da Europa, com 18 ou mais anos.

Portugal estará representado por três delegados de igrejas que são membros da CEC e do COPIC (Conselho de Igrejas Cristãs): o bispo Sifredo Teixeira, da Igreja Metodista, a pastora Maria Eduarda Titosse, da Igreja Presbiteriana e o Presbítero Sérgio Alves, da Igreja Lusitana – Comunhão Anglicana.

O CEC é uma associação de 113 igrejas ortodoxas, protestantes, anglicanas e católicas de toda a Europa, e de mais de 40 conselhos nacionais de igrejas e organizações em parceria. A organização, fundada em 1959, após a Segunda Guerra Mundial, afirma representar mais de 380 milhões de cidadãos europeus em todo o continente.

 

Cirilo e mais 58 pessoas impedidos de entrar na Estónia

Esta sexta-feira, 9 de junho, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Estónia, Margus Tsahkna, anunciou a proibição de entrar no país a 58 pessoas, incluindo Cirilo, o patriarca de Moscovo.

O governante invocou a cumplicidade com graves violações de direitos humanos como motivo da medida, que engloba nove pessoas que perseguiram e prenderam o defensor dos direitos humanos, Vladimir Kara-Murza, que era vice-presidente da Open Russia, uma ONG que promove a sociedade civil e a democracia na Rússia.

“O patriarca Cirilo é um dos maiores adeptos e proponentes da ideologia de Putin”, disse o ministro das Relações Exteriores, em declarações citadas pelo jornal The Baltic Times. “Já era tempo de ele entrar na lista negra, já que justificou e incentivou a guerra contra a Ucrânia”, acrescentou Tsahkna.

A Igreja Ortodoxa da Estónia, que é chefiada pelo metropolita Eugénio, dependia historicamente do Patriarcado de Moscovo e, em passado não muito longínquo, Cirilo visitou a Estónia na sua qualidade de chefe religioso. Com a eclosão da invasão da Ucrânia, em 2022, aquele metropolita viu-se obrigado a distanciar-se  das posições e das palavras de Cirilo sobre a guerra.

 

Corpo de Alexei Navalny já foi entregue à mãe

Nove dias após a sua morte numa prisão russa

Corpo de Alexei Navalny já foi entregue à mãe novidade

O corpo do líder da oposição russa, Alexei Navalny, foi entregue à sua mãe, informou ontem, sábado, Ivan Zhdanov, diretor da Fundação Anti-Corrupção de Navalny e um dos seus principais assessores na sua conta de Telegram. O responsável agradeceu a “todos” os que apelaram às autoridades russas para que devolvessem o corpo de Navalny à sua mãe, citado pela Associated Press.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bispos católicos belgas vão debater sacerdotes casados e mulheres diáconos

Como preparação para a segunda sessão do Sínodo

Bispos católicos belgas vão debater sacerdotes casados e mulheres diáconos novidade

Os bispos católicos da Bélgica enviaram às dioceses e comunidades locais do seu país uma carta no dia 16 de fevereiro sugerindo a reflexão sobre dois temas ministeriais, a ordenação sacerdotal de homens casados e a instituição de mulheres diaconisas, como forma de preparação dos trabalhos da segunda sessão do Sínodo dos Bispos, que decorrerá em Roma em outubro próximo.

Cristo Cachorro, versão 2024

Cristo Cachorro, versão 2024 novidade

Invejo de morte a paixão que os cartazes da Semana Santa de Sevilha conseguem despertar. Os sevilhanos importam-se com a sua cidade, as festas e com a imagem que o cartaz projecta, se bem que com o seu quê de possessivo, mas bem melhor que a apatia. Não fossem frases como “É absolutamente uma vergonha e uma aberração” e as missas de desagravo e o quadro cartaz deste ano teria passado ao lado.

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia Cáritas

7MARGENS antecipa estudo

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia Cáritas

Ao basear-se em inquéritos junto das famílias, as estatísticas oficiais em Portugal não captam as situações daqueles que não vivem em residências habituais, como as pessoas em situação de sem-abrigo, por exemplo. E é por isso que “subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia a Cáritas Portuguesa na introdução ao seu mais recente estudo, que será apresentado na próxima terça-feira, 27 de fevereiro, na Universidade Católica Portuguesa do Porto.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This