168 milhões de crianças sem aulas há um ano

| 3 Mar 21

educacao escola covid pandemia UNICEF_UN0423792_Chris Farber

A “sala de aula da pandemia”, com 168 cadeiras vazias, cada uma delas simbolizando um milhão de crianças que está a ficar para trás. Os mais marginalizados pagam o preço mais elevado, alerta a diretora da Unicef. Foto © UNICEF/UN0423792/Chris Farber.

A Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) estima que mais de 168 milhões de crianças em todo o mundo perderam um ano escolar inteiro devido ao encerramento continuado das suas escolas e que cerca de 214 milhões ficaram sem mais de três quartos do tempo letivo desde o início da pandemia. De acordo com o estudo divulgado nesta quarta-feira, 3 de março, os alunos latino-americanos foram os que mais sofreram com o fecho de escolas, dado que em nove países do subcontinente os estabelecimentos escolares estiveram encerrados durante um ano ou mais, afetando 98 milhões de alunos.

Em anterior publicação, a UNESCO estimava que o total de crianças afetadas por interrupções mais ou menos longas dos seus processos educativos ascende a 888 milhões.

“O fecho das escolas criou uma emergência educativa catastrófica. Cada dia que passa, as crianças impedidas de aceder ao ensino presencial ficam cada vez mais para trás, com os mais marginalizados a pagar o preço mais elevado”, afirmou a diretora executiva da Unicef, Henrietta Fore, na apresentação do estudo que recolheu dados entre 11 de março de 2020 e fevereiro de 2021. “Não podemos entrar num segundo ano em que estas crianças tenham um ensino presencial limitado, ou nulo. Nenhum esforço deve ser poupado para manter as escolas abertas, ou para lhes conceder toda a prioridade nos planos de desconfinamento”, concluiu a responsável da organização.

125 padres e católicos alemães assumem publicamente condição LGBTQI

Manifesto inédito em todo o mundo

125 padres e católicos alemães assumem publicamente condição LGBTQI novidade

Um total de 125 pessoas, incluindo vários padres, trabalhadores a tempo inteiro ou voluntários na Igreja Católica nos países de língua alemã, anunciam hoje a sua condição LGBTQI+. A iniciativa tem o título #OutInChurch. Por uma Igreja sem medo e acompanha, também, a emissão de um documentário televisivo. É a primeira vez na história, em todo o mundo, que um grupo de crentes se assume deste modo, colectivamente, na praça pública.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

A roseira que defende a vinha: ainda a eutanásia

A roseira que defende a vinha: ainda a eutanásia novidade

Há tempos, numa visita a uma adega nacional conhecida, em turismo, ouvi uma curiosa explicação da nossa guia que me relembrou imediatamente da vida de fé e das questões dos tempos modernos. Dizia-nos a guia que é hábito encontrar roseiras ao redor das vinhas como salvaguarda: quando os vitivinicultores encontravam algum tipo de doença nas roseiras, algum fungo, sabiam que era hora de proteger a vinha, de a tratar, porque a doença estava próxima.

Um caderno para imprimir e usar

Sínodo 2021-23

Um caderno para imprimir e usar

Depois de ter promovido a realização de dois inquéritos sobre o sínodo católico 2021-23, o 7MARGENS decidiu reunir o conjunto de textos publicados a esse propósito num caderno que permita uma visão abrangente e uma utilização autónoma do conjunto. A partir de agora, esse caderno está disponível em ligação própria.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This