“2 Dedos de Conversa” num blogue para alargar horizontes

| 11 Fev 20

Helena Araújo numa das imagens do documentário sobre o blogue “2 Dedos de Conversa”, de que é autora.

 

Um dia, uma leitora do blogue 2 Dedos de Conversa escreveu-lhe: “Este blogue é um momento de luz no meu dia”. A partir daí, Helena Araújo, autora daquela página digital, sentiu a responsabilidade de pensar, de manhã, o que poderia “escrever para animar o dia” daquela rapariga. Sente que a escrita do blogue pode ajudar pessoas que não conhece, além de lhe ter alargado os horizontes, no debate com outros pontos de vista: “O meu mundo está hoje mais rico do que era antes de ter começado a escrever este blogue”, diz a autora, no programa Novo Mundo Digital, da RTP, onde conta a história do blogue e fala das suas motivações para o escrever.

O 2 Dedos de Conversa começou em Janeiro de 2004 e nos primeiros tempos dominavam os textos sobre a guerra no Iraque e as “mentiras” que eram publicadas em muitos jornais e outros média. Depois, as histórias do quotidiano em Berlim, os comentários sobre os refugiados ou a democracia, as notas sobre música, arte ou livros, foram aparecendo cada vez mais. São “questões sérias, sempre com uma pitada de humor”, que ali são tratadas, diz Helena Ferro de Gouveia, consultora em direitos humanos e uma das leitoras do blogue também ouvidas no programa.

É isso que acontece com um texto com o título “Estudantes sírios”, publicado em Abril de 2016, e que autora relê no programa: “Ontem os meus filhos aproveitaram a minha ida à Filarmonia, e encheram a casa de refugiados sírios. (…) Bem sei que tenho por aí muitos leitores cuscos mortinhos por saber como foi, e como são os ‘refugiados sírios’ e tal, mas preferi deixá-los ser o que são: amigos dos meus filhos que vieram jantar com eles.”

Enfim, Helena Araújo sente uma “vontade enorme de contar aquilo” que vai descobrindo, que o blogue é uma “ponte muito importante com Portugal” e uma possibilidade de passar para quem a lê “uma espécie de olhar maravilhado”. E está “muito grata” aos seus leitores.

Helena Araújo reside em Berlim há poucos anos, mas chegou à Alemanha no início de Novembro de 1989, poucos dias antes do Muro de Berlim cair. E foi precisamente sobre os 30 anos desse acontecimento que publicou um texto no 7MARGENS, bem como um outro sobre a data de 9 de Novembro, em que outros acontecimentos importantes se verificaram na Alemanha.

O Muro de Berlim fotografado em Janeiro de 1990, dois meses depois do seu fim, com cruzes que registavam os nomes de pessoas mortas quando o tentavam atravessar. Foto do Departamento de Defesa dos EUA/Wikimedia Commons

 

A autora do blogue traduziu, ainda, o testemunho do pastor protestante Christian Führer, que esteve no centro das orações na Nikolaikirche, em Leipzig, que deram origem a um movimento não-violento de protesto de cristãos, que culminaria depois com a queda do Muro de Berlim, em 1989.

Artigos relacionados

Pin It on Pinterest

Share This