Editorial

7MARGENS, quatro anos e o muito que queremos crescer

| 6 Jan 2023

 

O 7MARGENS completa neste dia 7 quatro anos de existência. Foi precisamente a 7 de Janeiro de 2019 que se iniciou esta experiência, ainda frágil, nascida da vontade de um pequeno grupo de jornalistas que encontrou eco entre vários grupos que então contactámos.

No nosso horizonte estavam algumas preocupações, entre as quais podemos destacar:

o cada vez menor lugar dado ao fenómeno espiritual e religioso pelos média generalistas;

a falta de um espaço onde os crentes (sobretudo os católicos, expressão ainda maioritária no país) possam debater ideias, quer sobre o que se passa no interior das suas comunidades, quer sobre a relação da sua fé com a sociedade;

a ausência de expressão pública das minorias religiosas;

a falta de maior atenção a vários temas ligados aos direitos humanos, ao cuidado da casa comum e à justiça social.

Temos consciência de que, com uma equipa mínima, funcionando parte dela em voluntariado, é ainda difícil fazer muito daquilo a que nos propomos em relação a esses propósitos. Mas temos tentado lá chegar, com o apoio dos leitores, que se tem revelado imprescindível para prosseguir e crescer, fazendo-o de forma lenta, mas consolidada. A recente campanha de recolha de fundos foi a confirmação do apoio dos leitores: conseguiram com os seus donativos reverter a situação e transformar um ano que se antevia como gerando um saldo negativo, no seu contrário. E insistimos em que essa ajuda se pode traduzir de várias formas: o apoio económico, assumindo que a produção de informação tem custos; e o apoio à difusão: cada pessoa que nos lê pode divulgar quer a existência do 7MARGENS, quer os textos e conteúdos que publicamos – e pode fazê-lo entre amigos, nas redes sociais, em grupos em que esteja integrado…

No último ano, o facto de termos passado a ter dois jornalistas a tempo completo significou um passo importante no caminho que decidimos trilhar. Do mesmo modo, percebemos que se foi consolidando uma opinião pública em matéria religiosa – sobretudo no campo católico, mas não só, já que temos colaboradores a contribuir para o 7MARGENS provenientes das áreas evangélica, protestante, ortodoxa (dentro do cristianismo), muçulmana, judaica, budista e até agnóstica.

Esse debate teve um momento importante na série de 17 textos que publicámos, entre Maio e Junho, da autoria de outros tantos jornalistas, com reflexões sobre a relação entre a Igreja Católica e os média – e que depois foi reunido num caderno que está acessível a quem o queira ler e/ou imprimir.

Para este ano de 2023, temos muitos desafios pela frente: a divulgação do relatório sobre os abusos sexuais na Igreja Católica em Portugal, a Jornada Mundial da Juventude em Lisboa, a primeira assembleia de bispos do Sínodo católico, uma nova liderança na Aliança Evangélica, a possibilidade de dar voz às minorias religiosas, à não-violência, à justiça climática e à construção de um país e um mundo mais justos e fraternos. Com o apoio permanente de mais leitoras/es será possível chegarmos mais longe e, quem sabe, podemos começar a sonhar em ter connosco mais algum(a) jornalista que permita fazer cada vez mais e melhor.

Queremos também, durante este ano, promover um encontro de leitoras/es e colaboradoras/es do nosso jornal, que dê forma concreta à comunidade que já se agrega em torno do 7MARGENS. A seu tempo daremos mais notícias.

Votos de bom ano para cada pessoa que nos lê.

 

As Fotografias de Maria Lamas

Fundação Gulbenkian: Exposição comemorações 50 anos do 25 de Abril

As Fotografias de Maria Lamas novidade

Mais uma exposição comemorando os 50 anos do 25 de Abril: na Fundação Gulbenkian As Mulheres de Maria Lamas mostra Maria Lamas (1893-1983) no seu esplendor: como fotógrafa-antropóloga, como tradutora, jornalista e articulista, investigadora, bem como outras dimensões do trabalho e ação desta mulher exemplar. Poderá ver a exposição até 28 maio 2024, diariamente das 10:00 às 18:00. [Texto de Teresa Vasconcelos]

Bispos latino-americanos criam Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo

Iniciativa ecuménica

Bispos latino-americanos criam Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo novidade

O Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) lançou oficialmente esta semana a Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo, anunciou o Vatican News. Um dos principais responsáveis pela iniciativa é o cardeal Luís José Rueda Aparício, arcebispo de Bogotá e presidente da conferência episcopal da Colômbia, que pretende que a nova “pastoral de rua” leve a Igreja Católica a coordenar-se com outras religiões e instituições já envolvidas neste trabalho.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Iniciativa ecuménica

Bispos latino-americanos criam Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo novidade

O Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) lançou oficialmente esta semana a Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo, anunciou o Vatican News. Um dos principais responsáveis pela iniciativa é o cardeal Luís José Rueda Aparício, arcebispo de Bogotá e presidente da conferência episcopal da Colômbia, que pretende que a nova “pastoral de rua” leve a Igreja Católica a coordenar-se com outras religiões e instituições já envolvidas neste trabalho.

Número de voluntários na Misericórdia de Lisboa ultrapassa os 500… e mais serão bem-vindos

Inscrições abertas

Número de voluntários na Misericórdia de Lisboa ultrapassa os 500… e mais serão bem-vindos novidade

No último ano, o “número de voluntários na Misericórdia de Lisboa chegou aos 507”, refere a organização num comunicado divulgado recentemente, adiantando que o “objetivo é continuar a crescer”. “Os voluntários, ao realizarem uma atividade voluntária regular e sistemática, estão a contribuir para um mundo mais fraterno e solidário, estão a deixar a sua marca, aumentando capacidades e conhecimentos, diminuindo a solidão, promovendo diversão e alegria, e contribuindo para uma sociedade mais inclusiva”, realça Luísa Godinho, diretora da Unidade de Promoção do Voluntariado da Santa Casa.

Mais de 1.000 tibetanos detidos pelas autoridades chinesas após protestos pacíficos

Grupo de Apoio ao Tibete denuncia

Mais de 1.000 tibetanos detidos pelas autoridades chinesas após protestos pacíficos novidade

A polícia chinesa deteve mais de 1.000 pessoas tibetanas, incluindo monges de pelo menos dois mosteiros, na localidade de Dege (Tibete), na sequência da realização de protestos pacíficos contra a construção de uma barragem hidroelétrica, que implicará a destruição de seis mosteiros e obrigará ao realojamento dos moradores de duas aldeias. As detenções aconteceram na semana passada e têm sido denunciadas nos últimos dias por várias organizações de defesa dos direitos humanos, incluindo o Grupo de Apoio ao Tibete-Portugal.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This