Desde 2015

9300 menores palestinianos detidos por Israel

| 20 Nov 2022

Rapaz palestiniano observa um soldado israelita junto ao muro. Foto © Justin McIntosh

Rapaz palestiniano observa um soldado israelita junto ao muro. Foto © Justin McIntosh

 

Mais de 9.300 menores palestinianos foram detidos por Israel desde 2015, de acordo com a ONG Sociedade dos Prisioneiros Palestinianos, que, numa declaração a assinalar o Dia Mundial da Criança, que em alguns países é celebrado a 20 de novembro, data da redação da Declaração dos Direitos da Criança da ONU, afirmou que as forças israelitas reuniram 750 menores em 2022. “Cerca de 160 crianças ainda se encontram sob custódia israelita”, sustentam. Entretanto, dezenas de palestinianos foram feridos nos ataques dos colonos israelitas em Hebron, no sábado.

De acordo com a ONG, oito menores, incluindo três raparigas, estão detidos pela política israelita de detenção administrativa, que permite a detenção de palestinianos sem acusação ou julgamento. “As crianças estão sujeitas a todas as formas de abusos sistemáticos, incluindo a tortura”, diz a declaração.

Não houve comentários das autoridades israelitas sobre esta declaração, segundo avança o Muslim News.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Festival D’ONOR: a cultura com um pé em Portugal e outro em Espanha

Este fim de semana

Festival D’ONOR: a cultura com um pé em Portugal e outro em Espanha novidade

Está de regresso, já a partir desta sexta-feira, 19 de julho, o evento que celebra a cooperação transfronteiriça e a herança cultural de duas nações: Portugal e Espanha. Com um programa “intenso e eclético”, que inclui música, dança, gastronomia e outras atividades, o Festival D’ONOR chega à sexta edição e estende-se, pela primeira vez, às duas aldeias.

Bonecos de corda e outras manipulações

Bonecos de corda e outras manipulações novidade

“Se vivermos em função do loop que as redes sociais e outros devoradores de dados nos apresentam, do tipo de necessidades que vão alimentando e das opiniões e preconceitos que vão fabricando, vivemos uma fraca vida. Essa será, sem dúvida, uma vida de prazo expirado, por mais que o dispositivo seja de última geração e as atualizações estejam em dia.” – A reflexão de Sara Leão

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This