Obra de Herculano Alves

“A Bíblia em Portugal” é apresentada em Santarém

| 20 Nov 21

Bíblia. Foto © Kiwihug/Unsplash

 

Os seis volumes da obra A Bíblia em Portugal, da autoria do frade capuchinho Herculano Alves, serão apresentados neste sábado, 20 de Novembro, no salão nobre da Câmara Municipal de Santarém, a partir das 16h, com uma conferência feita pela directora do Instituto Catolicismo e Globalização, Eugénia Abrantes. 

Esta obra é um trabalho de anos do biblista Herculano Alves. No primeiro tomo, abordam-se as “línguas da Bíblia” nos 23 séculos de traduções do texto; o segundo volume trata da Bíblia na Idade Média enquanto o terceiro abrange a história dos séculos XVI-XVII; no quarto, que corresponde praticamente à tese de doutoramento de Herculano Alves, aprofunda-se a história da tradução feita por João Ferreira Annes d’Almeida (1629-1690), o primeiro tradutor da Bíblia em português; o quinto tomo abrange os séculos XVIII e XIX, enquanto o último trata os séculos XX-XXI. 

A obra pretende fazer uma investigação sobre textos dispersos relativos à Bíblia, olhando para o texto a partir das perspectivas da história, diegese, edições, pastoral e liturgia, entre outras.

Membro da Ordem dos Frades Menores (franciscanos) Capuchinhos, Herculano Alves estudou Teologia em Toulouse (França), Filologia Românica em Coimbra e Ciências Bíblicas em Roma,antes de se doutorar em Teologia Bíblica, em Salamanca. Entre 1986 e 2011 deu aulas na Universidade Católica Portuguesa. Coordenou a tradução da Bíblia dos Capuchinhos (ed. Difusora Bíblica), para a qual também traduziu vários livros bíblicos. 

 

Comissão quer “dar voz ao silêncio” das vítimas dos “crimes hediondos” dos abusos do clero

Pedro Strecht apresentou membros

Comissão quer “dar voz ao silêncio” das vítimas dos “crimes hediondos” dos abusos do clero novidade

Daqui a um ano haverá relatório, que pode ser o fim do trabalho ou o início de mais. A comissão para estudar os abusos sexuais do clero português está formada e quer que as vítimas percam o medo, a vergonha e a culpa. Ou seja, que dêem voz ao seu silêncio. Pedro Strecht apresentou razões, o presidente dos bispos disse que não quer mais preconceitos nem encobrimentos, mas “autêntica libertação, autenticidade e dignidade para todos”.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Encontra um trabalho que não amas, não perderás um minuto da tua vida

Encontra um trabalho que não amas, não perderás um minuto da tua vida novidade

Ainda antes de acabar o curso fui à minha primeira entrevista de trabalho “a sério”, numa produtora de filmes num bairro trendy de Lisboa. Roubei um dia à escrita da tese de mestrado, apanhei o comboio e lá fui eu, tão nervosa quanto entusiasmada. O dono começou por me perguntar se fazer cinema era o meu sonho. Fiquei logo sem chão. Sofri, desde muito cedo, de um mal que me acompanha até hoje: sonhava demais e muitos sonhos diferentes.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This