A campanha da Amnistia pelo fim das acusações contra tripulação que salvou migrantes

| 7 Ago 20

navio migrantes iuventa, Foto_ JUGEND RETTET

“Acusações infundadas contra ONGs de salvamento apenas irão contribuir para retirar navios de salvamento do mar, que são tão necessários”, pode ler-se na petição da Amnistia Internacional. Foto © Jugend Rettet.

 

Três anos depois da apreensão do navio Iuventa e do início da investigação por tráfico humano aos dez membros da tripulação, entre os quais se encontra o português Miguel Duarte, a Amnistia Internacional lança uma campanha mundial de solidariedade, para que o Ministério Público italiano abandone o caso.

Pertencente à organização não governamental alemã de resgate humanitário no Mediterrâneo Jugend Rettet, a missão do Iuventa e da sua tripulação consistia em “salvar vidas no Mediterrâneo Central”, tendo “evitado que mais de 14 mil pessoas morressem afogadas”, explica a Amnistia Internacional em comunicado enviado ao 7MARGENS. Não faz qualquer sentido, por isso, que a sua tripulação tenha sido “alvo de um processo de criminalização”, arriscando-se “a uma pena de até 20 anos de prisão com base em acusações”, defendem.

Os procuradores alegam que, em três resgates ocorridos em 2016 e 2017, o Iuventa recebeu de vários traficantes, de forma direta, refugiados e migrantes, tendo-lhes devolvido os barcos vazios para que fossem reutilizados.

Os tripulantes do Iuventa negaram todas as acusações e uma reconstrução computadorizada dos três casos, realizada pelo projeto Forensic Oceanography da Goldsmiths – Universidade de Londres, “demonstrou que a tripulação só estava a salvar vidas”, sublinha a Amnistia Internacional.

“Três anos após o início de uma investigação criminal infundada, a equipa do Iuventa permanece no limbo, com a ameaça a pairar de longas penas de prisão”, alerta Maria Serrano, responsável de campanhas para assuntos de migração da instituição. E “três anos é demasiado tempo para pessoas cujas vidas e empregos ficaram numa situação de limbo, uma vez que aguardam julgamento”, pode ler-se no texto da petição que a Amnistia disponibiliza no seu site para que possa ser assinada.

A carta, que será enviada pela AI à procuradora de Trapani, Brunella Sardoni, salienta ainda que “acusações infundadas contra ONGs de salvamento apenas irão contribuir para retirar navios de salvamento do mar, que são tão necessários. Criminalizar a ajuda, o salvamento e abandonar refugiados e migrantes, torna as viagens mais mortais e causará muitas mais mortes e sofrimento”.

 

Artigos relacionados

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Depois de Angola e Polónia

Símbolos da JMJ iniciam peregrinação pelas dioceses de Espanha

Dez jovens da diocese da Guarda irão entregar este domingo, 5 de setembro, os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) aos jovens da diocese de Ciudad Rodrigo (Espanha), local onde terá início a peregrinação dos mesmos pelas dioceses espanholas. O encontro acontecerá na fronteira de Vilar Formoso, pelas 11h, e será seguido de uma celebração de acolhimento na Paróquia de Maria Auxiliadora, em Fuentes de Oñoro, divulgou o gabinete de imprensa da JMJ Lisboa 2023, em comunicado enviado às redações.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Dia dos Mártires

Igreja na Índia recorda massacre de 2008

Treze anos depois da onda de violência que varreu o Estado de Orissa, na Índia, provocando mais de 100 mortos, a justiça é ainda uma miragem, denuncia a Fundação AIS. Desde 2016 que é celebrado pela Igreja em Orissa o dia dos Mártires. 

Fundação AIS

Padre haitiano morto a tiro

Um padre que dirigia um orfanato no Haiti foi morto a tiro, Andrè Sylvestre, de 70 anos de idade, foi assassinado na tarde de segunda-feira, 6 de setembro, durante uma tentativa de assalto, revelou a Fundação AIS. 

IndieLisboa

Cinema: prémio Árvore da Vida atribuído a “Sopro”

O filme “Sopro”, realizado por Pocas Pascoal, uma cineasta angolana de 58 anos, foi distinguido na segunda-feira com o prémio Árvore da Vida, atribuído pelo Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura (SNPC), no final da 18.ª edição do festival de cinema independente IndieLisboa. 

Máximo histórico

Quatro em cada dez espanhóis dizem-se ateus ou não crentes

O estudo mais recente do Centro de Investigações Sociológicas de Espanha revela que quase quatro em cada dez espanhóis (38,7%) se declaram ateus ou não crentes e são apenas 16,7% os inquiridos que se assumem como católicos praticantes. Trata-se do máximo histórico do número de não crentes e do valor mais baixo alguma vez registado em relação aos católicos praticantes. Se a tendência se mantiver, estima-se que dentro de dois anos o número de não crentes no país ultrapasse, pela primeira vez, o de crentes.

Entre margens

A palavra que falta explicitar no “cuidar da criação” novidade

No dia 1 de setembro começou o Tempo da Criação para diversas Igrejas Cristãs. Nesse dia, o Papa Francisco, o Patriarca Bartolomeu e o Arcebispo de Canterbury Justin assinaram uma “Mensagem Conjunta para a Protecção da Criação” (não existe – ainda – tradução em português). Talvez tenha passado despercebida, mas vale a pena ler.

Cultura e artes

Cinema

Às vezes, nem o amor consegue salvar-nos novidade

Falling, que em Portugal teve o subtítulo Um Homem Só, é a história de um pai (Willis) e de um filho (John) desavindos e (quase) sempre em rota de colisão, quer dizer, de agressão, de constante provocação unilateral da parte do pai, sempre contra tudo e contra todos.

Edgar Morin em entrevista

Só a capacidade de nos maravilharmos sustenta a resistência à crueldade e ao horror novidade

“Se formos capazes de nos maravilhar, extraímos forças para nos revoltarmos contra essas crueldades, esses horrores. Não podemos perder a capacidade de maravilhamento e encantamento” se queremos lutar contra a crise, contra as crises, afirmou Edgar Morin à Rádio Vaticano em entrevista conduzida pela jornalista Hélène Destombes e citada ontem, dia 18 de setembro, pela agência de notícias ZENIT

Cinema

Um machado, uma mulher e um cão

Se gosta de cinema e ainda for a tempo, não deixe de ver o filme de Pedro Almodóvar A Voz Humana. É uma curta-metragem (cerca de 30 minutos), complementada por uma entrevista muito interessante e esclarecedora com o realizador e a actriz, Tilda Swinton.

Sete Partidas

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

[ai1ec view=”agenda” events_limit=”3″]

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This