A carne, a história e a vida: uma viagem fascinante

| 8 Ago 20

A tradição espiritual cristã, radicada na Boa-notícia gerada pelo Novo Testamento, permanece ainda um continente a explorar para muitos dos discípulos de Jesus. A expressão mística contém uma carga associada que não ajuda a visitar o seu espaço: associamo-la a uma elite privilegiada, a fenómenos extraordinários, a vidas desligadas dos ritmos e horários modernos.

Neste sentido, a obra Conhecer os Místicos do jesuíta irlandês Brendam Comerford constitui um precioso auxílio. No total, são 22 personagens maiores da história da Igreja que o autor apresenta em breves textos, com uma linguagem acessível e coloquial, dando a conhecer traços biográficos e pérolas da experiência cristã. Figuras que vêm desde as origens – Orígenes, Agostinho –, passando pelas Idades Média e Moderna – Bernardo de Claraval, Teresa de Ávila – até ao século XX, como Dorothy Day e Pedro Arrupe, passando por algumas figuras maiores do contexto medieval anglo-saxónico como Richard Rolle ou Juliana de Norwich.

Ao percorrer estas páginas, o leitor fará uma viagem fascinante com homens e mulheres que, nas difíceis coordenadas do contexto em que viveram, não deixaram de perscrutar os sinais e passagens da Aliança de Deus com a humanidade, através da única paisagem que podiam narrar: a sua carne, a sua própria história, a sua vida. Comerford percorre de modo breve os traços biográficos destas personagens, aproximando-se sobretudo das suas vivências quotidianas, dos seus compromissos com os apelos do seu tempo, fosse a construção de uma gramática da experiência cristã nos primeiros séculos, o serviço aos pobres e à reconciliação nas Igrejas divididas da Idade Média ou a busca de um caminho simples e pessoal de oração diante das áridas linguagens da modernidade. Parecerá ao leitor estar a caminhar acompanhado de uma “nuvem de testemunhas” (Carta aos Hebreus 12, 1), com nomes, histórias e rostos concretos, numa leitura acessível e estimulante.

“Os místicos são pioneiros que exploram as fronteiras e limites do que é ser humano. Eles são exploradores da interioridade e mostram-nos o possível. Os místicos, com a sua visão noturna aprenderam a espreitar a escuridão divina de modo suficientemente longo e árduo para verem um mundo encharcado de Deus, vertiginoso na sua beleza. Eles lembram-nos que também temos olhos para ver essas frágeis, efémeras belezas nas quais gotas de orvalho brilham como safiras por alguns momentos fugidios à luz quebrada do amanhecer, quando a maior parte de nós dorme rotineiramente.”

 

Conhecer os Místicos, de Brendan Comerford, sj
Edição: Apostolado da Oração, 144 páginas

 

Artigos relacionados

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Cimeira do Clima

Taizé dinamiza vigília para jovens em Glasgow novidade

A Comunidade de Taizé foi convidada pelo Comité Coordenador da COP26 das Igrejas de Glasgow para preparar e liderar uma vigília para estudantes e jovens em Glasgow durante a Cimeira do Clima. Mais de sete mil pessoas passaram por Taizé, desde junho, semana após semana, apesar do contexto da pandemia que se vive.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Dia dos Mártires

Igreja na Índia recorda massacre de 2008

Treze anos depois da onda de violência que varreu o Estado de Orissa, na Índia, provocando mais de 100 mortos, a justiça é ainda uma miragem, denuncia a Fundação AIS. Desde 2016 que é celebrado pela Igreja em Orissa o dia dos Mártires. 

Fundação AIS

Padre haitiano morto a tiro

Um padre que dirigia um orfanato no Haiti foi morto a tiro, Andrè Sylvestre, de 70 anos de idade, foi assassinado na tarde de segunda-feira, 6 de setembro, durante uma tentativa de assalto, revelou a Fundação AIS. 

IndieLisboa

Cinema: prémio Árvore da Vida atribuído a “Sopro”

O filme “Sopro”, realizado por Pocas Pascoal, uma cineasta angolana de 58 anos, foi distinguido na segunda-feira com o prémio Árvore da Vida, atribuído pelo Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura (SNPC), no final da 18.ª edição do festival de cinema independente IndieLisboa. 

Máximo histórico

Quatro em cada dez espanhóis dizem-se ateus ou não crentes

O estudo mais recente do Centro de Investigações Sociológicas de Espanha revela que quase quatro em cada dez espanhóis (38,7%) se declaram ateus ou não crentes e são apenas 16,7% os inquiridos que se assumem como católicos praticantes. Trata-se do máximo histórico do número de não crentes e do valor mais baixo alguma vez registado em relação aos católicos praticantes. Se a tendência se mantiver, estima-se que dentro de dois anos o número de não crentes no país ultrapasse, pela primeira vez, o de crentes.

Entre margens

João Lavrador deixa Açores para Viana

A dança dos bispos continua em Leiria e Braga novidade

Com a escolha de João Lavrador para a sede vacante de Viana fica agora Angra sem bispo. Mas Braga já está à espera de sucessor há dois anos, enquanto em Leiria se perspectiva a sucessão talvez até final do ano. Há bispos que querem sair de onde estão, outros não querem alguns para determinados sítios. “Com todas estas movimentações, é difícil acreditar que a nomeação de um bispo seja obra do Espírito Santo”, diz um padre.

O outro sou eu novidade

Há tanto que me vem à cabeça quando penso em Jorge Sampaio. Tantas ocasiões em que o seu percurso afetou e inspirou o meu, quando era só mais uma adolescente portuguesa da primeira geração do pós-25 de Abril à procura de referências. Agora, que sou só uma adulta que recusa desprender-se delas, as memórias confundem-se com valores e os factos com aspirações.

A palavra que falta explicitar no “cuidar da criação”

No dia 1 de setembro começou o Tempo da Criação para diversas Igrejas Cristãs. Nesse dia, o Papa Francisco, o Patriarca Bartolomeu e o Arcebispo de Canterbury Justin assinaram uma “Mensagem Conjunta para a Protecção da Criação” (não existe – ainda – tradução em português). Talvez tenha passado despercebida, mas vale a pena ler.

Cultura e artes

Cinema

Às vezes, nem o amor consegue salvar-nos novidade

Falling, que em Portugal teve o subtítulo Um Homem Só, é a história de um pai (Willis) e de um filho (John) desavindos e (quase) sempre em rota de colisão, quer dizer, de agressão, de constante provocação unilateral da parte do pai, sempre contra tudo e contra todos.

Edgar Morin em entrevista

Só a capacidade de nos maravilharmos sustenta a resistência à crueldade e ao horror

“Se formos capazes de nos maravilhar, extraímos forças para nos revoltarmos contra essas crueldades, esses horrores. Não podemos perder a capacidade de maravilhamento e encantamento” se queremos lutar contra a crise, contra as crises, afirmou Edgar Morin à Rádio Vaticano em entrevista conduzida pela jornalista Hélène Destombes e citada ontem, dia 18 de setembro, pela agência de notícias ZENIT

Cinema

Um machado, uma mulher e um cão

Se gosta de cinema e ainda for a tempo, não deixe de ver o filme de Pedro Almodóvar A Voz Humana. É uma curta-metragem (cerca de 30 minutos), complementada por uma entrevista muito interessante e esclarecedora com o realizador e a actriz, Tilda Swinton.

Sete Partidas

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

[ai1ec view=”agenda” events_limit=”3″]

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This