Livros

A fé cruzada com as porosidades humanas

| 11 Fev 2022

a arte de viver em deus timothy radcliffe Imagem capa

“O objeto deste livro é provar que é mais provável incitarmos os outros com a nossa fé se o Cristianismo for entendido como um convite a viver de uma forma plena.”

É possível propor um caminho de redescoberta das pistas da fé cristã após vinte séculos de história? Continua a experiência espiritual do Cristianismo a fazer sentido, a encontrar linguagens novas, a sentir uma frescura que lhe é emprestada quer do regresso às fontes, quer do diálogo com todas as expressões do humano – da arte à literatura, do cinema à poesia? É esse difícil trabalho que o dominicano inglês Timothy Radcliffe leva a cabo com grande maestria.

Este caminho ao longo das várias passagens da vida cristã – do sofrimento ao perdão, da transmissão da fé à celebração sacramental, da oração à esperança da ressurreição – é percorrido sob o signo da imaginação. A convivência numa sociedade marcada pelo excesso de imagens e estímulos apresenta aos cristãos o desafio de transpor a superficialidade, o soterrar as questões humanas fundamentais num ruído constante, o não saber escutar quer os pedidos de socorro à nossa volta, quer as pérolas de sabedoria que o quotidiano nos proporciona. O hábito de expor a fé cristã ao estilo de catecismo constitui uma pesada e empobrecedora herança nesta busca de uma imaginação cristã, isto é, de encontrar as imagens, estilos, narrativas e porosidades do quotidiano que entrecruzam a linguagem crente com as experiências humanas. A leitora ou o leitor que tiver a generosidade de dedicar o seu tempo a esta leitura, muito bem nutrida de citações e excertos literários, não deixará de encontrar um enriquecimento na perceção da sua história crente e pessoal.

“O objeto deste livro é provar que é mais provável incitarmos os outros com a nossa fé se o Cristianismo for entendido como um convite a viver de uma forma plena. A vida do seu fundador, o seu ensinamento moral, o perdão dos pecados, a doutrina da Igreja, a horrenda morte de Jesus – tudo isso se compreenderá de forma apropriada como a dádiva de vida abundante.”

 

A arte de viver em Deus, de Timothy Radcliffe
Edição: Paulinas, 2021
364 pág., 20,99 €

 

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou novidade

Em que vai, afinal, desembocar o esforço reformador do atual Papa, sobretudo com o processo sinodal que lançou em 2021? Que se pode esperar daquela que já foi considerada a maior auscultação de pessoas alguma vez feita à escala do planeta? – A reflexão de Manuel Pinto, para ler no À Margem desta semana

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados

Inaugurado em Vendas Novas

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados novidade

O apelo foi feito pelo Papa Francisco: utilizar os espaços da Igreja Católica devolutos ou sem uso para respostas humanitárias. Os Salesianos e os Jesuítas em Portugal aceitaram o desafio e, do antigo colégio de uns, nasceu o novo centro de acolhimento de emergência para refugiados de outros. Fica em Vendas Novas, tem capacidade para 120 pessoas, e promete ser amigo das famílias, do ambiente, e da comunidade em que se insere.

Bispos católicos de França apelam à fraternidade e justiça, mas não se demarcam da extrema-direita

Com as eleições no horizonte

Bispos católicos de França apelam à fraternidade e justiça, mas não se demarcam da extrema-direita novidade

O conselho permanente dos bispos da Igreja Católica de França considera, num comunicado divulgado esta quinta-feira, 20 de junho, que o resultado das recentes eleições europeias, que deram a vitória à extrema-direita, “é mais um sintoma de uma sociedade ansiosa, dividida e em sofrimento”. Neste contexto, e em vésperas dos atos eleitorais para a Assembleia Nacional, apresentaram uma oração que deverá ser rezada por todas as comunidades nestes próximos dias.

“Precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança”

Tolentino recebeu Prémio Pessoa

“Precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança” novidade

Na cerimónia em que recebeu o Prémio Pessoa 2023 – que decorreu esta quarta-feira, 19 de junho, na Culturgest, em Lisboa – o cardeal Tolentino Mendonça falou daquela que considera ser “talvez a construção mais extraordinária do nosso tempo”: a “ampliação da esperança de vida”. Mas deixou um alerta: “não basta alongar a esperança de vida, precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança e a deseje fraternamente repartida, acessível a todos, protagonizada por todos”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This