Cidadãos "sem papéis"

“A greve de fome está suspensa” — mas a luta continua em Bruxelas

| 22 Jul 21

Imagem do interior da Igreja de São João Baptista, em Bruxelas, reproduzida do Facebook de Dali Live
© ReporterMediaMilitant.

 

As quase 500 pessoas que estavam em greve de fome há 61 dias numa igreja de Bruxelas suspenderam por agora esta forma de luta, para abrir a porta às negociações com o Governo belga. Alguns destes cidadãos já tinham iniciado também uma greve de sede. 

“A greve de fome está suspensa, mas não acabou”, afirmou Tarik, um dos porta-vozes do grupo de migrantes “sem papéis”, que se instalou na Igreja de São João Baptista da Béguinage, Bruxelas, noticiou a imprensa.

Segundo o jornal francês Le Monde, o conteúdo do acordo, negociado entre uma delegação de personalidades belgas — advogados, ativistas — escolhidos por estes migrantes sem documentos, e Sammy Mahdi, o secretário de Estado de Asilo e Migração (do partido Democrata Cristão Flamengo, CD&V), é bastante vago. Muitos destes cidadãos vivem e trabalham na Bélgica há anos, mesmo décadas, mas uma lei draconiana impede-os de aceder à legalização da sua situação.

Depois de críticas intensas à “surdez” e insensibilidade do executivo belga, o governante veio admitir por agora um “exame individual dos processos”, recusando uma “regularização coletiva”, de acordo com Sieghild Lacoere, o seu porta-voz. 

Sammy Mahdi explicou que os migrantes sem documentos podem enviar um pedido individual de regularização e seguir o percurso habitual para o seu processo. Essa revisão será acelerada, mas nada mais.

Os migrantes vão manter-se na igreja, onde foram acolhidos pelo padre responsável, como já tinha noticiado 7Margens. A luta pela regularização continua.

 

A votar, a votar!

[Segunda leitura]

A votar, a votar! novidade

“Começa hoje a campanha eleitoral para as eleições autárquicas de 26 de setembro”. Juro que ouvi isto na passada terça-feira, dia 14 de setembro. Assim mesmo, sem tirar nem pôr, na abertura de um noticiário na rádio: “Começa hoje a campanha eleitoral para as eleições autárquicas de 26 de setembro”. Juro.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Direitos humanos, paz e casa comum: como se reescreve um Papa?

Ensaio

Direitos humanos, paz e casa comum: como se reescreve um Papa? novidade

As intervenções de um Papa na Assembleia Geral das Nações Unidas (AGONU) aconteceram em cinco momentos da História e resultaram de um estatuto jurídico reconhecido internacionalmente ao líder máximo da Igreja Católica, incomparável quer relativamente aos líderes das outras religiões, quer aos das nações. Isto, por si só, é relevante a nível da política e das relações internacionais.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This