Cidadãos "sem papéis"

“A greve de fome está suspensa” — mas a luta continua em Bruxelas

| 22 Jul 21

Imagem do interior da Igreja de São João Baptista, em Bruxelas, reproduzida do Facebook de Dali Live
© ReporterMediaMilitant.

 

As quase 500 pessoas que estavam em greve de fome há 61 dias numa igreja de Bruxelas suspenderam por agora esta forma de luta, para abrir a porta às negociações com o Governo belga. Alguns destes cidadãos já tinham iniciado também uma greve de sede. 

“A greve de fome está suspensa, mas não acabou”, afirmou Tarik, um dos porta-vozes do grupo de migrantes “sem papéis”, que se instalou na Igreja de São João Baptista da Béguinage, Bruxelas, noticiou a imprensa.

Segundo o jornal francês Le Monde, o conteúdo do acordo, negociado entre uma delegação de personalidades belgas — advogados, ativistas — escolhidos por estes migrantes sem documentos, e Sammy Mahdi, o secretário de Estado de Asilo e Migração (do partido Democrata Cristão Flamengo, CD&V), é bastante vago. Muitos destes cidadãos vivem e trabalham na Bélgica há anos, mesmo décadas, mas uma lei draconiana impede-os de aceder à legalização da sua situação.

Depois de críticas intensas à “surdez” e insensibilidade do executivo belga, o governante veio admitir por agora um “exame individual dos processos”, recusando uma “regularização coletiva”, de acordo com Sieghild Lacoere, o seu porta-voz. 

Sammy Mahdi explicou que os migrantes sem documentos podem enviar um pedido individual de regularização e seguir o percurso habitual para o seu processo. Essa revisão será acelerada, mas nada mais.

Os migrantes vão manter-se na igreja, onde foram acolhidos pelo padre responsável, como já tinha noticiado 7Margens. A luta pela regularização continua.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Interiormente perturbador

Cinema

Interiormente perturbador novidade

Quase no início d’O Acontecimento, já depois de termos percebido que o filme iria andar à volta do corpo e do desejo, Anne conclui que se trata de um texto político. Também esta obra cinematográfica, que nos expõe um caso de aborto clandestino – estamos em França, nos anos 60 –, é um filme político.

Sondagem

Brasil deixa de ter maioria católica  novidade

Algures durante este ano a maioria da população brasileira deixará de se afirmar maioritariamente como católica. Em janeiro de 2020, 51% dos brasileiros eram católicos, muito à frente dos que se reconheciam no protestantismo (31%). Ano e meio depois os números serão outros.

Bispos pedem reconciliação e fim da violência depois de 200 mortes na Nigéria

Vários ataques no Nordeste do país

Bispos pedem reconciliação e fim da violência depois de 200 mortes na Nigéria

O último episódio de violência na Nigéria, com contornos políticos, económicos e religiosos, descreve-se ainda com dados inconclusivos, mas calcula-se que, pelo menos, duas centenas de pessoas perderam a vida na primeira semana de Janeiro no estado de Zamfara, Nigéria, após vários ataques de grupos de homens armados a uma dezena de aldeias. Há bispos católicos a sugerir caminhos concretos para pôr fim à violência no país, um dos que registam violações graves da liberdade religiosa. 

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This