A potência benigna de Dietrich Bonhoeffer

| 26 Jul 19 | Cristianismo, Cultura e artes - homepage, Newsletter, Últimas

O influente magistério de Dietrich Bonhoeffer, a sua vigorosa resistência ao nazismo e o singular namoro com Maria von Wedemeyer são três momentos da vida do pastor luterano que merecem uma peculiar atenção na biografia Dietrich Bonhoeffer. Teólogo e mártir do nazismo, da autoria do historiador italiano Giorgio Cavalleri. A obra, publicada pelas Paulinas em Maio, permite agora que um público mais vasto possa conhecer aquele que é geralmente considerado como um dos mais influentes teólogos do século XX.

Não é longa a vida de Dietrich Bonhoeffer. Nasce a 4 de Fevereiro de 1906 e é executado por enforcamento, pelos nazis, a 9 de Abril de 1945, no campo de concentração de Flossenbürg, poucos dias antes da chegada dos Aliados. É assassinado por ordem directa de Heinrich Himmler, um dos principais dirigentes da Alemanha nazi.

Dietrich Bonhoeffer podia ter resistido ao regime hitleriano no exílio. No estrangeiro, podia ter continuado a levantar a voz em defesa dos judeus. Tinha ido para os Estados Unidos da América pouco antes do início da guerra. Perseguido pelos nazis, que o impediam de se deslocar livremente, de falar em público, de escrever ou publicar o que quer que fosse e de ensinar, tinha decidido exilar-se. Giorgio Cavalleri escreve que, todavia, “sofre uma forte crise de consciência pelo facto de ter abandonado o seu próprio povo e de não ter tentado lutar a partir de dentro, com maior determinação, contra a louca e criminosa política implementada no seu próprio país pelos homens do partido nazi”. Regressa à Alemanha.

Outra mártir do nazismo, Etty Hillesum, dizia que queria participar no destino do seu povo. Era judia e não queria usufruir de qualquer privilégio que lhe pudesse ser concedido. Dietrich Bonhoeffer também não queria aproveitar a sorte de ter podido sair a tempo da Alemanha. Era aí que deveria lutar contra Hitler. Entre os seus amigos e cúmplices estavam os que, há uma década, se tornariam conhecidos por causa do filme Operação Valquíria, que relata a história verídica do coronel Claus von Stauffenberg, interpretado por Tom Cruise, e de outros oficiais do regime que atentaram sem sucesso contra a vida de Hitler.

A coragem moral e física de Dietrich Bonhoeffer honrou o cristianismo. Essa valentia decorre de uma das principais convicções daquele pastor protestante. Giorgio Cavalleri enuncia-a: “A necessidade de uma fé concreta e histórica, viva e responsável, que, frente a uma situação difícil, obriga o crente a tomar uma opção”. Quando a Igreja Luterana alinhou por Hitler, Bonhoeffer, discípulo de Karl Barth, ajudou a organizar a Igreja Confessante, que congregou a minoria do clero protestante que se opôs ao nazismo e apoiou os conjurados que tentaram abreviar o fim da guerra matando o líder nazi. Esta resistência – inacreditavelmente – apenas a partir de 1996 tem um reconhecimento valoroso, como recorda Giorgio Cavalleri. Nesse ano, um tribunal de Berlim contrariou outras decisões judiciais do pós-guerra – e a opinião dos democratas-cristãos – que consideraram como “traidores da nação” os que tentaram eliminar Hitler.

O prefaciador da biografia, Bruno Maggioni, refere uma eloquente observação do médico que assistiu Dietrich Bonhoeffer até ao seu derradeiro dia. Disse o clínico “que em toda a sua vida nunca tinha visto um homem tão abandonado a Deus”. O abandono e a certeza de que seria atendida a oração daquele “homem extraordinariamente simpático” impressionou profundamente o médico. Junto ao lugar de execução, viu ele ainda “o pastor luterano elevar uma breve oração e depois subir, com coragem e dignidade, a escada que conduzia ao patíbulo”.

Poucos meses antes, Dietrich Bonhoeffer tinha enviado a Maria von Wedemeyer, sua namorada quase apenas epistolar, o poema “Sobre as potências benignas”, que termina assim: “Por potências benignas, maravilhosamente socorridos, / esperamos, consolados, cada acontecimento futuro / Deus está connosco de noite e de manhãzinha, / sem nunca falhar, em cada novo dia”.

O pastor luterano, nota no prefácio Bruno Maggioni, “compreende que, num mundo sem Deus, o sofrimento é o lugar da presença de Deus  e que a única forma de dar testemunho é aquela que o próprio Deus decidiu assumir: a debilidade de quem se entrega por amor”.

 

Dietrich Bonhoeffer – Teólogo e Mártir do Nazismo

Autor: Giorgio Cavalleri; ed. Paulinas, 2019; 160 páginas; 13,50 euros

Artigos relacionados

Mais 14 cristãos mortos a sangue frio no Burkina Faso

Mais 14 cristãos mortos a sangue frio no Burkina Faso

Pelo menos 14 cristãos protestantes foram “executados” durante o serviço religioso que decorria neste domingo, numa igreja protestante no leste do Burkina Faso. O ataque ocorreu em Hantoukoura, perto da fronteira com o Níger (leste do país) e terá sido executado por um dos vários grupos jihadistas que operam na região.

Apoie o 7 Margens

Breves

Cordão humano pelo direito a horários dignos e compatíveis com vida familiar

Um cordão humano de trabalhadores do comércio e serviços manifestou-se nesta quinta-feira, 12, diante do centro comercial Vasco da Gama, em Lisboa, a pedir horários dignos, a conciliação entre a vida profissional e familiar e melhores salários. Na acção de sensibilização, organizada pelo Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP), filiado na CGTP-IN, os trabalhadores empunharam faixas e distribuíram panfletos contestando a “violência e desumanização dos horários de trabalho” que impedem muitos de acompanhar os filhos menores, por exemplo.

Formação sobre cuidador informal começa em Lisboa

Consciencializar todos os que se confrontam com familiares em situações limite de dependência e doença prolongada é um dos objectivos principais da formação sobre cuidadores informais promovida pela paróquia de São Lourenço de Carnide (Igreja de Nossa Senhora da Luz), que nesta quinta-feira, 12 de Dezembro, se inicia em Lisboa.

Formação avançada em património religioso lançada na Católica

A Faculdade de Ciências Humanas (FCH) da Universidade Católica Portuguesa e o Departamento de Turismo do Patriarcado de Lisboa organizaram um programa de formação avançada em Turismo e Património Religiosos, com o objetivo de “promover a aquisição de competências nos domínios do conhecimento e divulgação do património artístico religioso da diocese de Lisboa”.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

Do Porto a Bissau: um diário de viagem no 7MARGENS dá origem a livro

Do Porto a Bissau: um diário de viagem no 7MARGENS dá origem a livro

A viagem começou a 3 de Fevereiro, diante da Sé do Porto: “Quando estacionámos o jipe em frente à catedral do Porto, às 15h30, a aragem fria que fustigava o morro da Sé ameaçava o calor ténue do sol que desmaiava o seu brilho no Rio Douro.” Terminaria doze dias depois, em Bissau: “Esta África está a pedir, em silêncio e já há muito tempo, uma obra de aglutinação de esforços da comunidade internacional, Igreja incluída, para sair do marasmo e atonia de uma pobreza endémica que tem funestas consequências.”

É notícia

Entre margens

Porque quererá alguém estudar teologia?

O livro que estamos aqui a apresentar comemora os 50 anos de uma Faculdade de Teologia, e da única que existe em Portugal. Quando li o livro achei que era uma óptima oportunidade para tornar explícitas várias perguntas. São perguntas que me parecem importantes, nomeadamente: para que serve estudar teologia? E, o que é exactamente estudar teologia? Não é preciso ser-se professor de teologia para achar estas perguntas difíceis, e aproveitar e agradecer a oportunidade de lhes tentar responder em público.

O terror nazi: “Todos devem saber tudo”

Uma notícia que li esta semana no Der Spiegel descreve cenas de puro horror. Mas o mundo não pode esquecer o que aconteceu há 75 anos num dos países mais evoluídos do mundo. Temos de saber, temos de estar bem conscientes daquilo de que podemos ser capazes quando atribuímos a pessoas de certos grupos categorias que lhes sonegam a dignidade dos humanos.

Teocracia? Não, obrigado!

Ainda estamos a tempo de aprender que nenhuma teocracia é melhor do que a outra. Não importa se é islâmica, judaica, cristã ou outra qualquer. Definitivamente, não.

Cultura e artes

Livro “A Igreja de São Cristóvão de Lisboa” recupera caso de intervenção única no património

A Igreja de São Cristóvão de Lisboa é o título do livro que será apresentado nesta sexta-feira, 13 de Dezembro, às 18h, naquela igreja da Mouraria que teve um programa de reabilitação iniciado com o projecto vencedor do Orçamento Participativo de Lisboa – um caso único de envolvimento de uma comunidade católica, artistas, investigadores e a autarquia.

Sophia lida pelos mais novos (5) – A Árvore

Uma árvore de que as pessoas gostam, que se transforma em sombra demasiada, que é cortada e partilhada, que se transforma em memória e cantiga, num barco grande ou em cerejeiras… A Árvore, um dos contos infantis de Sophia de Mello Breyner, é hoje aqui recontada com textos e ilustrações de alunos do 4º ano, turma C, da Escola Básica Bom Pastor (Porto). 

Joker, o desafio da diferença

Filmes baseados em banda desenhada não faltam, mas este Joker é diferente. Para melhor. É o único representante desta década nos vinte melhores filmes de sempre da IMDb e parece-me sério candidato aos Óscares de melhor ator, realizador e banda sonora.

Concertos de Natal nas igrejas de Lisboa

Começa já nesta sexta-feira a edição 2019 dos concertos de Natal em Lisboa, promovidos pela EGEAC. O concerto de abertura será na Igreja de São Roque, sexta, dia 6, às 21h30, com a Orquestra Orbis a executar obras de Vivaldi e Verdi, entre outros.

Sete Partidas

Dos imigrantes europeus ao P. Joaquim Alves Correia, uma universidade nos EUA

A história desta Universidade americana faz-nos recuar ao fim do século XIX. Nada melhor que percorrer o seu vastíssimo campus para saber quando tudo começou. Uma enorme placa à entrada da Reitoria explica que foi fundada pelos Missionários do Espírito Santo em 1878, incorporada no Pittsburg Catholic College em 1882 e chamada ‘Duquesne University’ em 1911. A poucos metros, mesmo na entrada da Igreja da Universidade, está a estátua do seu fundador: o padre Joseph Strub, missionário alemão.

Visto e Ouvido

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

Dez
16
Seg
Cristianismo e islão: as possibilidades do diálogo – Conversa com o padre Joaquim Cerqueira Gonçalves, OFM @ Biblioteca Vítor de Sá (Sala Bib.2.7) - Universidade Lusófona
Dez 16@18:00_19:30

Encontro a pretexto dos 800 anos do encontro entre São Francisco de Assis e o Sultão Al-Kamil (1219-2019)

Dez
18
Qua
Inauguração do Memorial evocativo de Sophia de Mello Breyner Andresen, com azulejos de Menez @ Estação Marítima de Belém
Dez 18@12:00_13:00
Jan
3
Sex
Conferência sobre frei Agostinho da Cruz (1540 – 1619), pelo cardeal José Tolentino Mendonça @ Salão Nobre da Câmara Municipal de Setúbal
Jan 3@16:30_17:30

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco