A torrente musical de “Spem in Alium”, de Thomas Tallis

| 9 Abr 21

Jean de Bruges (c. 1377), um dos 47 anjos do Instrumentarium da catedral de Mans, na Capela da Virgem

Jean de Bruges, um dos 47 anjos do Instrumentarium da Capela da Virgem (catedral de Mans, c. 1377).

 

Uma “torrente musical verdadeiramente arrasadora”, de esperança pascal, diz o padre Arlindo Magalhães, comentador musical, padre da diocese do Porto e responsável da comunidade da Serra do Pilar (Gaia), a propósito da obra de Thomas Tallis Spem in Alium (algo que se pode traduzir como “esperança para lá de todas as ameaças”).

Neste programa da TSF, emitido inicialmente na Páscoa de 2011 e reposto no último Domingo de Páscoa, no passado dia 4, fala-se desta “obra tremenda”. Arlindo Magalhães, doutorado em Teologia e com formação em música, começa por explicar quem é e em que contexto histórico e artístico viveu Thomas Tallis (1500/1520-1585), considerado como o criador da música coral inglesa de catedral, que trabalhou enquanto compositor e organista com quatro reis: Henrique VIII, Eduardo VI, Maria e Isabel I.

A par das Lamentações de Jeremias e de Laudate Dominum, o motete de 50 vozes Spem in Alium é uma das obras mais importantes de Tallis, que compôs música para as liturgias católica e anglicana. É uma obra, diz Arlindo Magalhães, que só percebe quem já foi arrastado por uma onda na praia. Mas, mesmo assim, acrescenta, não é total, nem diz tudo sobre Deus.

A obra terá sido composta à volta do ano 1570 e a multiplicação de linhas de vozes diferentes (até 40 ou 50, ao contrário das três a seis que eram normais nos motetos renascentistas) é uma das marcas de Spem in Alium. Mas não há certezas sobre o facto de ter sido Tallis ou não a escrever as pelo menos 40 vozes.

O texto foi retirado de uma missa em latim:

Spem in alium nunquam habui
Praeter in te, Deus Israel
Qui irasceris et propitius eris
et omnia peccata hominum
em tribulatione dimittis

Domine Deus
Creator caeli et terrae
respice humilitatem nostram

 

Uma tradução possível:

Nunca pus a minha esperança em nenhum outro
Senão em ti, ó Deus de Israel
que tanto pode mostrar raiva como misericórdia,
e que absolve todos os pecados
ao homem em tribulação.

Senhor Deus,
Criador do Céu e da Terra,
atende à nossa fragilidade.

 

O programa de Manuel Vilas Boas, com sonorização de João Félix Pereira, pode ser ouvido aqui, na página da TSF.

 

Jorge Sampaio, um laico cristão

Jorge Sampaio, um laico cristão novidade

Já tudo, ou quase tudo, foi dito e escrito sobre a figura do Jorge Sampaio. Assinalando a sua morte, foram, por muitos e de múltiplas formas, sublinhadas as diversas facetas definidoras da sua personalidade nos mais diversos aspetos. Permitam-me a ousadia de voltar a este tema, para sublinhar um aspeto que não vi, falha minha porventura, sublinhado como considero ser merecido.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja

Inquérito sobre o Sínodo

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja novidade

O Papa observava, no encontro sinodal com a sua diocese de Roma, no último sábado, 18, que escutar não é inquirir nem recolher opiniões. Mas nada impede que se consultem os cristãos sobre as “caraterísticas e âmbito” que “entendem dever ter a escuta que as igrejas diocesanas são chamadas a realizar, desde 17 de outubro próximo até ao fim de março-abril de 2022. Era esse o terceiro ponto da consulta feita pelo 7Margens, cujas respostas damos hoje a conhecer.

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro

União Europeia

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro novidade

A União Europeia (UE) deverá divulgar, no próximo mês de outubro, uma “nova estratégia de combate ao antissemitismo e promoção da vida judaica”. A iniciativa surge na sequência da disseminação do racismo antissemita em inúmeros países da Europa, associada a teorias da conspiração que culpabilizam os judeus pela propagação da covid-19, avançou esta quarta-feira, 22, o Jewish News.

Livrai-nos do Astérix, Senhor!

Livrai-nos do Astérix, Senhor! novidade

A malfadada filosofia do politicamente correcto já vai no ponto de apedrejar a cultura e diabolizar a memória. A liberdade do saber e do saber com prazer está cada vez mais ameaçada. Algumas escolas católicas do Canadá retiraram cerca de cinco mil títulos do seu acervo por considerarem que continham matéria ofensiva para com os povos indígenas.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This