Economia

Universidade Católica anuncia nova edição do programa “Gestão do Luxo”

| 7 Ago 21

Mónica Seabra-Mendes, diretora do programa de Gestão do Luxo. Imagem captada no YouTube.

 

A 14ª edição do programa “Gestão do Luxo” da Católica Lisbon Business & Economics (o nome da faculdade é em inglês) inicia-se no dia 24 de Setembro. Os interessados podem escolher entre “assistir presencialmente ou por transmissão live virtual”.

O anúncio indica que “o programa de ‘Gestão do Luxo’ propõe uma visão abrangente do universo do luxo e é dirigido a todos os profissionais que pretendam incorporar mais valor às marcas e projetos que dirigem” [sic]. O programa “propõe ainda o estudo dos principais setores de atividade que compõem este heterogéneo mercado, revelando as suas estratégias, ilustradas e enriquecidas com case studies e best practices” [em inglês no original].

A brochura de divulgação da iniciativa da Universidade Católica indica que, “nos últimos anos, o luxo tornou-se um dos mais bem-sucedidos negócios à escala global e um modelo de negócio amplamente replicado em muitos setores e segmentos de mercado. Um negócio com resultados e crescimento consistentes, apesar dos contextos conturbados da economia, mais recentemente afetada pelo impacto da covid 19”.

Entre os “principais benefícios” atribuídos ao programa “Gestão do Luxo” encontra-se, por exemplo, o “entender o luxo e o seu papel na sociedade e na economia e apreender a dimensão intangível e emocional que o caracteriza; obter uma visão atual, abrangente e integrada do universo do luxo e dos seus atores, bem como dos seus desafios e tendências futuras; e conhecer as características e expectativas do consumidor de produtos e serviços de luxo”.

Os “profissionais que trabalham no mercado do luxo e que pretendem consolidar ou alargar os seus conhecimentos” e os “que pretendem vir a trabalhar no mercado do luxo ou que queiram adquirir conhecimentos e competências que lhes permitam acrescentar valor aos produtos e serviços que gerem” são os destinatários do programa que disponibiliza um “fim de semana residencial que pretende dar a conhecer os bastidores do luxo e onde se promovem momentos de networking [sic] e convívio”. O programa, dirigido por Mónica Seabra-Mendes, “é suportado [sic] por um grupo de professores de renome nacional e internacional”.

 

Pregos no caixão

Pregos no caixão novidade

Como resultado de uma evolução e saturação pessoais, cheguei ao ponto de ter medo, no próprio e exacto sentido da palavra, cada vez que vejo um padre ou um bispo aparecer na TV ou ser transcrito num jornal, porque é imensa a possibilidade de das suas bocas sair forte asneira e de os seus gestos e trejeitos serem comprometedores.

“Só posso agir como cristão, como me dita a consciência”

Aristides com honras de Panteão

“Só posso agir como cristão, como me dita a consciência” novidade

Domingo, 17 de Outubro, no programa Página 2, da RTP2, António Moncada Sousa Mendes, autor do livro Aristides de Sousa Mendes – Memórias de um Neto evocou a memória do seu avô. Foi um depoimento também a referir essa perspectiva e a recordar o longo caminho de Aristides até este dia que o 7MARGENS pediu ao neto do primeiro português a ser declarado Justo Entre as Nações.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Pandemia teve impacto devastador sobre liberdade de informação

Relatório da Amnistia Internacional

Pandemia teve impacto devastador sobre liberdade de informação novidade

“Os ataques à liberdade de expressão por parte de governos, combinados com uma enchente de desinformação por todo o mundo durante a pandemia da covid-19, tiveram um impacto devastador sobre a capacidade das pessoas para acederem a informação precisa e oportuna, que as ajudasse a lidar com a crescente crise de saúde global.” A conclusão é da Amnistia Internacional.

Os dias não têm 24 horas

Os dias não têm 24 horas novidade

E se de repente nos viessem dizer que cada dia passaria a ter apenas 16 ou 17 horas? Com a falta de tempo de que sempre nos queixamos iríamos, decerto, apanhar um susto. Não saberíamos como resolver tamanho corte e, com imensa probabilidade, entraríamos em stresse, esse companheiro que nos boicota a vida num padrão que, como alguém disse, se traduz por excesso de presente.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This