Visto de fora (4)

ABC: A mini-tournée portuguesa dos “padres rockeiros” de Alcalá

| 4 Ago 2023

Foto: Grupo La “Voz del Desierto (LVD)”, retirada do Facebook do grupo.

 

A juventude e o Papa não são os únicos protagonistas da Jornada Mundial da Juventude em que a imprensa repara. O diário espanhol ABC dedicou uma página integral a músicos que animaram o arranque da iniciativa. Os três “padres rockeiros” que, com quatro leigos, integram La Voz del Desierto, um grupo de música da diocese de Alcalá de Henares, merecem um destaque especial.

O jornalista José Ramón Navarro-Pareja escreve que foram os principais animadores de um concerto que, no arranque da JMJ, juntou 40.000 jovens espanhóis no Estoril. A acompanhar o artigo, uma fotografia da Agência EFE mostra o padre Alberto Raposo, o guitarrista, a actuar. Poderia ser mais um megaconcerto de Verão, observa o jornalista, se não fosse o cantor complementar um “Boa noite Estoril!” com um “Viva Cristo!”, “enquanto, num diálogo de solos entre o órgão e a guitarra, executam as primeiras notas da Tocata e Fuga em ré menor de Bach”.

Foto retirada do Instagram oficial do grupo.

O jornal fala de diversos músicos espanhóis de distintos géneros, mas é A Voz do Deserto que detalhadamente exemplifica o que se considera ser a mudança da “melíflua tradicional música católica” para outros estilos. Quando criaram o grupo, os componentes de A Voz do Deserto pretendiam compor o mesmo tipo de canções que escutavam, mas com uma mensagem totalmente cristã, diz o vocalista, contando ainda que os modelos eram variados, mas pouco convencionais em relação ao que se ouve nas igrejas. Exemplos: Hombres G, Revólver, Queen, AC/DC e Metallica.

O baixista, e pároco em Mejorada del Campo, diz que “há dentro da Igreja gente que considera que um sacerdote não deveria estar num palco tocando este género de música, como se tudo tivesse que ser gregoriano”. Em todo o caso, não fazem música “para a liturgia, mas para outro ambiente, para escutar em casa, no carro ou num concerto”.

A actuação do Estoril foi a primeira das cinco que A Voz do Deserto programou para esta JMJ. Trata-se, como escreve Navarro-Pareja, de uma mini-tournée do grupo cuja agenda de actuações depende da disponibilidade dos três párocos. São eles os mais ocupados de A Voz do Deserto, um grupo que sonha com um Grammy para o melhor álbum de música cristã a figurar numa vitrina da paróquia da diocese de Alcalá de Henares.

A propósito, o ABC informa que pouco antes do concerto, numa conferência de imprensa, o cardeal Juan José Omella, arcebispo de Barcelona, tinha dito que os jovens que participam na JMJ não são “extraterrestres”, nem “bichos raros”.

 

sobre as águas

sobre as águas novidade

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, no Domingo XII do Tempo Comum B. ⁠Hospital de Santa Marta⁠, Lisboa, 22 de Junho de 2024.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Uma tarde para aprender a “estar neste mundo como num grande templo”

Na Casa de Oração Santa Rafaela Maria

Uma tarde para aprender a “estar neste mundo como num grande templo”

Estamos neste mundo, não há dúvida. Mas como nos relacionamos com ele? E qual o nosso papel nele? “Estou neste mundo como num grande templo”, disse Santa Rafaela Maria, fundadora das Escravas do Sagrado Coração de Jesus, em 1905. A frase continua a inspirar as religiosas da congregação e, neste ano em que assinalam o centenário da sua morte, “a mensagem não podia ser mais atual”, garante a irmã Irene Guia ao 7MARGENS. Por isso, foi escolhida para servir de mote a uma tarde de reflexão para a qual todos estão convidados. Será este sábado, às 15 horas, na Casa de Oração Santa Rafaela Maria, em Palmela, e as inscrições ainda estão abertas.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This