Abusos sexuais na Igreja: Vítimas no Chile pedem indemnização de 1,3 milhões e um novo escândalo no Quebeque

| 7 Ago 20

Catarina Barbosa-Violência+abuso-4

Ilustração © Catarina Soares Barbosa para 7MARGENS.

​As vítimas dos crimes de abuso sexual cometidos por padres católicos da diocese de Valparaíso, no Chile, exigem do bispado local mais de 1,3 milhões de euros em indemnizações. Numa ação interposta esta quarta-feira, 5 de agosto, a diocese é acusada de ter atuado de forma negligente. No dia seguinte, era tornada pública a autorização do Supremo Tribunal de Justiça do Québec a uma ação coletiva interposta por 330 ex-residentes no orfanato Mont d’Youville, gerido pelas Missionárias da Caridade. As religiosas são acusadas da prática de abusos psicológicos, físicos e sexuais ao longo de sete décadas.

“Em Valparaíso, houve uma rede de proteção para abusadores e assediadores, a qual funcionou, durante mais de 11 anos, no Seminário San Rafael de lo Vásquez”, pode ler-se no documento de acusação apresentado pelo advogado de cinco ex-seminaristas chilenos e divulgado pelos meios de comunicação locais. Mas apesar de alguns dos padres que cometeram os crimes de abuso já terem sido condenados, as autoridades da diocese não foram responsabilizadas “pelos constantes atos de encobrimento, omissões de investigação e amedrontamento às vítimas”, acrescentam os denunciantes.

“Queremos que o bispado nos reconheça como vítimas, que reconheça os factos (…) e que isto seja o caminho para que outras pessoas que também estão a iniciar o seu processo de denúncia recebam justiça e reparação. Precisamos que não haja mais impunidade”, sublinha o documento.

Também no Québec as autoridades religiosas estão a ser acusadas de não terem feito nada para prevenir ou impedir os abusos que terão acontecido desde 1925 até 1996 no orfanato Mont d’Youville, fundado e administrado pela congregação das Missionárias da Caridade.

Após ter analisado centenas de denúncias apresentadas já em 2018, um juiz do Supremo Tribunal de Justiça reconheceu agora que “o cometimento de abusos que durou tanto tempo não poderia ter ocorrido sem o conhecimento das Irmãs da Caridade do Québec e que elas não tomaram nenhuma medida para acabar com esses abusos ou evitar a sua perpetuação”.

De  acordo com o jornal La Tribune, foram já identificados neste caso mais de 71 presumíveis agressores, entre os quais estão incluídas 55 religiosas, que terão sujeitado as crianças do orfanato a atos de violência psicológica, física e/ou sexual.

 

Artigos relacionados

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Depois de Angola e Polónia

Símbolos da JMJ iniciam peregrinação pelas dioceses de Espanha

Dez jovens da diocese da Guarda irão entregar este domingo, 5 de setembro, os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) aos jovens da diocese de Ciudad Rodrigo (Espanha), local onde terá início a peregrinação dos mesmos pelas dioceses espanholas. O encontro acontecerá na fronteira de Vilar Formoso, pelas 11h, e será seguido de uma celebração de acolhimento na Paróquia de Maria Auxiliadora, em Fuentes de Oñoro, divulgou o gabinete de imprensa da JMJ Lisboa 2023, em comunicado enviado às redações.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Dia dos Mártires

Igreja na Índia recorda massacre de 2008

Treze anos depois da onda de violência que varreu o Estado de Orissa, na Índia, provocando mais de 100 mortos, a justiça é ainda uma miragem, denuncia a Fundação AIS. Desde 2016 que é celebrado pela Igreja em Orissa o dia dos Mártires. 

Fundação AIS

Padre haitiano morto a tiro

Um padre que dirigia um orfanato no Haiti foi morto a tiro, Andrè Sylvestre, de 70 anos de idade, foi assassinado na tarde de segunda-feira, 6 de setembro, durante uma tentativa de assalto, revelou a Fundação AIS. 

IndieLisboa

Cinema: prémio Árvore da Vida atribuído a “Sopro”

O filme “Sopro”, realizado por Pocas Pascoal, uma cineasta angolana de 58 anos, foi distinguido na segunda-feira com o prémio Árvore da Vida, atribuído pelo Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura (SNPC), no final da 18.ª edição do festival de cinema independente IndieLisboa. 

Máximo histórico

Quatro em cada dez espanhóis dizem-se ateus ou não crentes

O estudo mais recente do Centro de Investigações Sociológicas de Espanha revela que quase quatro em cada dez espanhóis (38,7%) se declaram ateus ou não crentes e são apenas 16,7% os inquiridos que se assumem como católicos praticantes. Trata-se do máximo histórico do número de não crentes e do valor mais baixo alguma vez registado em relação aos católicos praticantes. Se a tendência se mantiver, estima-se que dentro de dois anos o número de não crentes no país ultrapasse, pela primeira vez, o de crentes.

Entre margens

Novo ano letivo: regressar ao normal?

Após dois conturbados anos letivos, devido à pandemia, as escolas preparam-se para um terceiro ano ainda bastante incerto, mas que desejam que seja o mais normal possível. O regresso à normalidade domina as declarações públicas de diretores escolares e de pais, alunos e professores. Este desejo de regresso à normalidade, sendo lógico e compreensível, após dois anos de imensa instabilidade, incerteza e experimentação, constitui ao mesmo tempo um sério problema.

Cultura e artes

Edgar Morin em entrevista

Só a capacidade de nos maravilharmos sustenta a resistência à crueldade e ao horror novidade

“Se formos capazes de nos maravilhar, extraímos forças para nos revoltarmos contra essas crueldades, esses horrores. Não podemos perder a capacidade de maravilhamento e encantamento” se queremos lutar contra a crise, contra as crises, afirmou Edgar Morin à Rádio Vaticano em entrevista conduzida pela jornalista Hélène Destombes e citada ontem, dia 18 de setembro, pela agência de notícias ZENIT

Cinema

Um machado, uma mulher e um cão

Se gosta de cinema e ainda for a tempo, não deixe de ver o filme de Pedro Almodóvar A Voz Humana. É uma curta-metragem (cerca de 30 minutos), complementada por uma entrevista muito interessante e esclarecedora com o realizador e a actriz, Tilda Swinton.

Terras Sem Sombra

O festival de música vai à pesca no mar de Sines

O Festival Terras Sem Sombra regressa neste fim-de-semana, com uma paragem em Sines e um programa que inclui música com o ensemble checo Clarinet Factory e duas propostas sob o signo do mar: conhecer as artes tradicionais da pesca e o património ligado à actividade piscatória do porto de Sines; e sensibilizar para a biodiversidade aprendendo a reconhecer os peixes, crustáceos e moluscos daquela zona da costa alentejana.

Sete Partidas

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

[ai1ec view=”agenda” events_limit=”3″]

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This