Abusos sexuais

Num ano, Grupo Vita recebeu 98 vítimas de abusos e 32 pediram compensação financeira

Balanço de atividade

Num ano, Grupo Vita recebeu 98 vítimas de abusos e 32 pediram compensação financeira

A dois dias de completar um ano de funcionamento, o Grupo Vita faz um balanço da sua atividade: recebeu pedidos de ajuda de “um total de 98 vítimas de violência sexual no contexto da Igreja Católica em Portugal”, tendo realizado 60 atendimentos (presenciais ou online). De acordo com uma nota enviada aos jornalistas esta segunda-feira, 20 de maio, há atualmente 18 pessoas a receber acompanhamento psicológico regular e 32 vítimas fizeram já saber que pretendem receber uma compensação financeira.

Cuidemos das vítimas

Cuidemos das vítimas

Ao ler e ouvir a voracidade com que se discute o número de casos de abusos cometidos por membros da Igreja, só me vem à cabeça a frase pronunciada por Josef Estaline: “A morte de um homem é uma tragédia, a de um milhão é apenas uma estatística.” (Opinião de Sofia Távora)

Combate aos abusos está “num ponto sem retorno”, dizem bispos, mas há ainda poucas metas concretas

Papa critica quem minimiza vítimas

Combate aos abusos está “num ponto sem retorno”, dizem bispos, mas há ainda poucas metas concretas

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) diz que está “num ponto sem retorno” no combate aos abusos sexuais na Igreja, informa que as congregações religiosas receberão as listas com alegados abusadores até final de Abril e afirma que estão a ser feitos contactos para a “criação de um grupo responsável pelo acolhimento e acompanhamento das vítimas”.

E depois dos abusos, que Igreja Católica?

E depois dos abusos, que Igreja Católica?

Sei que há muitos e muitas para quem a fé, mais do que uma vivência, é um conjunto de ritos e de práticas que tendem a manter o seu próprio estatuto, o seu poder e a sua aparência. Para estes, a questão dos abusos será entendida como um desvio de alguns e o tempo, como sempre tem acontecido, tudo resolverá. (Opinião de José Centeio).

Canadá: 27 jesuítas acusados de pedofilia

Afastados os 3 padres no ativo

Canadá: 27 jesuítas acusados de pedofilia

A Companhia de Jesus no Canadá divulgou esta segunda-feira, 13 de março, uma lista com os 27 religiosos da sua congregação acusados “de forma credível” de abuso sexual de menores desde 1950. Do total, apenas três se encontram vivos, tendo já sido “afastados do ministério ativo enquanto as suas ações são investigadas” e colocados “sob supervisão estrita”, assegura o provincial canadiano, Erik Oland.

Completou-se o tempo

Completou-se o tempo

  Todos nós, em particular os católicos, deveríamos aferir a nossa vida pelo critério supremo da fidelidade ao «seguimento radical da ‘vida em acto’ de Jesus de Nazaré». Todos os conflitos, que, com naturalidade, surgem nas nossas vidas (íntimas e sociais),...

Uma mão vazia de compromissos

Uma mão vazia de compromissos

Perante a gravidade do que foi revelado e tendo sido identificados vários padres alegadamente abusadores ainda em actividade eclesiástica na igreja portuguesa, a expectativa sobre a reacção da Conferência Episcopal Portuguesa era necessariamente grande, mas a onda de desilusão e indignação com o que foi apresentado é enorme.

Bispos de Lisboa e Porto pedem mais dados antes de suspender alegados abusadores

Guarda e Braga afastam padres

Bispos de Lisboa e Porto pedem mais dados antes de suspender alegados abusadores

A diocese do Porto anunciou esta sexta-feira, 10 de março, ter iniciado investigações prévias relativas aos sete padres no ativo que constam da lista entregue pela Comissão Independente (CI), sem os suspender para já. Poucas horas antes, o patriarcado de Lisboa fazia saber que a lista nominal entregue ao cardeal Manuel Clemente incluía cinco clérigos no ativo. Foram solicitados mais dados à comissão que “permitam fundamentar a proibição do exercício público do ministério” e também aqui não se avançou, por enquanto, com qualquer afastamento.

Abusos: um passo em frente e cinco questões urgentes

Editorial 7M

Abusos: um passo em frente e cinco questões urgentes

Percebe-se hoje que boa parte da atrapalhação de D. José Ornelas na apresentação das conclusões da reunião plenária da Conferência Episcopal Portuguesa da passada sexta-feira, dia 3 de março, provinha do facto de estar a defender ideias que não são suas e procedimentos com que não concorda.

Presidente Marcelo: “Foi uma desilusão a posição da Conferência Episcopal” sobre o combate aos abusos

Ornelas admite que não passou mensagem que pretendia

Presidente Marcelo: “Foi uma desilusão a posição da Conferência Episcopal” sobre o combate aos abusos

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou nesta quinta-feira à noite que “foi uma desilusão a posição da Conferência Episcopal” Portuguesa (CEP) para reagir ao relatório da Comissão Independente (CI) que estudou os abusos sexuais na Igreja Católica em Portugal.

Abusos sexuais: Blasfémia!

[O flagelo que não acaba (V)]

Abusos sexuais: Blasfémia!

A realidade nauseabunda dos abusos, o flagelo que não acaba, não é um problema português, nem italiano, nem francês, nem espanhol. É um problema da Igreja, de toda ela e, portanto, de todos nós que nos consideramos Igreja. Porque, embora não gostemos de o reconhecer, a nossa Igreja está podre até à raiz. (Crónica de Cristina Inogés Sanz, teóloga e integra a comissão metodológica do Sínodo dos Bispos católicos).

Padre Rupnik pode ter abusado de menor e concelebra em público

Perito do Vaticano comenta opacidade na Igreja

Padre Rupnik pode ter abusado de menor e concelebra em público

Há três razões pelas quais ainda não se vê muita transparência na Igreja em relação aos abusos sexuais. “Uma delas é que não se quer apontar o dedo para a própria instituição. Quando alguém se apega à imagem e quer preservar uma imagem e uma reputação supostamente atraentes, não quer admitir erros”. A afirmação é do padre e psicólogo alemão Hans Zöllner, S.J., perito do Vaticano em questões de abusos.

João Paulo II ocultou abusos de menores quando era arcebispo, denunciam investigações jornalísticas

Reportagem televisiva e livro

João Paulo II ocultou abusos de menores quando era arcebispo, denunciam investigações jornalísticas

Uma investigação da estação privada polaca TVN24 e um novo livro escrito por um repórter neerlandês a viver na Polónia revelaram esta semana que Karol Wojtyla, enquanto cardeal e bispo de Cracóvia, teve conhecimento de casos de pedofilia cometidos na sua diocese e optou por transferir os alegados abusadores de paróquia, encobrindo assim o sucedido. 

Parlamento convoca bispos, Comissão Independente e sociedade civil sobre abusos sexuais

Episcopado quer “ser parte activa”

Parlamento convoca bispos, Comissão Independente e sociedade civil sobre abusos sexuais

A Assembleia da República aprovou nesta quarta-feira, um conjunto de audições sobre abusos sexuais. Entre as pessoas e entidades a serem ouvidas estão o presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, o patriarca de Lisboa, os membros da Comissão Independente (para o Estudo dos Abusos Sexuais na Igreja Católica em Portugal e a ministra da Justiça.

Destruíram a minha esperança!

Destruíram a minha esperança!

Ao assistir à conferência de imprensa da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) senti vergonha, revolta e uma total ausência de esperança nesta hierarquia. Que pena, que oportunidade perdida! (Opinião de Sílvia Monteiro)

A proteção das vítimas exige muito mais

A proteção das vítimas exige muito mais

Na sequência do terramoto de emoções causado pela divulgação do relatório da Comissão Independente sobre os Abusos Sexuais na Igreja Católica muito tem sido escrito e pensado sobre este problema de saúde pública de enorme relevância. É bom que finalmente assim seja. (Opinião de Alice Caldeira Cabral)

Abusos sexuais e recrutamento dos padres

Abusos sexuais e recrutamento dos padres

O relatório da Comissão Independente para a investigação dos crimes de abusos sexuais na Igreja Católica veio tornar público aquilo que já se esperava. Os portugueses não são diferentes dos outros povos. A investigação em outros países já tinha trazido a lume esta ignomínia. — a opinião de Jorge Paulo

Bispos decidem que caminhos tomar para afrontar abusos

Assembleia em Fátima sexta-feira

Bispos decidem que caminhos tomar para afrontar abusos

É imprevisível o que pode sair da assembleia plenária extraordinária da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), que decorre esta sexta-feira, 3 de Março, em Fátima, após quatro dias de retiro. Os bispos encontram-se para decidir que medidas tomar na sequência do relatório da Comissão Independente (CI) para o Estudo dos Abusos Sexuais na Igreja Católica em Portugal, mas as diferenças de opiniões internas não permitem antecipar cenários seguros.

Abusos sexuais: centenas de católicos apontam tarefas aos bispos

“Uma Igreja onde todos se possam acolher”

Abusos sexuais: centenas de católicos apontam tarefas aos bispos

Criar modos de viabilizar apoio e ajuda psicológica, psiquiátrica e espiritual às vítimas de abusos sexuais que o pretendam; instituir um momento solene e coletivo para pedir-lhes perdão; e criar uma nova comissão independente que prossiga o trabalho da anterior, recebendo denúncias e acompanhando casos – são estas algumas das medidas que mais de duas centenas de instituições e pessoas católicas propõem que os bispos portugueses adotem, na assembleia extraordinária que nesta sexta-feira, 3 de março, realizam em Fátima.

Vítimas não confiam na comissão criada pelos bispos

Abusos sexuais em Espanha

Vítimas não confiam na comissão criada pelos bispos

Criada há um ano, a comissão de investigação dos abusos sexuais contra menores cometidos no âmbito da Igreja Católica espanhola não teve, nem terá, acesso generalizado aos arquivos diocesanos, paroquiais ou das ordens religiosas do país, pelo que recolheu apenas 150 depoimentos de vítimas e assume que nem tem como objetivo “apresentar um relatório quantitativo”, revela uma extensa reportagem do jornal El País, publicada dia 1 de março.

Abusos sexuais: pedir perdão e encetar “a reforma de que precisamos”

Superior Provincial dos Espiritanos

Abusos sexuais: pedir perdão e encetar “a reforma de que precisamos”

“Impõe-se que a crise por que passamos seja a oportunidade da reforma de que precisamos”, escreve o padre Pedro Fernandes, Superior Provincial dos Espiritanos, no documento intitulado “Perdão”, publicado esta sexta-feira, dia 24 de fevereiro, no site dos Missionários do Espírito Santo em Portugal, a propósito da divulgação do relatório da Comissão Independente para o estudo dos abusos sexuais na Igreja Católica na semana passada.

Relatório sobre abusos “também nos implica e afeta”, diz bispo da Igreja Lusitana

Desafio e responsabilidade comuns

Relatório sobre abusos “também nos implica e afeta”, diz bispo da Igreja Lusitana

O relatório sobre os abusos sexuais de menores na Igreja Católica “naturalmente que implica também e diz respeito às outras Igrejas cristãs”, defende o bispo da Igreja Lusitana (Comunhão Anlicanas), Jorge Pina Cabral. Na sua homilia de Quarta-feira de Cinzas, o também presidente do Conselho Português de Igrejas Cristãs (COPIC) fez questão de lembrar que a Igreja é “una” e que “este mesmo drama dos abusos sexuais a crianças e adultos vulneráveis existiu e existe na Comunhão Anglicana”.

Padre encontrado morto no Gerês terá praticado assédio há sete anos

Sem outros indícios de abusos

Padre encontrado morto no Gerês terá praticado assédio há sete anos

O padre José António Gonçalves, encontrado morto na barragem de Vilarinho das Furnas (Gerês) na passada segunda-feira, 21 de fevereiro, foi alvo, nesse mesmo dia, de uma queixa por assédio a um adulto vulnerável. O caso, apresentado pela família da alegada vítima ao arcebispo de Évora, teria acontecido “há sete, oito anos”, adiantou o departamento de comunicação daquela diocese ao 7MARGENS.

A pena de Deus

A pena de Deus

Em pequeno opúsculo intitulado Madre Teresa Beata, há uma citação inicial da própria madre Teresa que diz o seguinte: “Foi tudo obra de Deus. Nada foi obra minha. Não sou mais que um pequeno lápis na mão de Deus.” (Opinião de Rui Estrada)

Centenas de católicos em vigília pela “necessidade de manifestar às vítimas o pedido de perdão”

PGR abriu 15 inquéritos por abusos

Centenas de católicos em vigília pela “necessidade de manifestar às vítimas o pedido de perdão”

Às nove da noite desta quarta-feira algumas centenas de pessoas concentraram-se à porta da igreja dos Jerónimos para a vigília convocada por um grupo informal de católicos. “A necessidade de manifestar às vítimas e seus familiares o nosso pedido de perdão”, era, de acordo com a declaração inicial do grupo que a convocou, o objectivo da iniciativa, à qual acabaria por se juntar também, sozinho, o patriarca de Lisboa.

Abusos sexuais na Igreja: Quarenta dias e quarenta noites para (re)começar?

Opinião e debate

Abusos sexuais na Igreja: Quarenta dias e quarenta noites para (re)começar?

Tantas crianças abusadas por membros do clero! Como foi possível? Foram e são crianças, senhores! Exatamente aquelas que Jesus indicou como o foco do amor e da atenção, na sua imensa fragilidade e ternura: as crianças, os indefesos, os pobres, os que choram, os famintos, os presos, os negligenciados, os desamparados, os excluídos, os “pequeninos”. O que lhes fizestes a mim o fizestes, disse Jesus. (Opinião de Joaquim Azevedo)

Igreja Católica: e agora?

Igreja Católica: e agora?

A Igreja Católica portuguesa tem, e agora ainda mais, o dever de dar um contributo para a reforma necessária, levando ao Sínodo, com clareza e verdade, as principais preocupações dos católicos portugueses que a própria Conferência Episcopal Portuguesa resumiu no Relatório de Portugal ao Sínodo 2021-2023. (Opinião de Ana Bessa)

Nós, os vencidos do catolicismo

Nós, os vencidos do catolicismo

Roubo o título para este texto ao poema de Ruy Belo e a um livro de memórias de João Bénard da Costa, que nos tumultuosos anos 1960 perderam a fé ou apenas a esperança, vencidos por uma Igreja velha, autoritária. Deixaram de lutar, perderam-se na luta da fé. Talvez como eu, sim, nestes tempos mais recentes. — a opinião de Miguel Marujo

Vaticano quer “ajudar a Igreja em Portugal” a atuar contra os abusos

Comunicado do cardeal O'Malley

Vaticano quer “ajudar a Igreja em Portugal” a atuar contra os abusos

O presidente da Comissão Pontifícia para a Proteção de Menores, cardeal Sean O’Malley, destacou esta sexta-feira, 17 de fevereiro, a importância do relatório sobre abusos sexuais de crianças apresentado na segunda-feira pela Comissão Independente designada pela Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) e disponibilizou-se para “ajudar a Igreja em Portugal na sua reflexão sobre as recomendações” contidas no mesmo.

Sexualidade na Igreja Católica não é procriação

Sexualidade na Igreja Católica não é procriação

Em 1979, o Papa João Paulo II começou a fazer umas catequeses sobre a Teologia do Corpo (TC) que duraram cinco anos. Assim, no próximo ano de 2024, faz 40 anos que na Igreja Católica, a moral sexual teve uma actualização imensamente profunda, que me marcou quando era jovem, e daí que a sua versão seja a “TC-40”. (Opinião de Miguel Panão)

Do “não ter onde assentar a cabeça” ao alheamento do mundo

Do “não ter onde assentar a cabeça” ao alheamento do mundo

Jesus, que dizia de si próprio “não ter uma pedra onde assentar a cabeça”, rodeou-se de um grupo de discípulas e discípulos que o seguiam. Retiravam-se para a oração com frequência, mas viviam no mundo: eram pescadores, muitos deveriam ser agricultores, se tivermos em conta o tipo de simbologia utilizada por Jesus nas suas parábolas. Jesus falava de Deus a partir da linguagem comum do seu tempo e a partir das vivências daqueles que O ouviam. (Opinião de Teresa Toldy)

Número de abusadores dentro dos Jesuítas subiu para 12. Já todos morreram

Após estudo da Comissão Independente

Número de abusadores dentro dos Jesuítas subiu para 12. Já todos morreram

Cresceu para 12 o número de alegados abusadores de crianças e jovens identificados pela Província Portuguesa da Companhia de Jesus (PPCJ) no âmbito das suas atividades: mais concretamente, 11 padres jesuítas e um leigo, todos eles “já falecidos”. O estudo da Comissão Independente permitiu atualizar o balanço que havia sido feito pela ordem religiosa em setembro do ano passado.

Penitência! Penitência! Penitência!

Penitência! Penitência! Penitência!

Folheei, com a atenção possível, tendo em conta o horror sentido, o relatório apresentado pela comissão nomeada pela Igreja, a fim de analisar os abusos sexuais praticados em contexto eclesial. Procurei o que lá não está: o nome das comunidades em que tais actos foram praticados, o nome das paróquias e freguesias onde cresceram os abusadores. (Opinião de Ruy Ventura)

Abusos na Igreja

Costa elogia coragem e admite tirar lições para outros domínios

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou nesta terça-feira que a informação contida no relatório da Comissão Independente (CI) para os Estudo dos Abusos Sexuais na Igreja em Portugal “obviamente choca toda a sociedade, nos perturba a todos, porque não sinaliza só abusos sobre crianças no seio da Igreja ou nos espaços da Igreja” mas traduz “uma realidade transversal à sociedade”.

Com mais de 100 alegados abusadores vivos, Igreja tem de “atuar”, diz comissão

Estudo faz recomendações concretas

Com mais de 100 alegados abusadores vivos, Igreja tem de “atuar”, diz comissão

O coordenador da Comissão Independente (CI) para o Estudo dos Abusos Sexuais contra as Crianças na Igreja Católica em Portugal, Pedro Strecht, estima que mais de uma centena dos religiosos apontados como alegados abusadores ainda se encontrem vivos, e alguns deles no ativo. Face ao elevado risco de reincidirem no mesmo crime, o relatório pede medidas concretas da parte da Igreja, a começar pelo impedimento de que essas pessoas estejam na proximidade de crianças e jovens.

Os abusos contados na primeira pessoa

Relatório dá "voz ao silêncio"

Os abusos contados na primeira pessoa

O relatório final apresentado esta segunda-feira, 13 de fevereiro, pela Comissão Independente para o Estudo dos Abusos Sexuais de Crianças na Igreja Católica Portuguesa, que revelou que pelo menos 4.815 crianças foram vítimas de abusos na Igreja entre 1950 e 2022, inclui os testemunhos de muitas delas. Partilhamos na íntegra as sete histórias, contadas na primeira pessoa, cujos resumos foram lidos pelos sociólogos Ana Nunes de Almeida e Vasco Ramos, durante a sessão de apresentação do documento. 

Passo importante para lidar com as vítimas, dizem uma sobrevivente e o primeiro subscritor da carta aberta aos bispos

Relatório sobre abusos

Passo importante para lidar com as vítimas, dizem uma sobrevivente e o primeiro subscritor da carta aberta aos bispos

“Foi um passo importante, que ajuda a uma maior consciencialização do problema”, diz Alice (nome fictício), sobrevivente de abusos que criou o site Coração Silenciado, dedicado a vítimas de violência sexual na Igreja. Alice reagiu desta forma ao relatório da Comissão Independente (CI) que estudou esta realidade na Igreja Católica em Portugal, apresentado nesta segunda-feira em Lisboa.

“Uma ferida aberta que nos dói e nos envergonha”

Primeira reacção dos bispos

“Uma ferida aberta que nos dói e nos envergonha”

Os abusos sexuais cometidos por membros do clero português são “crimes que podem ter estado na origem de dramas e sofrimentos incomensuráveis que marcaram vidas inteiras”, é “uma ferida aberta que nos dói e nos envergonha”, disse o presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP, José Ornelas, na primeira declaração acerca do relatório sobre os Abusos Sexuais de Crianças na Igreja Católica.

“Há vidas de pessoas feridas por trás dos números”

Padre Zollner, do Vaticano:

“Há vidas de pessoas feridas por trás dos números”

Por detrás dos números que nesta segunda-feira foram apresentados na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, “há vidas individuais”, há “um coração ferido, uma história de família ferida, há certamente muito que é preciso curar”, disse o padre jesuíta alemão Hans Zollner, membro da Comissão de Protecção de Menores, do Vaticano, e responsável do Instituto de Antropologia da Universidade Gregoriana.

Testemunho de uma vítima de abuso ao 7M: “Não precisamos que nos julguem, precisamos de apoio”

Relatório apresentado esta segunda, em Lisboa

Testemunho de uma vítima de abuso ao 7M: “Não precisamos que nos julguem, precisamos de apoio”

O que Alice (nome fictício) gostaria era que os bispos católicos promovessem, a partir de agora, “ambientes seguros e de ajuda” para as vítimas de abuso sexual por parte de membros do clero, com uma estrutura destinada a acolher novas eventuais denúncias e capaz de dar “apoio psicológico, perguntando a cada vítima o que precisa e o que pode ser feito: não precisamos que nos julguem, precisamos de apoio”.

Cristina Inogés Sanz: O abuso de poder é a raiz de todos os outros, incluindo o abuso sexual

Segunda parte da entrevista ao 7Margens

Cristina Inogés Sanz: O abuso de poder é a raiz de todos os outros, incluindo o abuso sexual

O abuso de poder é a raiz e o tronco a partir do qual saem os ramos de todos os outros que conhecemos, diz a teóloga espanhola Cristina Inogés Sanz. Nesta segunda parte da entrevista ao 7MARGENS, aborda-se a formação afectiva do clero e da relação com as mulheres, o acolhimento de pessoas LGBTI, o Sínodo e o que se espera do Papa, depois da morte de Ratzinger.

Vaticano arquivou caso do padre do Colégio S. Tomás, em Lisboa

Visado falou com pais dos alunos

Vaticano arquivou caso do padre do Colégio S. Tomás, em Lisboa

A Santa Sé arquivou o processo canónico relativo ao envio de mensagens através da rede WhatsApp que envolvia o padre Duarte Andrade e Sousa, de Lisboa. Apesar de nenhum dos pais dos alunos que integravam o grupo de mensagens ter sido ouvido por responsáveis da diocese, fonte do Patriarcado garante que o próprio padre falou com todos os pais dos alunos que integravam o grupo de WhatsApp, depois de o caso ter surgido.

Lista de padres pedófilos em Itália contém mais de 400 nomes

Casos de abusos nos últimos 15 anos

Lista de padres pedófilos em Itália contém mais de 400 nomes

Nos últimos 15 anos, 164 padres foram condenados por abuso sexual de menores em Itália. A listagem divulgada em conferência de Imprensa pela organização Rete L’ABUSO no dia 1 de fevereiro foi apresentada como “um inventário incompleto” dos clérigos predadores objeto de condenações definitivas, a que se juntam 88 nomes de padres sinalizados pelas suas vítimas, mas cujos casos não foram objeto de investigação criminal por já terem prescrito os crimes de que foram acusados.

Jean Vanier: abusos sexuais foram uma constante

Divulgados dois relatórios

Jean Vanier: abusos sexuais foram uma constante

Dois relatórios, grossos de mais de 700 páginas cada, conhecidos nesta segunda-feira, 30 de janeiro, em França, dão conta de que Jean Vanier, fundador d’A Arca, não só participou nas práticas escabrosas de abuso sexual do dominicano Thomas Philippe (1905-1993), como as reproduziu com mulheres não-deficientes durante décadas após Roma ter condenado o padre dominicano.

Conhecido padre francês anti-gay castigado por abusar sexualmente de rapazes adultos

Foi consultor do Vaticano

Conhecido padre francês anti-gay castigado por abusar sexualmente de rapazes adultos

Cessação de qualquer atividade relacionada com a psicoterapia, fim de publicação de livros, de participação em colóquios, reuniões públicas, e conferências são algumas das medidas canónicas que a diocese católica de Paris acaba de impor a Tony Anatrella, um conhecido padre e psicoterapeuta que tem defendido teorias anti-gay e que foi acusado de vários abusos sexuais sobre jovens rapazes.

Universidade Gregoriana cortou vínculo com o padre Rupnik

Roma

Universidade Gregoriana cortou vínculo com o padre Rupnik

O reitor da Pontifícia Universidade Gregoriana anunciou nesta última semana, numa reunião académica, o fim da colaboração do padre jesuíta Marco Ivan Rupnik, na sequência da vinda a público de vários casos de agressões sexuais e abusos de poder relativamente a mulheres consagradas, que foram já parcialmente objeto de apreciação pelo Vaticano.

“A Igreja deixa no escuro as vítimas de abusos que ousam denunciar”

Arcebispo Charles Scicluna

“A Igreja deixa no escuro as vítimas de abusos que ousam denunciar”

O Vaticano não está num “um ponto ideal” no que diz respeito ao acompanhamento das vítimas de abusos na Igreja, o que faz com que este assunto seja “algo que precisa de ser desenvolvido”. Quem o afirma é o arcebispo de Malta, Charles Scicluna, uma figura da Igreja Católica que mais larga experiência de casos de abusos do clero tem, primeiro como funcionário da então Congregação para a Doutrina da Fé (2002-2012) e, depois, também como bispo. Desde 2018, Scicluna ocupa o cargo de secretário-adjunto do Dicastério para a Doutrina da Fé.

Comunidade de Taizé empenhada em fazer do encontro europeu um “lugar seguro”

Portuguesa na nova "equipa de proteção"

Comunidade de Taizé empenhada em fazer do encontro europeu um “lugar seguro”

A pouco mais de uma semana do 45º Encontro Europeu de Taizé, que terá lugar em Rostock (Alemanha), de 28 de dezembro a 1 de janeiro, e para o qual são esperados cerca de cinco mil jovens, uma mulher alemã denunciou publicamente ter sido alvo de assédio sexual por parte de um dos irmãos daquela comunidade ecuménica e alertou para o facto de situações semelhantes poderem acontecer neste encontro. “Empenhada em fazer de Taizé um lugar mais seguro”, a própria comunidade havia já publicado, no início de dezembro, no seu sítio online, um relatório atualizado sobre aquilo que fez pela “proteção de pessoas” desde 2019 até novembro deste ano. Uma das medidas mais recentes consistiu em criar uma nova “equipa de proteção” composta por pessoas de fora da comunidade, e que conta com um elemento português.

Jesuítas querem que as vítimas do padre Rupnik se manifestem

Criaram e-mail e equipa de apoio

Jesuítas querem que as vítimas do padre Rupnik se manifestem

A Companhia de Jesus convidou as pessoas que se considerem vítimas de abuso por parte do padre Marko Yvan Rupnik a contactar aquela ordem, tendo disponibilizado um endereço de correio para esse fim. Ao mesmo tempo que os Jesuítas abriam a conta de e-mail, na expectativa de que as vítimas do padre Rupnik se apresentem a denunciá-lo, uma destas vítimas, de nome fictício Anna, dava uma longa entrevista ao jornal italiano Domani em que escancarava a sua história de abusos físicos, de consciência e sexuais e o modo como se comportaram figuras relevantes da Igreja, quando ela se dispôs a denunciar a situação.

Padre Rupnik foi excomungado e perdoado a seguir, num segundo caso de abuso

Geral dos Jesuítas reconhece

Padre Rupnik foi excomungado e perdoado a seguir, num segundo caso de abuso

Adensam-se as perguntas em torno do caso dos abusos atribuídos ao padre e artista jesuíta Marko Rupnik. O superior geral da Companhia de Jesus, padre Arturo Sosa, reconheceu esta quinta-feira que o mundialmente conhecido especialista de arte cristã já tinha sido condenado em 2020 pelo Dicastério da Doutrina da Fé (DDF) por um dos delitos mais graves do direito canónico, o de absolvição de um(a) cúmplice em confissão.

Bispos condenam eutanásia e mobilizam apoio à Ucrânia

Conselho permanente

Bispos condenam eutanásia e mobilizam apoio à Ucrânia

O conselho permanente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) manifestou “a sua tristeza” pela aprovação da lei da eutanásia, esperando que o diploma “possa ainda ser alterado, dado o processo legislativo não estar ainda concluído”. Os bispos católicos reiteram ainda o que a CEP já expressou na semana passada.

As pandeiretas e o silêncio

As pandeiretas e o silêncio

Por tudo isso fui espectador interessado do filme Spotlight, de 2015, cuja história se passa no interior de um dos mais importantes jornais dos EUA – o Boston Globe. Um dos aspectos mais curiosos do enredo do filme foi a leitura dos Anuários da Arquidiocese de Boston que permitiu perceber as deslocações anuais dos sacerdotes nas várias paróquias. Como num jogo de dominó, as peças foram-se juntando.

A crise dos abusos deve estar no centro do processo sinodal convocado pelo Papa

A crise dos abusos deve estar no centro do processo sinodal convocado pelo Papa

Deve entender-se que as oportunidades do processo sinodal que inicia em breve a sua fase continental estão estreitamente ligadas ao que a Igreja Católica faz e não faz na crise dos abusos. Trata-se da crise dos abusos, mesmo quando não se refere explicitamente a crise dos abusos. Se há uma questão sobre a qual os católicos em muitos países decidirão se querem ficar ou partir, é a reforma da Igreja como resposta credível à crise dos abusos.

O controverso Timothy Broglio é o novo líder dos bispos norte-americanos

Eleito por maioria

O controverso Timothy Broglio é o novo líder dos bispos norte-americanos

A Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos (USCCB) acaba de eleger para seu novo presidente Timothy Broglio, bispo das forças armadas e ex-núncio da República Dominicana. A figura escolhida esta terça-feira, 15 de novembro, pelos bispos norte-americanos, reunidos em Baltimore para a sua assembleia plenária de outono, é controversa e as críticas não se fizeram esperar: é que Broglio foi secretário particular de Angelo Sodano, o cardeal acusado de ter encoberto inúmeros crimes de pedofilia dentro da Igreja.

Vaticano inicia investigação sobre cardeal francês

Ricard integra Cúria Romana

Vaticano inicia investigação sobre cardeal francês

É mais uma pedra gigante que se junta à crise violenta que afeta a Igreja Católica francesa. O Vaticano divulgou nesta sexta-feira que vai iniciar uma investigação preliminar ao cardeal Jean-Pierre Ricard por abusos sexuais, depois de o próprio ter admitido se ter comportado de “forma repreensível” com uma menina de 14 anos há 35 anos.

Cardeal Ricard reconhece abuso de menor e eleva para 11 número de bispos envolvidos em escândalos

Igreja francesa vive pesadelo permanente

Cardeal Ricard reconhece abuso de menor e eleva para 11 número de bispos envolvidos em escândalos

O cardeal Jean-Pierre Ricard, arcebispo emérito de Bordéus, duas vezes presidente da Conferência dos Bispos de França (CBF), reconheceu esta segunda-feira, 7, publicamente ter-se conduzido “de modo repreensível com uma menina de 14 anos” quando, há 35 anos, já era padre. O comunicado do cardeal de 77 anos caiu como uma bomba na reunião plenária da CBF, levando o seu presidente, o arcebispo de Reims, Éric de Moulins-Beaufort, a convocar os jornalistas para ler uma longa declaração sobre este e outros casos de abusos sexuais.

Abusos, sínodo e JMJ em debate na assembleia de bispos em Fátima

Entre 7 e 10 de novembro

Abusos, sínodo e JMJ em debate na assembleia de bispos em Fátima

Os bispos portugueses estarão reunidos a partir da tarde desta segunda-feira, 7, e até à próxima quinta-feira, em Fátima, para uma nova assembleia plenária da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP). Entre os temas em agenda incluem-se a Jornada Mundial da Juventude 2023, e a participação na etapa continental do Sínodo 2021-2024. Será também feito um ponto de situação sobre o processo de “proteção de menores e adultos vulneráveis”.

Dois padres acusados de alegados abusos e obscenidades tiveram processos arquivados

Pároco de Massamá celebrou missa antes de Patriarcado divulgar decisão

Dois padres acusados de alegados abusos e obscenidades tiveram processos arquivados

O processo de averiguação canónica relacionado com o padre Luís Cláudio Ferreira dos Santos, pároco de Massamá (Sintra) e o processo civil envolvendo o padre Duarte Andrade e Sousa, que acompanhava alunos no Colégio de São Tomás, em Lisboa, foram arquivados. Em ambos, estavam em causa alegados abusos ou assédio e as decisões foram anunciadas pelo Patriarcado.

Nova Comissão prepara relatório sobre a proteção da Igreja aos menores em todo o mundo

Não deverá sair antes de 2024

Nova Comissão prepara relatório sobre a proteção da Igreja aos menores em todo o mundo

A “nova” Comissão Pontifícia para a Proteção de Menores já iniciou os trabalhos. Com um número renovado de membros, reuniu-se no Vaticano no final de Outubro e lançou as bases para a elaboração de um relatório anual sobre os esforços da Igreja Católica a nível mundial em matéria de protecção de menores, que não deve estar pronto antes de 2024.

Padre suspeito aguarda inquérito em liberdade, mas com medidas de coacção

Foz Côa

Padre suspeito aguarda inquérito em liberdade, mas com medidas de coacção

António Júlio Pinto, o padre de Foz Côa detido por suspeitas de tráfico de ser humano e abuso de pessoa incapaz de resistência, aguardará o desenvolvimento do inquérito em liberdade, assim decidiu o Tribunal de Matosinhos. De acordo com o Jornal de Notícias, o juiz aplicou-lhe a medida de coação de apresentações quinzenais às autoridades, bem como a proibição de contactar a vítima.

Padre detido tinha tentado frequentar o seminário uma primeira vez, mas em vão

Acusado de tráfico de pessoas e de abuso sexual

Padre detido tinha tentado frequentar o seminário uma primeira vez, mas em vão

O padre que foi detido esta quinta-feira pela Polícia Judiciária (PJ) pela alegada prática de crimes de tráfico de pessoas e de abuso sexual de pessoa incapaz de resistência, em Vila Nova de Foz Côa, só entrou para o seminário em 2006/2007 e foi ordenado padre em 2013, aos 53 anos. No entanto, já tentara anos antes frequentar o seminário, mas em vão – sabe o 7MARGENS.

Registo criminal “não deve impedir a participação de ninguém na JMJ”

Reclusos e pastoral penitenciária apreensivos

Registo criminal “não deve impedir a participação de ninguém na JMJ”

A afirmação do bispo auxiliar de Lisboa, Américo Aguiar, de que os colaboradores e voluntários da organização da Jornada Mundial da Juventude têm de apresentar o seu registo criminal foi acolhida com perplexidade e “tristeza” por alguns agentes da pastoral penitenciária e reclusos, que consideram essa exigência “incoerente” com os princípios cristãos. 

Bispo do Porto fez silêncio, declara pedir perdão e afirma “tolerância zero”

Do “meteorito” ao crime não público

Bispo do Porto fez silêncio, declara pedir perdão e afirma “tolerância zero”

O bispo do Porto publicou esta terça-feira, 25, uma nota episcopal com “esclarecimentos sobre a questão dos abusos sexuais” sobre menores. Quinze dias depois de declarações polémicas sobre o conceito de “crime público” e quatro anos depois de ter comparado a necessidade de investigar os abusos à queda de um “meteorito” na cidade do Porto, Manuel Linda assume não ter sido feliz, reconhece a ingenuidade no uso de algumas expressões e admite que “a realidade é muito mais sombria e dolorosa” do que pensava.

Padres sob pressão, sem confiança nos bispos e com medo de falsas acusações

Estudo norte-americano revela

Padres sob pressão, sem confiança nos bispos e com medo de falsas acusações

Um estudo que afirma ser fruto da maior sondagem realizada a padres católicos nos Estados Unidos da América (EUA) nos últimos 50 anos concluiu que, apesar dos níveis de bem-estar e realização pessoal serem relativamente altos entre a classe, há uma percentagem significativa de sacerdotes com sintomas de esgotamento, desconfiança em relação aos seus bispos, e que receiam ser falsamente acusados de má conduta.

Abuso de freiras na Igreja Católica: um tema tabu

Na África, mas não só

Abuso de freiras na Igreja Católica: um tema tabu

O abuso de freiras por parte de membros do clero em África foi o tema da tese de doutoramento que uma freira do Togo, Mary Lembo de seu nome, defendeu na Universidade Gregoriana, em Roma, em 2019, tendo sido aprovada com a classificação máxima (suma cum laude) e, na ocasião, felicitada pela sua coragem. O trabalho acaba de ser publicado em livro nas edições Salvator, em França, com o título “Réligieuses abusées en Afrique – Faire la vérité” [Religiosas abusadas em África – falar verdade].

Cada caso de abusos na Igreja “é uma derrota” e “contradiz radicalmente a nossa missão”

Bispo Ornelas em Fátima

Cada caso de abusos na Igreja “é uma derrota” e “contradiz radicalmente a nossa missão”

Garantindo estar “tranquilo” e não ter sido responsável por “nenhuma manobra de encobrimento” de abusos sexuais na Igreja, o presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), José Ornelas, assumiu esta quarta-feira, 12, que “cada caso [de abuso de crianças] que acontece é uma derrota” e “qualquer número é sempre demasiado”.

Arcebispo de Braga foi a Joane pedir perdão e aprofundar “processo de purificação”

Dehonianos criam linha de escuta

Arcebispo de Braga foi a Joane pedir perdão e aprofundar “processo de purificação”

A igreja do Divino Salvador de Joane encheu com cerca de 200 pessoas que ouviram o arcebispo de Braga, José Cordeiro, dizer que a denúncia de abusos em Joane (Famalicão) e a consequente exposição mediática da comunidade é uma experiência que “pode contribuir para o aprofundamento de um processo de purificação” que a Arquidiocese de Braga está ainda a iniciar.

Ximenes Belo acusado de abusos sexuais por pelo menos duas alegadas vítimas

Investigação publicada nos Países Baixos

Ximenes Belo acusado de abusos sexuais por pelo menos duas alegadas vítimas

Habituámo-nos a olhar para o bispo Ximenes Belo, antigo administrador apostólico de Díli e Prémio Nobel da Paz, como alguém que protegia e defendia os mais frágeis, por isso a história é ainda mais chocante: há pelo menos duas pessoas que acusam Carlos Ximenes Belo de abusos sexuais, de acordo com uma investigação do semanário neerlandês De Groene Amsterdammer, publicada nesta quarta-feira, 28 de Setembro, na sua página digital.

Bispos respondem a críticas ao “Relatório de Portugal ao Sínodo”

Após reunião em Fátima

Bispos respondem a críticas ao “Relatório de Portugal ao Sínodo”

Os conteúdos do Relatório de Portugal ao Sínodo 2021-2023 “não foram inventados” pela comissão criada pela Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) para a sua redação, esclareceu em comunicado divulgado esta terça-feira, 13, o padre Manuel Barbosa, secretário e porta-voz daquele organismo. Esses conteúdos “encontram-se nos documentos” enviados pelas diferentes dioceses e “é importante ouvi-los, discerni-los, completá-los ou reformulá-los, mas não descartá-los”, sublinhou.

Abusos sexuais: um problema sintomático e sistémico, e o confronto entre modelos de igreja

2ª de 3 crónicas sinodais

Abusos sexuais: um problema sintomático e sistémico, e o confronto entre modelos de igreja

Não podemos deixar de nos interrogar sobre a enorme dificuldade de introspecção da Igreja e a sua opção por demasiadas vezes relativizar, esconder ou dissimular o problema. Ela decorre da sua própria organização e cultura clericalista, própria da Igreja administrativo-funcionalista; será particularmente difícil que ela própria proponha e leve a cabo uma reflexão que a vai colocar directamente em causa. Difícil, mas não impossível.

“Não pode haver tolerância nem encobrimento” dos abusos

D. José Ornelas no Simpósio do Clero

“Não pode haver tolerância nem encobrimento” dos abusos

“Pelo mal que causa às pessoas e à comunidade”, cada caso de abuso de crianças “é também um sofrimento e uma derrota para toda a Igreja. Por isso, não pode haver tolerância nem encobrimento de casos destes”. A afirmação foi feita esta segunda-feira, 29, em Fátima, pelo bispo José Ornelas, presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), na abertura do 10º Simpósio do Clero. Trata-se de uma iniciativa da comissão especializada da CEP, que se prolonga por quatro dias.

Justiça força bispo a publicar lista de padres abusadores

Colômbia

Justiça força bispo a publicar lista de padres abusadores

O arcebispo de Medellín, na Colômbia, foi forçado pelo Tribunal Constitucional do país a publicar uma lista nominal de padres da sua diocese que terão abusado de crianças, nas últimas décadas. A medida, cumprida na última sexta-feira, 26, surge da petição apresentada por um conhecido jornalista colombiano que se dedica a investigar casos de abusos, e já havia sido decidida favoravelmente no início de junho deste ano.

Padres de Lisboa saem em defesa do patriarca

Abusos sexuais

Padres de Lisboa saem em defesa do patriarca

O Secretariado Permanente do Conselho Presbiteral do Patriarcado de Lisboa saiu em defesa do cardeal patriarca, D. Manuel Clemente, numa nota publicada esta terça-feira à noite no site da diocese. Nas últimas semanas, Clemente tem sido acusado de não ter dado seguimento a queixas que lhe foram transmitidas de abusos sexuais.

“Por um futuro de crianças salvas pela vossa dura partilha”

Comissão Independente divulga apelos

“Por um futuro de crianças salvas pela vossa dura partilha”

Atores, médicos, jornalistas, magistrados, artistas… São ao todo 23 as personalidades da sociedade civil que apelam aos que tenham sido vítimas, em criança, de abusos sexuais no seio da Igreja Católica para que deem “voz ao seu silêncio”. As frases, conselhos, pedidos e reflexões partiram de um convite da Comissão Independente (CI) para o Estudo de Abusos Sexuais de Crianças na Igreja Católica Portuguesa e foram partilhadas pelo coordenador da mesma, Pedro Stecht, em nota enviada esta quinta-feira, 4, aos meios de comunicação.

Igreja polaca destrói arquivos relativos a abusos sexuais

Comissão antiabusos reclama

Igreja polaca destrói arquivos relativos a abusos sexuais

A Igreja Católica  tem destruído os arquivos relativos aos casos de pedofilia por parte do clero que já foram reportados ao Vaticano, e o núncio apostólico em Varsóvia não responde aos pedidos de disponibilização desses mesmos arquivos, denunciou a comissão estatal para a investigação dos abusos sexuais infantis da Polónia, durante a apresentação do seu relatório anual, que decorreu esta quarta-feira, 3 de agosto.

Patriarcado afastou padre acusado de violação

Visado pode abandonar ministério

Patriarcado afastou padre acusado de violação

O Patriarcado de Lisboa decidiu afastar um padre da diocese de “todas as suas funções” até averiguar se têm fundamento as acusações de violação recebidas pela diocese da capital e feitas pela mulher que se apresenta como vítima. A informação foi divulgada nesta segunda-feira, 1 de Agosto, através de um comunicado enviado ao 7MARGENS e publicado na página oficial do Patriarcado.

“Que ninguém tenha medo de denunciar” os abusos de menores

Carta aberta do cardeal patriarca

“Que ninguém tenha medo de denunciar” os abusos de menores

Face às notícias que circularam esta semana sobre um caso de abuso sexuais na diocese de Lisboa, denunciado em 1999, o cardeal patriarca publicou esta sexta-feira, 29, uma carta aberta onde explica qual foi o procedimento da Igreja, e o seu em particular, relativamente à vítima e ao padre em questão. Manuel Clemente sublinha que foi assumido o compromisso de “tolerância zero” para estas situações e pede “que ninguém tenha medo” de as denunciar.

Patriarcado reconhece denúncia de abuso sexual

Caso com 30 anos

Patriarcado reconhece denúncia de abuso sexual

O Patriarcado de Lisboa reconheceu esta quarta-feira, dia 27, que recebeu uma queixa contra um padre por alegados abusos sexuais e que o patriarca Manuel Clemente encontrou-se com a vítima desses abusos sexuais, duas décadas depois dos eventos, mas sem consequências.  

Caminho Sinodal alemão irritado com a comunicação do Vaticano

Troca de "declarações"

Caminho Sinodal alemão irritado com a comunicação do Vaticano

Em dois parágrafos, um comunicado da Sala de Imprensa do Vaticano, datado de 21 de julho, colocou um explícito travão no chamado Caminho Sinodal em que a Igreja alemã se lançou em 2019, e que tem sido motivo de polémica pela ousadia de algumas das posições entretanto assumidas. Os responsáveis da Igreja alemã já responderam: querem a comunhão na Igreja, mas com outro estilo de comunicação.

Crianças sem voz

Crianças sem voz

As recentes notícias sobre a criança de Setúbal, de 3 anos de idade, usada como arma de arremesso em virtude de desentendimentos entre a mãe e uma pseudo-ama, trouxe novamente a questão da violência sobre as crianças para a agenda pública.

Colégio de S. Tomás escreveu aos pais a lamentar e pedir desculpa

Caso das mensagens no Whatsapp

Colégio de S. Tomás escreveu aos pais a lamentar e pedir desculpa

A direcção do Colégio S. Tomás, em Lisboa, onde um dos capelães deixou de prestar funções por estar num grupo de WhatsApp com alunos com os quais trocou mensagens (incluindo vídeos) de carácter obsceno, enviou uma carta a todos os pais de alunos da escola dizendo que lamenta “muito o sucedido” e informando que o caso está entregue à comissão do patriarcado para a Protecção de Menores e às autoridades judiciárias, que “estão a seguir o processo”.

Padre suspeito de partilhar obscenidades em rede social afastado do Colégio S. Tomás

Lisboa

Padre suspeito de partilhar obscenidades em rede social afastado do Colégio S. Tomás

O padre Duarte Andrade e Sousa, do Patriarcado de Lisboa, não entrará mais no Colégio S. Tomás da Quinta das Conchas, em Lisboa, um estabelecimento de ensino de inspiração católica. Em causa, soube o 7MARGENS, está o facto de os pais de alguns estudantes terem descoberto imagens obscenas (incluindo vídeos) nos telemóveis dos filhos, num grupo de WhatsApp que aquele padre mantinha com alunos do colégio. De acordo com a reitora da escola, Isabel Almeida e Brito, em declarações esta tarde ao 7MARGENS, foi o próprio que assumiu os factos e disse que deixaria de aparecer no S. Tomás. 

Abusos sexuais: “Senti que não acreditavam em mim”

Testemunho de uma mulher vítima

Abusos sexuais: “Senti que não acreditavam em mim”

Na conferência de imprensa da Comissão Independente para o Estudo dos Abusos Sexuais contra as Crianças na Igreja Católica Portuguesa, que decorreu quinta-feira, 30 de junho, em Lisboa, foram lidos três testemunhos de vítimas de abusos, cujo anonimato foi mantido. Num dos casos, uma mulher de 50 anos fala do trauma que os abusos sofridos lhe deixaram e de como decidiu contar a sua história a um bispo, sentindo ainda assim que a sua versão não era plenamente aceite como verdadeira.

A “nuvem escura que nunca larga” as vítimas de abusos sexuais

338 casos já validados

A “nuvem escura que nunca larga” as vítimas de abusos sexuais

17 casos já entregues ao Ministério Público, todos de padres que podem estar ainda no activo; 338 testemunhos validados, com um peso importante de situações ocorridas no confessionário. Uma maioria de vítimas que, ainda assim, continua a considerar-se como católica. Após quase seis meses de trabalho, a Comissão Independente para o Estudo dos Abusos Sexuais contra as Crianças na Igreja Católica Portuguesa fez um novo balanço. E apresentou três depoimentos de vítimas que querem ajudar a que outras como elas também falem e que pedem à Igreja um gesto de reparação.

Quando os padres não abusadores são as vítimas colaterais dos abusos do clero

Encontro “Cuidar” em Lisboa

Quando os padres não abusadores são as vítimas colaterais dos abusos do clero

“O que encontramos assusta-me: desilusão, depressão, crise existencial, perda de identidade, fim da relação entre presbíteros, perda de confiança na instituição e na hierarquia.” O diagnóstico cáustico é feito ao 7MARGENS pelo padre inglês Barry O’Sullivan, 61 anos, da diocese de Manchester, que estudou o impacto dos abusos sexuais entre os padres não abusadores.

Uma Igreja ferida chamada à conversão

Sínodo em Inglaterra e Gales

Uma Igreja ferida chamada à conversão

A corresponsabilidade entre todos os batizados no governo da Igreja, a valorização do papel da mulher, uma maior atenção aos grupos até agora marginalizados e uma reorientação das prioridades pastorais são alguns dos pontos mais significativos da síntese nacional da Igreja na Inglaterra e em Gales divulgada no sábado, 25 de junho.

Bispo belga rejeita barrete cardinalício

Abusos sexuais

Bispo belga rejeita barrete cardinalício

A Conferência Episcopal Belga anunciou que o bispo emérito de Ghent, Luc Van Looy, de 80 anos, “pediu ao Papa que o isente de aceitar a nomeação [cardinalícia]” que deveria ter lugar a 27 de agosto. A razão da recusa prende-se com a falta de vigor com que, no passado, Van Looy teria respondido às denúncias que recebeu sobre abusos sexuais.

Bispos de Itália adotaram via original… e contestada

Abusos sexuais

Bispos de Itália adotaram via original… e contestada

Não a uma comissão de investigação independente dos abusos sexuais na Igreja; sim a um “via italiana” para colocar as vítimas de abuso no centro das preocupações e das ações. Assim se pode resumir o rumo traçado na última semana pela Conferência Episcopal Italiana (CEI), agora sob a direção do cardeal Matteo Maria Zuppi.

Igreja e comunicação social – aliados na busca da verdade

[Debate 7M: A Igreja e os média–5]

Igreja e comunicação social – aliados na busca da verdade

Poucos casos servem melhor para medir a relação entre a Igreja e os media do que a crise global de abusos sexuais praticados sobre menores por elementos do clero. Esta crise é a maior que a Igreja Católica tem enfrentado nas últimas décadas, e embora haja sinais de que a situação está bastante melhor agora, pelo menos no mundo ocidental, podemos ter a certeza de que irá continuar a gerar manchetes e polémica durante muito tempo ainda.

A Igreja tem de aprender a prestar contas

Abusos sexuais

A Igreja tem de aprender a prestar contas

Gostaria de falar, em primeiro lugar, acerca da Igreja enquanto instituição de poder, porque essa é uma das maiores premissas que orientam o meu trabalho enquanto jornalista que se dedica à cobertura dos assuntos religiosos e, em especial, ao escrutínio da atividade da Igreja Católica. Que não haja dúvidas: a Igreja é uma instituição de poder.

Os direitos da criança, a criança e o direito

Abusos sexuais

Os direitos da criança, a criança e o direito

Num traço grosso, valerá lembrar aqui o particular significado que assume, por exemplo, a conclusão de que a criança é um «sujeito de direitos autónomos», e verificarmos, de imediato, como estamos ainda longe de a ter como pacífica, mesmo entre aqueles que partilham iguais referências éticas e semelhantes perspectivas ideológicas.

Abusos sexuais na Igreja: fazer ciência para o bem comum

Abusos sexuais na Igreja: fazer ciência para o bem comum

Terça-feira passada, dia 10, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, a Comissão Independente para o Estudos dos Abusos Sexuais Contra as Crianças na Igreja Católica Portuguesa organizou uma conferência sobre o tema dos abusos, conforme o 7MARGENS noticiou. Pela importância do tema, da iniciativa e das intervenções nela realizadas, publicámos já as duas intervenções do coordenador. A seguir reproduzimos a intervenção da socióloga Ana Nunes de Almeida, que integra também a Comissão.

“Igreja deve pedir perdão pelos seus pecados e crimes”

Padre Zollner sobre os abusos

“Igreja deve pedir perdão pelos seus pecados e crimes”

A Igreja Católica deve, enquanto instituição, “assumir” que cometeu erros e que encobriu “crimes”, confessar os seus “pecados institucionais”, pedir perdão por eles e comprometer-se em não voltar a pecar, defendeu esta terça-feira, 10 de Maio, em Lisboa, o padre jesuíta alemão Hans Zollner, responsável do Vaticano para a Protecção de Crianças.

Beatificação do fundador de Schoenstatt foi suspensa

José Kentenich

Beatificação do fundador de Schoenstatt foi suspensa

O Vaticano suspendeu o processo de beatificação de Joseph Kentenich, o fundador do Movimento Apostólico de Schoenstatt. A decisão, de acordo com o Religión Digital, terá sido tomada a pedido da diocese alemã de Trier (Tréveris), na sequência das notícias surgidas há dois anos e que davam conta de acusações de abuso de poder e abuso sexual por parte de Kentenich, que morreu em 1968 e cujo processo foi aberto em 1975.

Padre jesuíta suspenso por denúncia de abusos sexuais

Chile

Padre jesuíta suspenso por denúncia de abusos sexuais

Está a decorrer uma investigação canónica a um conhecido padre jesuíta chileno, na sequência de uma denúncia pela prática de supostos “atos de conotação sexual” relativamente a uma menor, avançou esta quarta-feira, 4 de maio, o Religión Digital. Felipe Berríos, que além de padre é também ativista, escritor e fundador de várias ONG, foi já suspenso das suas funções pela Companhia de Jesus.

Mulheres são duplamente vítimas dos abusos sexuais

África

Mulheres são duplamente vítimas dos abusos sexuais

Por terem sido abusadas sexualmente e por serem mulheres, muitas adolescentes, jovens, religiosas e até mulheres casadas, em África, veem-se constrangidas a uma cultura do silêncio, que lhes é socialmente imposto. Mas a situação começar a mudar, como mostra a teóloga e religiosa congolesa Josée Ngalula,

A verdade libertará

A verdade libertará

Felicito os bispos pelo discernimento assertivo que demonstraram ao constituir esta comissão, pelas pessoas escolhidas e por lhes terem confiado uma missão que, ao contrário, do que alguns possam ainda pensar, dará maior credibilidade à Igreja.

Líderes de tribos canadianas em Roma

Reconciliação com povos indígenas

Líderes de tribos canadianas em Roma

As delegações das tribos indígenas do Canada iniciam hoje uma série excecional de quatro encontros com o Papa Francisco no âmbito do processo que culminará com o pedido de perdão da Igreja pelos graves abusos cometidos nas escolas residenciais que, nos séculos XIX e XX, participaram no processo de assimilação à força os povos nativos.

Bispo condenado a pena de prisão por abuso sexual

Gustavo Zanchetta, da Argentina

Bispo condenado a pena de prisão por abuso sexual

Gustavo Zanchetta, bispo emérito de Orán, cidade na província de Salta, na Argentina, foi condenado a quatro anos e meio de prisão pelo Tribunal de Primeira Instância de Orán pelo delito de abuso sexual contra dois seminaristas, noticiou sexta-feira, 4 de Março, o diário Clarín. Os juízes também ordenaram a prisão imediata do bispo, e estabeleceram que, cumprida a sentença, Gustavo Zanchetta, de 57 anos, seja registado no Banco de Dados Genéticos.

Cardeal Woelki volta a pedir resignação de arcebispo de Colónia

Depois de cinco meses retirado

Cardeal Woelki volta a pedir resignação de arcebispo de Colónia

O cardeal Rainer Maria Woelki, arcebispo de Colónia, na Alemanha, anunciou esta quarta-feira, 2, que entendeu apresentar ao Papa a sua renúncia do cargo, depois de cinco meses de retiro da arquidiocese. O caso, um dos mais badalados no âmbito do processo dos abusos sexuais na Igreja alemã, relaciona-se com o modo como o arcebispo geriu as denúncias na diocese, a maior e uma das mais ricas do país.

Pin It on Pinterest

Share This