Academia Skoola: “o poder transformador da música” transmitido aos jovens

| 12 Abr 21

 

Os jovens de Lisboa vão ter um novo local para aprender música, a partir do próximo dia 19 de abril: a Academia Skoola. As aulas vão decorrer em contentores, autocarros e salas de eventos do Village Underground Lisboa.

 

É uma academia onde não há um professor, mas muita gente com quem aprender, onde a criatividade se alia às novas possibilidades tecnológicas e onde cada participante estabelece as suas prioridades.

“Acreditamos no poder transformador da música, principalmente junto dos jovens, já que é central na vida de todos e tem um papel fundamental no seu bem-estar físico e emocional. Em muitos casos, é a forma de expressão mais fácil de usar. Ensina-nos coisas sobre nós próprios, mas também sobre o mundo à nossa volta”, diz, em comunicado, Mariana Duarte Silva, co-fundadora e diretora do Village Underground (VU) Lisboa, em Alcântara, que inaugura esta Academia de Música Urbana.

As aulas são dirigidas a crianças e jovens com idades entre os 10 e 18 anos, residentes na zona de Lisboa. Os que não têm possibilidade de pagar poderão beneficiar de bolsas.

A academia é cofinanciada pelo Fundo Portugal Inovação Social, que conta com uma equipa da qual fazem parte os artistas Pedro Coquenão (Batida) e Karlon.

A Skoola funcionará diariamente, a partir de 19 de Abril, entre as 17h e as 20h, nos contentores, autocarros e salas do VU.

Nesta academia de música urbana trabalhará uma equipa de músicos/facilitadores composta por artistas da comunidade VU e por facilitadores graduados pela Guildhall School of Music & Drama e pela Escola Superior de Educação. Rui Miguel Abreu é o consultor musical.

O Instituto Politécnico de Lisboa é o parceiro responsável pela definição do modelo de ensino-aprendizagem da academia, bem como pela formação dos professores e a divulgação científica, nacional e internacional, dos resultados do projeto.

Quanto ao modelo de aprendizagem, organiza-se em torno de três grandes eixos: criação e composição; produção musical; e performance – em que se cria música utilizando instrumentos, voz e software específico através de técnicas de composição coletiva.

A Skoola nasceu do projeto Acorde Maior, composto por 30 jovens residentes na zona metropolitana de Lisboa, que, sob a direção artística de um grupo de músicos/facilitadores, exploram processos musicais.

Depois do sucesso de cinco edições do Acorde Maior, em 2018 o Village Underground decidiu criar o projeto para uma academia de música destinada aos mais novos. Para o arranque, conseguiu a participação do Fundo Portugal Inovação Social, da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e do Montepio, como investidores sociais.

A academia conta ainda com várias outras parcerias, entre as quais a Fundação Aga Khan “nas acções de dinamização em territórios específicos de Alcântara”, e com a Oficina dos Sentidos, “responsável pelo acompanhamento motivacional dos participantes”.

As inscrições estão abertas através do endereço eletrónico ola@skoola.pt.

Os interessados devem enviar nome, idade “e qualquer outra informação que considerem pertinente sobre o seu gosto ou o seu envolvimento com a música”.

 

Jornada Nacional Memória & Esperança 2021 já tem site

Homenagem às vítimas da pandemia

Jornada Nacional Memória & Esperança 2021 já tem site novidade

O site oficial da Jornada Nacional Memória & Esperança 2021, iniciativa que visa homenagear as vítimas da pandemia com ações em todo o país entre 22 e 24 de outubro, ficou disponível online esta sexta-feira, 17. Nele, é possível subscrever o manifesto redigido pela comissão promotora da iniciativa e será também neste espaço que irão sendo anunciadas as diferentes iniciativas a nível nacional e local para assinalar a jornada.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Novo ano letivo: regressar ao normal?

Novo ano letivo: regressar ao normal? novidade

Após dois conturbados anos letivos, devido à pandemia, as escolas preparam-se para um terceiro ano ainda bastante incerto, mas que desejam que seja o mais normal possível. O regresso à normalidade domina as declarações públicas de diretores escolares e de pais, alunos e professores. Este desejo de regresso à normalidade, sendo lógico e compreensível, após dois anos de imensa instabilidade, incerteza e experimentação, constitui ao mesmo tempo um sério problema.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This