Conselho Mundial das Igrejas

Acesso à Terra Santa deve ser “livre” e “sem restrições”

| 17 Abr 2022

Foto de uma mulher a rezar no Santo Sepulcro. Foto © Albin Hillert / CMI

Momento de oração no Santo Sepulcro. Foto © Albin Hillert / CMI

 

“Jerusalém é santa”, disse Ioan Sauca, secretário geral interino do Conselho Mundial das Igrejas (CMI). Esta forte declaração surge após a declaração do Patriarcado Ortodoxo de Jerusalém a 11 de abril, que expressava sérias preocupações com as restrições de movimentos anunciadas para o Sábado Santo. O CMI condenou veementemente as medidas que restringem o acesso a locais de culto, porque considera que são violações da liberdade religiosa na Terra Santa, e continuou a dizer que o espaço “é santo para as três religiões monoteístas e o acesso a Jerusalém é um direito inalienável de todos os crentes dessas religiões”. “Os cristãos vivem naquela terra há mais de 2.000 anos e dão testemunho da ressurreição de Jesus Cristo. A ressurreição está no centro da fé cristã e de todas as comunidades cristãs do mundo. Não podemos aceitar medidas que questionem os direitos fundamentais de nossas igrejas para celebrar este ponto central de nossa fé”, defendeu.

As mais recentes restrições impostas pelo governo da Igreja informam que apenas 1.000 pessoas terão permissão para entrar na Igreja do Santo Sepulcro, e apenas outras 500 terão acesso à Cidade Velha para chegar aos pátios do Patriarcado com vista para o telhado da referida igreja. No Domingo de Ramos, apenas quatro grupos de escuteiros participaram da procissão de Jerusalém, enquanto que os escuteiros da Cisjordânia pertencentes a grupos cristãos não lhes foi permitido que participassem… Pelo contrário, no desfile de Natal em Belém, participaram cerca de 25 a 30 grupos de escuteiros cristãos.

“O CMI une-se ao Patriarcado Ortodoxo Grego na rejeição e condenação dessas restrições que são injustificadas e injustas”, disse o Pe. Sauca, que apelou ao envolvimento de todos. “Nesta época de Páscoa, quando todos os cristãos desejam participar na celebração da sua fé na ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo, pedimos às igrejas membros do CMI, líderes mundiais e todas as pessoas de boa vontade que condenem as medidas que restringem a liberdade de religião e apoiem o direito das igrejas da Terra Santa de viver e adorar com dignidade”. O Pe. Sauca enfatizou e acrescentou: “Também pedimos ao governo de Israel que garanta acesso justo de todos a Jerusalém, bem como respeito pelo status quo daquela cidade sagrada”, acrescentando que “qualquer violação desse status quo ameaça a paz e a segurança de todos os povos da região. Como membros da comunidade internacional, é nossa responsabilidade proteger a estrutura legal e as leis internacionais sobre o assunto”.

O Pe. Sauca terminou com esta oração: “Que a esperança divina trazida pela ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo derrube as barreiras de separação entre os povos. Que o amor de nosso Senhor Jesus Cristo leve o mundo à reconciliação e à unidade”.

 

Mais do que A Voz da Fátima

Pré-publicação

Mais do que A Voz da Fátima novidade

Que fosse pedido a um incréu um texto de prefácio para um livro sobre A Voz da Fátima, criou-me alguma perplexidade e, ao mesmo tempo, uma vontade imediata de aceitar. Ainda bem, porque o livro tem imenso mérito do ponto de vista histórico, com o conjunto de estudos que contém sobre o jornal centenário, mas também sobre o impacto na sociedade portuguesa e na Igreja, das aparições e da constituição de Fátima e do seu Santuário como o centro religioso mais importante de Portugal. Dizer isto basta para se perceber que não é possível entender, no sentido weberiano, Portugal sem Fátima e, consequentemente, sem o seu jornal.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita novidade

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Manhã desta quinta-feira, 24

“As piores formas de trabalho infantil” em conferência

Uma conferência sobre “As piores formas de trabalho infantil” decorre na manhã desta quinta-feira, 24 de Novembro (entre as 9h30-13h), no auditório da Polícia Judiciária (Rua Gomes Freire 174, na zona das Picoas, em Lisboa), podendo assistir-se também por videoconferência. Iniciativa da Confederação Nacional de Ação Sobre o Trabalho Infantil (CNASTI), em parceria com o Instituto de Apoio à Criança (IAC), a conferência pretende “ter uma noção do que acontece não só em Portugal, mas também no mundo acerca deste tipo de exploração de crianças”.

Cardeal Zen condenado a pagar multa por ter defendido manifestantes

Hong Kong

Cardeal Zen condenado a pagar multa por ter defendido manifestantes novidade

O cardeal Joseph Zen, bispo emérito de Hong Kong, foi condenado esta sexta-feira, 25 de novembro, a pagar uma multa de cerca de 500 euros pela sua colaboração com o 612 Humanitarian Relief Fund, que apoiou manifestantes pró-democracia a pagar multas e fianças em 2019. Sobre ele, recai ainda a acusação de conluio com forças estrangeiras, pelo que poderá vir a enfrentar penas mais graves.

Freiras italianas gritam “basta!” à violência contra a mulher

Dia Internacional contra a Violência de Género

Freiras italianas gritam “basta!” à violência contra a mulher novidade

“Sentimos o dever de manifestar abertamente a solidariedade com as mulheres que sofrem todo o tipo de violência.” Quem o diz são as irmãs salesianas Filhas de Maria Auxiliadora, da Província de São João Bosco, em Roma, que pela primeira vez decidiram associar-se pessoalmente a uma campanha de prevenção, a propósito do Dia Internacional Contra a Violência de Género, assinalado esta sexta-feira, 25 de novembro.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This