Grécia

Acolhimento a migrantes é “cada vez mais disfuncional”, denuncia Médicos Sem Fronteiras

| 5 Set 2023

Clínica móvel da MSF no centro de acolhimento de migrantes em Samos, Grécia. Foto MSFEVGENIA CHOROU

Clínica móvel da MSF no centro de acolhimento a migrantes da ilha de Samos, Grécia. Foto MSF/Evgenia Chorou.

 

O número de migrantes a chegar às ilhas gregas de Lesbos e Samos aumentou nos meses de verão e o sistema de acolhimento naqueles locais é “cada vez mais disfuncional”, com “lacunas muito significativas” em particular no acesso destes requerentes de asilo aos cuidados de saúde essenciais, denunciou a organização não-governamental Médicos Sem Fronteiras (MSF) esta segunda-feira, 5 de setembro.

A organização registou um aumento acentuado nas visitas às suas clínicas naquelas ilhas em 2023, com “um acréscimo claro desde abril”. Em Lesbos, só em julho, as equipas da MSF deram “resposta a pedidos de emergência médica e assistiram 1.031 pessoas recém-chegadas, das quais 26 por cento eram crianças”.

“Devido ao elevado número de chegadas à ilha, especialmente durante os meses de verão, a população atual em Mavrovouni CCAC [campo de receção de requerentes de asilo em Lesbos] atingiu quase 3.000 pessoas, excedendo a capacidade do campo”, alertou a MSF numa nota à imprensa.

Para além das condições de sobrelotação, a população atual do campo enfrenta um atraso no processo de registo e quase 1.000 pessoas não conseguiram ser registadas, realçou ainda a organização.

Nihal Osman, coordenador do projeto de MSF em Lesbos, frisou que “os pacientes chegam à clínica da MSF para cuidados de saúde primários, problemas crónicos e doenças infecciosas”, denunciando que “casos como hepatite e VIH não são acompanhados adequadamente e não são encaminhados para serviços relevantes para acesso ao tratamento”.

Perante este cenário, a organização decidiu “cobrir temporariamente as necessidades dos pacientes, ampliando os serviços médicos prestados na clínica de MSF, adicionando um Centro de Cuidados de Saúde Primários para os meses de agosto e setembro”.

 

Patriarca de Lisboa convida “todos” para “momento raro” na Igreja

A um mês da ordenação de dois bispos

Patriarca de Lisboa convida “todos” para “momento raro” na Igreja novidade

O patriarca de Lisboa, Rui Valério, escreveu uma carta a convocar “todos – sacerdotes, diáconos, religiosos, religiosas e fiéis leigos” da diocese para estarem presentes naquele que será o “momento raro da ordenação episcopal de dois presbíteros”. A ordenação dos novos bispos auxiliares de Lisboa, Nuno Isidro e Alexandre Palma, está marcada para o próximo dia 21 de julho, às 16 horas, na Igreja de Santa Maria de Belém (Mosteiro dos Jerónimos).

O exemplo de Maria João Sande Lemos

O exemplo de Maria João Sande Lemos novidade

Se há exemplo de ativismo religioso e cívico enquanto impulso permanente em prol da solidariedade, da dignidade humana e das boas causas é o de Maria João Sande Lemos (1938-2024), que há pouco nos deixou. Conheci-a, por razões familiares, antes de nos encontrarmos no então PPD, sempre com o mesmo espírito de entrega total. [Texto de Guilherme d’Oliveira Martins]

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“Sempre pensei envelhecer como queria viver”

Modos de envelhecer (19)

“Sempre pensei envelhecer como queria viver” novidade

O 7MARGENS iniciou a publicação de depoimentos de idosos recolhidos por José Pires, psicólogo e sócio fundador da Cooperativa de Solidariedade Social “Os Amigos de Sempre”. Publicamos hoje o décimo nono depoimento do total de vinte e cinco. Informamos que tanto o nome das pessoas como as fotografias que os ilustram são da inteira responsabilidade do 7MARGENS.

“O 7 de outubro, a guerra em Gaza e as sombras da Shoah e da Nakba”

“O 7 de outubro, a guerra em Gaza e as sombras da Shoah e da Nakba” novidade

O último dia de “Reflexos e Reflexões” prometia uma tarde bem preenchida: o debate sobre “o 7 de outubro, a guerra em Gaza e as sombras da Shoah e da Nakba”, e a peça de teatro “House”, de Amos Gitai, pelo teatro La Colline. Aqui deixo uma síntese do debate, que tentei fazer com a maior fidedignidade possível, a partir dos apontamentos que fui tomando (era proibido tirar fotografias ou fazer gravações, para garantir que todos se sentiam mais livres para falar). [Texto de Helena Araújo]

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou novidade

Em que vai, afinal, desembocar o esforço reformador do atual Papa, sobretudo com o processo sinodal que lançou em 2021? Que se pode esperar daquela que já foi considerada a maior auscultação de pessoas alguma vez feita à escala do planeta? – A reflexão de Manuel Pinto, para ler no À Margem desta semana

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados

Inaugurado em Vendas Novas

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados novidade

O apelo foi feito pelo Papa Francisco: utilizar os espaços da Igreja Católica devolutos ou sem uso para respostas humanitárias. Os Salesianos e os Jesuítas em Portugal aceitaram o desafio e, do antigo colégio de uns, nasceu o novo centro de acolhimento de emergência para refugiados de outros. Fica em Vendas Novas, tem capacidade para 120 pessoas, e promete ser amigo das famílias, do ambiente, e da comunidade em que se insere.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This