Síria, Líbano, Ucrânia...

AIS apoia 400 campos de férias para milhares de jovens em países em crise

| 13 Jul 2023

Escoteiros, Jovens. Acampamento de Verão. Beirute

Campo de Verão para 90 jovens no Líbano apoiado pela AIS, Agosto de 2022: este ano, serão 45 mil só na Síria. Foto © ACN/AIS.

 

Mais de 45 mil crianças e jovens só na Síria, mas também largos milhares de outros do Líbano, Egipto, Ucrânia e Arménia, por exemplo. Neste Verão, a fundação pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) vai apoiar a realização de 400 acampamentos e campos de férias para crianças e jovens de 13 países que vivem situações de guerra ou graves problemas sociais.

A iniciativa, que inclui ainda encontros de catequese e cursos destinados aos mais novos, tem origem num apelo do Papa para que a Igreja esteja atenta e apoie os mais novos, explica a AIS.

“[O Papa] encorajou-nos a escutar os sonhos que [os jovens] trazem no coração, dizendo que [eles] querem ser protagonistas do bem comum, que deve ser a ‘bússola’ da ação social”, afirmou Marco Mencaglia, director de projectos da Ajuda à Igreja que Sofre Internacional.

“O Papa pediu aos jovens que fossem sentinelas da paz, profetas que sonham e anunciam um mundo diferente e não mais dividido. Na Fundação AIS, aumentámos consideravelmente o nosso compromisso para com os jovens destes países. Queremos ser uma parte activa deste futuro”, acrescentou ainda Mencaglia.

Vários destes projectos e iniciativas são já uma tradição para a AIS, explica a organização. É o caso dos campos para cristãos na Terra Santa, incluindo a Jordânia, Palestina e Israel. Este ano, a fundação apoiará também quatro iniciativas no Egipto: três organizadas pelo Patriarcado Católico Copta, incluindo uma para órfãos e jovens com necessidades especiais e respectivos pais, e outra para crianças e jovens sudaneses e egípcios, organizada pelo Centro para Jovens e Refugiados, dirigido pelos Salesianos.

Jovens, escuteiros

IV Festival de música escuteira no Mosteiro de São Tomé, Al Hassaheh, Síria, em Setembro de 2022. Foto © ACN/AIS

Metade dos campos de férias realizam-se na Síria, país que merece uma especial preocupação, dada a situação dramática em que se encontra – entretanto esquecida pela comunidade internacional, tendo em conta a invasão russa da Ucrânia. O país enfrenta uma década de guerra, e tem a economia dilacerada também por causa das sanções económicas impostas pelos Estados Unidos e União Europeia ao regime de Damasco.

Na Síria, estão inscritos mais de 45 mil jovens em 273 campos de férias que se realizam até Setembro, para cristãos de diferentes igrejas das dioceses de Homs, Aleppo, Lattakia, Tartous, Jazeera, Hama e Damasco, entre outras. E há também fundos adicionais para campos de férias em regiões onde as crianças foram afectadas pelo terramoto do início de Fevereiro.

O segundo país mais envolvido nesta iniciativa é o Líbano: haverá 106 campos de férias para quase 19 mil crianças e jovens, números que traduzem o aumento que desde há três anos se vem verificando, sobretudo desde a explosão que devastou o porto de Beirute e alguns dos bairros da cidade em Agosto de 2020.

Estes campos de férias e cursos de Verão incluem ainda crianças e jovens fora do Médio Oriente, em países como a Ucrânia, Cazaquistão, Cuba, Lituânia ou Arménia, onde a Ajuda à Igreja que Sofre financia também diversas iniciativas.

No caso da Ucrânia, que vive o maior conflito militar desde a II Guerra Mundial, houve um apoio especial por parte da AIS. Este ano, haverá cinco campos, onde também participam jovens ucranianos que estão refugiados na Hungria e na Estónia.

 

Patriarca de Lisboa convida “todos” para “momento raro” na Igreja

A um mês da ordenação de dois bispos

Patriarca de Lisboa convida “todos” para “momento raro” na Igreja novidade

O patriarca de Lisboa, Rui Valério, escreveu uma carta a convocar “todos – sacerdotes, diáconos, religiosos, religiosas e fiéis leigos” da diocese para estarem presentes naquele que será o “momento raro da ordenação episcopal de dois presbíteros”. A ordenação dos novos bispos auxiliares de Lisboa, Nuno Isidro e Alexandre Palma, está marcada para o próximo dia 21 de julho, às 16 horas, na Igreja de Santa Maria de Belém (Mosteiro dos Jerónimos).

“Sempre pensei envelhecer como queria viver”

Modos de envelhecer (19)

“Sempre pensei envelhecer como queria viver” novidade

O 7MARGENS iniciou a publicação de depoimentos de idosos recolhidos por José Pires, psicólogo e sócio fundador da Cooperativa de Solidariedade Social “Os Amigos de Sempre”. Publicamos hoje o décimo nono depoimento do total de vinte e cinco. Informamos que tanto o nome das pessoas como as fotografias que os ilustram são da inteira responsabilidade do 7MARGENS.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou novidade

Em que vai, afinal, desembocar o esforço reformador do atual Papa, sobretudo com o processo sinodal que lançou em 2021? Que se pode esperar daquela que já foi considerada a maior auscultação de pessoas alguma vez feita à escala do planeta? – A reflexão de Manuel Pinto, para ler no À Margem desta semana

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados

Inaugurado em Vendas Novas

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados novidade

O apelo foi feito pelo Papa Francisco: utilizar os espaços da Igreja Católica devolutos ou sem uso para respostas humanitárias. Os Salesianos e os Jesuítas em Portugal aceitaram o desafio e, do antigo colégio de uns, nasceu o novo centro de acolhimento de emergência para refugiados de outros. Fica em Vendas Novas, tem capacidade para 120 pessoas, e promete ser amigo das famílias, do ambiente, e da comunidade em que se insere.

Bispos católicos de França apelam à fraternidade e justiça, mas não se demarcam da extrema-direita

Com as eleições no horizonte

Bispos católicos de França apelam à fraternidade e justiça, mas não se demarcam da extrema-direita novidade

O conselho permanente dos bispos da Igreja Católica de França considera, num comunicado divulgado esta quinta-feira, 20 de junho, que o resultado das recentes eleições europeias, que deram a vitória à extrema-direita, “é mais um sintoma de uma sociedade ansiosa, dividida e em sofrimento”. Neste contexto, e em vésperas dos atos eleitorais para a Assembleia Nacional, apresentaram uma oração que deverá ser rezada por todas as comunidades nestes próximos dias.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This