Sondagem

Americanos com ascendência asiática alvo de discriminação generalizada

| 30 Dez 2023

Americanos de origem asiática

“A sondagem conduzida pelo Pew Research Center apurou que 40 por cento dos descendentes de asiáticos denunciam ter sido mais mal atendidos em restaurantes e outras lojas do que o público americano branco, enquanto 37 por cento se queixa de ter sido alvo de palavras e nomes ofensivos.” Foto @ Jason Leung / Unsplash

 

Os americanos com origem asiática (ásio-americanos) continuam a “enfrentar uma discriminação generalizada” nos EUA, conclui uma sondagem conduzida durante o mês de novembro pelo Pew Research Center segundo a qual um terço (32%) dos inquiridos já foi objeto do insulto “vai para o teu país!”.

Mais de metade (57%) dos 7.000 adultos de ascendência asiática que foram sondados reconheceram que a discriminação de que são alvo é um problema grave e ainda em maior número (63%) afirmam que os problemas que enfrentam recebem “muito pouca atenção” por parte do público e das autoridades.

Um estudo publicado no jornal Axios a partir desta sondagem recolhe a afirmação taxativa de Karthick Ramakrishnan, professor da Universidade da Califórnia em Riverside: “O Governo dos EUA tratou os imigrantes da Ásia como uma espécie ‘inassimilável’ de imigrantes”. Essa opinião é corroborada por Norman Chen, dirigente de The Asian American Foundation, uma organização nacional sem fins lucrativos. Chen sublinha que, apesar dos ásio-americanos serem o grupo racial ou étnico que mais cresce nos EUA, “têm sido historicamente ’invisíveis’ na sociedade americana e continuam a sê-lo”.

Estas podem ser algumas das razões para que 78 por cento dos adultos asiáticos digam que, mesmo tendo nascido nos EUA, já foram, de uma forma ou de outra, tratados como estrangeiros”.

A sondagem conduzida pelo Pew Research Center apurou que 40 por cento dos descendentes de asiáticos denunciam ter sido mais mal atendidos em restaurantes e outras lojas do que o público americano branco, enquanto 37 por cento se queixa de ter sido alvo de palavras e nomes ofensivos. Um número semelhante de ásio-americanos diz que as pessoas os tratam como se eles não soubessem falar inglês e 22 por cento sublinham ter sofrido admoestações por estar a conversar em público numa língua diferente do inglês.

 

Bispos católicos de França apelam à fraternidade e justiça, mas não se demarcam da extrema-direita

Com as eleições no horizonte

Bispos católicos de França apelam à fraternidade e justiça, mas não se demarcam da extrema-direita novidade

O conselho permanente dos bispos da Igreja Católica de França considera, num comunicado divulgado esta quinta-feira, 20 de junho, que o resultado das recentes eleições europeias, que deram a vitória à extrema-direita, “é mais um sintoma de uma sociedade ansiosa, dividida e em sofrimento”. Neste contexto, e em vésperas dos atos eleitorais para a Assembleia Nacional, apresentaram uma oração que deverá ser rezada por todas as comunidades nestes próximos dias.

“Precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança”

Tolentino recebeu Prémio Pessoa

“Precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança” novidade

Na cerimónia em que recebeu o Prémio Pessoa 2023 – que decorreu esta quarta-feira, 19 de junho, na Culturgest, em Lisboa – o cardeal Tolentino Mendonça falou daquela que considera ser “talvez a construção mais extraordinária do nosso tempo”: a “ampliação da esperança de vida”. Mas deixou um alerta: “não basta alongar a esperança de vida, precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança e a deseje fraternamente repartida, acessível a todos, protagonizada por todos”.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

E Jesus, estaria ele no Tik Tok?

7MARGENS/Antena 1

E Jesus, estaria ele no Tik Tok? novidade

“Falar Piano e Tocar Francês” é o título do livro do maestro Martim Sousa Tavares. Arte, música, cultura, paixão e mediação são temas do livro e pretextos para a conversa no programa 7MARGENS, da Antena 1. Que começa por uma pergunta: e Jesus, estaria ele hoje no Tik Tok?

Reunião do Conselho dos Cardeais com o Papa voltou a contar com três mulheres

Uma religiosa e duas leigas

Reunião do Conselho dos Cardeais com o Papa voltou a contar com três mulheres novidade

Pela quarta vez consecutiva, o papel das mulheres na Igreja voltou a estar no centro dos trabalhos do Papa e do seu Conselho de Cardeais – conhecido como C9 -, que se reuniu no Vaticano nos últimos dois dias, 17 e 18 de junho. Tratou-se de uma reflexão não apenas sobre as mulheres, mas com as mulheres, dado que – tal como nas reuniões anteriores – estiveram presentes três elementos femininos naquele que habitualmente era um encontro reservado aos prelados.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This