Audição na ONU

Amnistia acusa Índia de violação sistemática dos direitos humanos

| 9 Nov 2022

Amnistia Internacional, direitos humanos, Índia, UE

Vigília da Amnistia Internacional, no Palácio de Cristal no Porto, a 6 de maio de 2021, em defesa do respeito pelos direitos humanos na Índia. Foto © Amnistia Internacional – Portugal.

 

A quarta audição da Índia pelo Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas (CDHNU) que terá lugar esta quinta-feira, dia 10 de novembro, em Genebra, “chega num momento em que os direitos humanos e as instituições não controladas [pelo Governo], os meios de comunicação independentes e a sociedade civil enfrentam ataques sistemáticos”, declarou Aakar Patel, presidente da Amnistia Internacional (AI) Índia.

A chamada de atenção de Patel, divulgada na véspera da reunião do CDHNU, pode ser lida no site da organização e reforça o relatório “Índia: minorias perseguidas e redução do espaço de dissidência”, de abril deste ano, em que a Amnistia acusava o Governo da União Indiana de “pouco ou nada ter feito desde 2017 para concretizar as recomendações [do CDHNU] que então aceitou” no que diz respeito aos direitos humanos.

Para a Amnistia Internacional, “os crimes de ódio contra grupos marginalizados aumentaram e multiplicou-se o número de perpetradores que continuam a beneficiar de impunidade”, na medida em que “as autoridades não fizeram nada para impedir os atos de violência contra mulheres e meninas”, ou contra “membros de minorias religiosas, bem como contra membros de determinadas castas e tribos”.

Na longa lista de atropelos aos direitos humanos, a AI refere tanto o crescendo verificado nos últimos anos como o facto de serem frequentemente instigados pelo partido no Governo e pelas próprias autoridades governamentais. Em particular no que diz respeito “à violência religiosa”, terreno em que o Governo instiga “disputas religiosas criando tensão entre a população para fins eleitorais”. [ver 7MARGENS].

 

Corpo de Alexei Navalny já foi entregue à mãe

Nove dias após a sua morte numa prisão russa

Corpo de Alexei Navalny já foi entregue à mãe novidade

O corpo do líder da oposição russa, Alexei Navalny, foi entregue à sua mãe, informou ontem, sábado, Ivan Zhdanov, diretor da Fundação Anti-Corrupção de Navalny e um dos seus principais assessores na sua conta de Telegram. O responsável agradeceu a “todos” os que apelaram às autoridades russas para que devolvessem o corpo de Navalny à sua mãe, citado pela Associated Press.

Bispos católicos belgas vão debater sacerdotes casados e mulheres diáconos

Como preparação para a segunda sessão do Sínodo

Bispos católicos belgas vão debater sacerdotes casados e mulheres diáconos novidade

Os bispos católicos da Bélgica enviaram às dioceses e comunidades locais do seu país uma carta no dia 16 de fevereiro sugerindo a reflexão sobre dois temas ministeriais, a ordenação sacerdotal de homens casados e a instituição de mulheres diaconisas, como forma de preparação dos trabalhos da segunda sessão do Sínodo dos Bispos, que decorrerá em Roma em outubro próximo.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Cristo Cachorro, versão 2024

Cristo Cachorro, versão 2024 novidade

Invejo de morte a paixão que os cartazes da Semana Santa de Sevilha conseguem despertar. Os sevilhanos importam-se com a sua cidade, as festas e com a imagem que o cartaz projecta, se bem que com o seu quê de possessivo, mas bem melhor que a apatia. Não fossem frases como “É absolutamente uma vergonha e uma aberração” e as missas de desagravo e o quadro cartaz deste ano teria passado ao lado.

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia Cáritas

7MARGENS antecipa estudo

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia Cáritas

Ao basear-se em inquéritos junto das famílias, as estatísticas oficiais em Portugal não captam as situações daqueles que não vivem em residências habituais, como as pessoas em situação de sem-abrigo, por exemplo. E é por isso que “subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia a Cáritas Portuguesa na introdução ao seu mais recente estudo, que será apresentado na próxima terça-feira, 27 de fevereiro, na Universidade Católica Portuguesa do Porto.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This