Após libertação de Tanaíce Neutro

Amnistia Internacional organiza vigília pelas vítimas de violência policial em Angola

| 30 Jun 2023

Na vigília, “estarão presentes ativistas angolanos e serão apresentadas mensagens das famílias das vítimas”. Foto: Direitos reservados.

 

O músico e ativista angolano Tanaíce Neutro foi finalmente libertado, depois de mais de seis mil pessoas terem assinado uma petição da Amnistia Internacional (AI), mas “o apelo para o respeito pleno dos direitos à liberdade de expressão, de associação e de reunião pacífica, por parte das autoridades e pelo próprio governo angolano, mantém-se urgente”, defende aquele organismo. Assim, a Amnistia Internacional Portugal realizará, no próximo dia 11 de julho, pelas 20 horas, uma vigília junto à Embaixada de Angola em Lisboa, apelando a justiça para as vítimas de violência policial em Angola.

A ação foi anunciada esta sexta-feira, 30 de junho, pela AI, em comunicado enviado ao 7MARGENS, adiantando que nela “estarão presentes ativistas angolanos e serão apresentadas mensagens das famílias das vítimas”.

“A libertação de Tanaice Neutro deve servir de agente para a mudança, impulsionando uma revisão abrangente das leis e práticas que impedem o exercício livre dos direitos humanos e liberdades fundamentais em Angola. É por isso que dia 11 de julho voltamos às ruas, para instar o governo angolano que o único futuro possível é aquele que permite que diversas vozes e opiniões floresçam no país”, realça Paulo Fontes, diretor de campanhas da Amnistia Internacional Portugal, citado no comunicado.

Ao longo dos últimos anos, a Amnistia Internacional “documentou um padrão preocupante de detenções arbitrárias, intimidação e assédio, perpetrado pelas autoridades angolanas contra pessoas que se atreveram a denunciar violações de direitos humanos, corrupção e injustiça no país”. O caso de Tanaíce Neutro, que o 7MARGENS acompanhou, é um exemplo.

 

Santuário de São João Paulo II, nos EUA, vai tapar obras de arte de Rupnik

Para "dar prioridade às vítimas"

Santuário de São João Paulo II, nos EUA, vai tapar obras de arte de Rupnik novidade

Os Cavaleiros de Colombo, maior organização leiga católica do mundo, anunciaram esta quinta-feira,11 de julho, que irão cobrir os mosaicos da autoria do padre Marko Rupnik, acusado de abusos sexuais e de poder, que decoram as duas capelas do Santuário Nacional de São João Paulo II, em Washington, e a capela da sede da organização em New Haven, Connecticut (EUA). A decisão, inédita na Igreja, surge uma semana depois de o bispo de Lourdes ter admitido considerar que os mosaicos do padre e artista esloveno que decoram o santuário mariano francês acabarão por ter de ser retirados.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“E tu, falas com Jesus?”

“E tu, falas com Jesus?” novidade

Em matéria de teologia, tendo a sentir-me mais próxima do meu neto X, 6 anos, do que da minha neta F, de 4. Ambos vivem com os pais e uma irmã mais nova em Londres. Conto dois episódios, para perceberem onde quero chegar. Um dia, à hora de deitar, o X contou à mãe que estava “desapontado” com o seu dia. Porquê? Porque não encontrara o cromo do Viktor Gyokeres, jogador do Sporting, um dos seus ídolos do futebol; procurou por todo o lado, desaparecera. Até pedira “a Jesus” para o cromo aparecer, mas não resultou. [Texto de Ana Nunes de Almeida]

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This