20 anos de Guantánamo

Amnistia pressiona Biden para fechar prisão

| 10 Jan 2022

Manifestação a pedir o fecho de Guantánamo: a Amnistia pede que Biden honre o seu compromisso. Foto © Gamma-Rapho via Getty Images /cedida por Amnistia Internacional

 

A diretora do programa Segurança com Direitos Humanos da secção americana da Amnistia Internacional, Daphne Eviatar, informou nas páginas da organização que nesta terça-feira, 11 de janeiro, vão ter lugar várias ações para pressionar o Presidente Biden a “fechar de uma vez por todas” a prisão de Guantánamo “um local de tortura e detenção injustificada por tempo indeterminado” aberto há 20 anos.

Condicionadas pelo surto pandémico que grassa nos EUA, as ações vão ter carácter online, mas nem por isso devem ser menos veementes. A porta-voz da Amnistia lembra que “o Presidente Biden deve manter o seu compromisso de fechar Guantánamo de uma vez por todas. Quanto mais tempo a prisão permanecer aberta, mais tempo continuará a minar a credibilidade dos EUA no que diz respeito aos direitos humanos”.

A prisão militar da Guantánamo foi posta a funcionar a 11 de janeiro de 2002 na base americana da Baía de Guantánamo, na ilha de Cuba, para ficar fora da alçada dos tribunais americanos. Ali foram torturados vários suspeitos de ligação aos ataques de 11 de setembro, bem como a outras ações terroristas. 39 muçulmanos continuam presos em Guantánamo. Nenhum deles, segundo a Amnistia Internacional, obteve “um julgamento justo” o que significa que “continuam detidos indefinidamente em violação dos direitos humanos internacionalmente reconhecidos”.

 

Judeus do Partido Trabalhista atacam política de Israel

Reino Unido

Judeus do Partido Trabalhista atacam política de Israel novidade

Glyn Secker, secretário da Jewish Voice For Labor – uma organização que reúne judeus membros do Partido Trabalhista ­–, lançou um violento ataque aos “judeus que colocam Israel no centro da sua identidade” e classificou o sionismo como “uma obscenidade” ao discursar no dia 10 diante de Downing Street, durante um protesto contra os ataques de Israel na faixa de Gaza.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Evento "importantíssimo" para o país

Governo assume despesas da JMJ que Moedas recusou

A ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes, chegou a acordo com o presidente da Câmara de Lisboa sobre as Jornadas Mundiais da Juventude, comprometendo-se a – tal como exigia agora Carlos Moedas – assumir mais despesa do evento do que aquela que estava inicialmente prevista, noticiou o Expresso esta quarta-feira, 3.

Multiplicar o número de leitores do 7MARGENS

Em 15 dias, 90 novos assinantes

Durante o mês de julho o 7MARGENS registou 90 novos leitores-assinantes, em resultado do nosso apelo para que cada leitor trouxesse outro assinante. Deste modo, a Newsletter diária passou a ser enviada a 2.863 pessoas. Estamos ainda muto longe de duplicar o número de assinantes e chegar aos 5.000, pelo que mantemos o apelo feito a 18 de julho: que cada leitor consiga trazer outro.

Parceria com Global Tree

JMJ promove plantação de árvores

A Fundação Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023 e a Global Tree Initiative estabeleceram uma parceria com o objectivo de levar os participantes e responsáveis da organização da jornada a plantar árvores. A iniciativa pretende ser uma forma de assinalar o Dia Mundial da Conservação da Natureza, que se assinala nesta quinta-feira, 28 de julho.

Representante dos sobreviventes de Nagasaki solidário com a Ucrânia

Nos 77 anos do ataque atómico

Representante dos sobreviventes de Nagasaki solidário com a Ucrânia

“Apelo a todos os membros” do Parlamento japonês, “bem como aos membros dos conselhos municipais e provinciais” para que se “encontrem com os hibakusha (sobreviventes da bomba atómica), ouçam como eles sofreram, aprendam a verdade sobre o bombardeio atómico e transmitam o que aprenderem ao mundo”, escreve, numa carta lida nas cerimónias dos 77 anos do ataque atómico sobre Nagasaki, por um dos seus sobreviventes, Takashi Miyata.

Mar Egeu: dezenas de pessoas desaparecidas em naufrágio

Resgatadas 29 pessoas

Mar Egeu: dezenas de pessoas desaparecidas em naufrágio

Dezenas de pessoas estão desaparecidas depois de um barco ter naufragado no mar Egeu, na quarta-feira, ao largo da ilha grega de Cárpatos, divulgou a ACNUR. A embarcação afundou-se ao amanhecer, depois de da costa sul da vizinha Turquia, em direção a Itália. “Uma grande operação de busca e resgate está em curso.”

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This