7MARGENS é uma aposta digital de jornalismo que quer colocar as pessoas e as comunidades no centro da notícia. As das margens em primeiro lugar. De todas as margens: dos que vivem nelas. Ou seja, dos marginalizados. Dos que viajam entre elas e fazem as múltiplas travessias da vida. Prestando atenção. Dando margem a todos os que buscam o sentido da vida e sonham justiça e dignidade.

As religiões serão um campo de atenção. Teremos em conta a expressão de cada uma, as suas realizações mais significativas, as suas leituras do mundo e da vida, as suas obras e as suas contradições e desafios.

Portugal conheceu nas últimas duas décadas um retrocesso evidente na cobertura do fenómeno religioso e as próprias confissões religiosas parecem aceitar isso, como se só pudesse haver a escolha entre uma informação proselitista e o silêncio. A vida pública e a cultura saem empobrecidos com esta situação. 7MARGENS propõe-se ser aí uma resposta.

Mas temos consciência de que a busca espiritual, através da meditação, do jejum, do retiro, de novos estilos de vida, vai cada vez mais para além das confissões e das instituições. 7MARGENS quer acolher a experiência e o caminho de todos, escutando e dando voz e espaço, nomeadamente aos mais jovens.

Teremos em especial atenção setores como o trabalho, a educação, a solidariedade, as migrações, a interculturalidade, a saúde, a criação e consumo cultural, a ecologia e a ciência, entre outros. Não temos a pretensão de cobrir jornalisticamente estes sectores. Mas queremos trazer para esta plataforma os dramas, as injustiças, as experiências inovadoras, os testemunhos e os debates de todos os agentes e a todos os níveis. Todos os que estão à margem na economia (os trabalhadores e os mais pobres), na política (os cidadãos), na cultura (os debates e as propostas), nas instituições religiosas (os crentes) e nos média (as religiões e a busca espiritual) queremos trazer para 7MARGENS. Atentos à realidade nacional e internacional, nomeadamente nos países onde se fala o português.

Este projeto foi participado na sua génese e quer ser participado na sua concretização. Organizámos encontros de pessoas de diferentes idades e situações em Braga, Porto, Aveiro, Covilhã, Coimbra e Lisboa. Daí concluímos haver espaço e mesmo necessidade de uma publicação como esta e recebemos sugestões de conteúdos a abordar. Até o título resultou de um processo de auscultação de uma rede de contactos que tem vindo a constituir-se.

Mas o desafio deste caminho participativo começa agora, com o arranque de 7MARGENS. Participação na sugestão de conteúdos e mesmo na sua produção, salvaguardando a autonomia do trabalho dos jornalistas; mas participação também no financiamento, já que um projeto destes precisa do trabalho de voluntários e precisa da partilha económica para fazer face às despesas. Aqui vai estar um desafio: saber se queremos, de facto, dar vida a um projeto jornalístico profissional e de qualidade no terreno das religiões e das espiritualidades, no nosso país.

Do nosso lado, prometemos, além do trabalho, transparência na gestão da partilha dos leitores. E estamos sempre abertos a sugestões de trabalhos, a propostas de reportagens, a colaborações não apenas através do texto, mas também da fotografia, do desenho, do cartoon, do vídeo ou do podcast.

Breves

Boas notícias

Sea-Watch 4 resgata 104 migrantes no Mediterrâneo

Sea-Watch 4 resgata 104 migrantes no Mediterrâneo

O Sea Watch 4 resgatou, de manhã cedo, neste domingo, 23 de Agosto, 97 pessoas que viajavam a bordo de uma lancha pneumática sobrelotada, já depois de ter salvo outras sete pessoas noutra lancha. A presença do navio desde há dias no Mediterrâneo central, é fruto da cooperação entre a Sea Watch, os Médicos Sem Fronteiras (MSF) e a Igreja Protestante alemã, que promoveu uma campanha de recolha de fundos para que ele pudesse zarpar.

Outras margens

Cultura e artes

Encarnando o irmão Luc novidade

Michael Lonsdale era, naquele final do dia, em Braga, o irmão Luc, assim dando corpo e espírito ao monge com o mesmo nome que foi assassinado na Argélia, em 1996. E é inesquecível a sua participação no filme Dos Homens e dos Deuses, que evoca a vida dos monges do mosteiro argelino de Tibhirine, sete dos quais (Bruno, Célestin, Christian, Cristophe, Michel, Paul, além de Luc) raptados e assassinados por um grupo de islamitas.

Michael Lonsdale: “Gostaria de morrer tranquilamente. Em Deus sobretudo”

Um dos mais fascinantes actores franceses, Michael Lonsdale morreu na passada segunda-feira, 21. Uns lembrar-se-ão de ele ter sido o vice-cônsul de Lahore no filme India Song, de Marguerite Duras, outros não ignorarão o facto de ele se ter empenhado em fazer a vida negra a James Bond. Mas Michael Lonsdale participou em filmes de Truffaut, Malle, Buñuel, Spielberg e outros realizadores não menos relevantes.

Pessoas

Não esquecer a memória

Não esquecer a memória

Não lembrei pessoalmente nestas páginas ainda a partida de Frei Mateus Cardoso Peres, O.P. (1933-2020), personalidade fascinante com uma rica obra de apostolado e de reflexão, e devo fazê-lo. Conheci-o bem e tenho pela sua vida e ação uma grande estima. O grupo de que fez parte dos “católicos inconformistas” integrou alguns dos meus grandes amigos, como António Alçada Baptista, Helena e Alberto Vaz da Silva e João Bénard da Costa.

Sete Partidas

A reunião de trabalho novidade

A reunião de trabalho convocada pela chefe chegou sem surpresa. Mais uma entre tantas. Comparecemos todos. Através do ecrã, a expressão no rosto e o tom da voz denotavam, no entanto, uma intenção outra. Um assunto especial. Havia efectivamente um assunto especial a abordar. Abertamente. Uma autenticidade sem pudor marcou o tom da conversa. Um cuidado humilde e generoso revelado sem condicionamentos.

Visto e Ouvido

Agenda

Entre margens

Rituais pós-nascimento: “Ku xlomula mamani ni ku humisa mwana” novidade

Nas culturas bantu do sul de Moçambique, especificamente na xironga e na xitswa, após o nascimento de um bebé, a mãe e a sua criança ficam, por algum tempo, interditados do convívio com a família alargada, por se considerar que os seus corpos não se encontram fortes o suficiente para conviver com agentes impuros, sejam do ambiente poluído de fora de casa, sejam os que com eles habitam, pelo facto de viverem entre o resguardo do lar e outras actividades que realizam fora de casa.

Os jovens do Torne na luta por “uma Igreja nova num Portugal novo”

Na década de sessenta do século passado, e até 1974, surgiu na paróquia de São João Evangelista (Vila Nova de Gaia), da Igreja Lusitana, Católica, Apostólica, Evangélica (IL), um grupo de jovens, que se intitulou Jovens do Torne – JT. No princípio englobado na “Liga do Esforço Cristão de Gaia”, foram prosseguindo um caminho ecuménico, alargado a todas as religiões e ateus.

Fale connosco