Aos 101 números, “Le Monde des Religions” deixa de se editar em papel

| 26 Jun 20

Capa do último número de Le Monde des Religions em papel, cujo tema de capa é o “regresso das sabedorias da natureza”

“Nas nossas sociedades em que o religioso é constantemente tema de debate, em que a busca de sentido se torna cada dia mais premente, Le Monde des Religions propõe uma descodificação das religiões, espiritualidades e sabedorias da humanidade, numa abordagem laica e não confessional”. A constância e a premência referidos no início do texto agora em destaque no site da revista francesa poderiam indiciar um reforço do trabalho editorial, mas na realidade anunciam apenas o fim da publicação da revista em papel.

No último editorial, a chefe de redacção Virginie Larousse explica genericamente que são as dificuldades enormes com que a imprensa escrita se encontra confrontada desde há anos que impedem que a publicação em papel prossiga. Le Monde des Religions anuncia que os “dossiers temáticos, inquéritos, análises, reportagens, debates e entrevistas com os melhores especialistas” poderão doravante ser encontrados em formato digital no site do Monde. E, garante Virgine Larousse ao 7MARGENS, esta página continuará a apresentar “o mesmo tipo de conteúdos que a revista”, com a diferença de que a versão digital tenderá a ser “enriquecida” com mais frequência. A partir de Setembro, anuncia-se também uma newsletter quinzenal.

Em Portugal, a revista vendia uma média de 150 exemplares por cada número, de acordo com a chefe de redacção da publicação. No total, eram cerca de 20 mil os leitores que pagavam para comprar a revista, de dois em dois meses.

O filósofo André Compte-Sponville, o escritor Christian Bobin e o jornalista e escritor Kamel Daoud foram alguns dos colunistas regulares da revista, que, além dos 101 números bimestrais, publicou números especiais sobre temas como “Os cristianismos esquecidos”, “Mestres de sabedoria”, “O corpo e o sagrado”, “Os mitos” e “Compreender a Bíblia”.

Le Monde des Religions, que se apresentava com o lema “conhecer as religiões para conhecer o mundo”, culmina uma história, recordada por Virginie Larousse no número 100, que começa em 1953 com a revista L’Actualité Religieuse dans le Monde, editada pelos dominicanos franceses. A publicação passa a chamar-se ICI – Informations Catholiques Internationales dois anos depois. Cerca de três décadas depois é retomado o título original que muda em 1998, passando a Actualité des Religions até 2003, ano em que passa para as mãos do grupo Le Monde. A mudança de título para Le Monde des Religions faz-se acompanhar de uma mudança de orientação editorial. A revista confessional católica, que já dava muita atemção ao noticiário sobre outras religiões, torna-se laica de informação sobre as religiões.

“O regresso das sabedorias da natureza” é o tema principal do último número, que ainda é possível encontrar nos quiosques. Nele, pode ler-se ainda uma grande entrevista ao grande rabino de França Haïm Korsia e uma reportagem sobre os muçulmanos da China.

O “mestre de sabedoria” apresentado é o teólogo Maurice Zundel (1897-1975). Entre as afirmações dele em destaque, encontra-se a que fala sobre a presença de Deus no quotidiano: “Não encontro nada de mais simples nem de mais profundo que esta contemplação que de manhã à noite percebe uma presença divina no coração das coisas”. Como que complementando, o monge budista Matthieu Ricard, numa entrevista a propósito do seu livro Émerveillement (“Maravilhamento”) observa que, “quando alguma coisa nos encanta, nós não a degradamos nem a estragamos”.

O monge budista preconiza que se cultive o discernimento, a sabedoria e a benevolência e que se aja em conformidade. Le Monde des Religions oferecia uma boa ajuda para que isso sucedesse.

 

Artigos relacionados

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Papa discursa na assembleia geral da ONU em setembro novidade

O Papa Francisco participará na abertura da assembleia geral das Nações Unidas (ONU), que decorrerá de 15 a 30 de setembro de 2020, avançou o jornal católico espanhol Alfa y Ómega. Pela primeira vez em 75 anos, por causa da pandemia de covid-19, os líderes mundiais não irão reunir-se fisicamente em Nova Iorque para esta assembleia, estando previsto que gravem antecipadamente as suas mensagens. Assim fará também Francisco.

Líderes religiosos pedem fim dos crimes contra os uigures na China

Os cardeais de Myanmar e da Indonésia, os principais rabis do Reino Unido, o representante do Dalai Lama na Europa e diversos líderes muçulmanos estão entre os 76 signatários de uma carta divulgada este domingo, 9 de agosto, a pedir o fim de “uma das mais egrégias tragédias humanas desde o Holocausto: o potencial genocídio dos Uigures e outros muçulmanos na China”, divulga o semanário católico britânico “The Tablet”.

Assassinado reitor do Seminário Romero, em El Salvador

O padre Ricardo Cortez, reitor do Seminário Santo Óscar Arnulfo Romero e pároco da povoação de San Francisco Chinamequita, em El Salvador, foi assassinado na passada sexta-feira, 7 de agosto. A diocese de Zacatelouca, à qual pertencia, emitiu um comunicado onde pede a investigação do crime, que considera “inexplicável” e “execrável”, avança o Vatican News.

Primeira tradução ecuménica da Bíblia editada no Brasil

Uma ampla equipa de biblistas, exegetas e estudiosos de diversas confissões cristãs e do judaísmo esteve envolvida no projeto inédito de tradução ecuménica da Bíblia para a língua portuguesa, que chega agora às livrarias brasileiras através das Edições Loyola.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

Navio de resgate apoiado pela Igreja Protestante prestes a partir para o Mediterrâneo

Navio de resgate apoiado pela Igreja Protestante prestes a partir para o Mediterrâneo

Chegaram esta terça-feira, 11 de agosto, ao navio de resgate de migrantes Sea Watch 4 os últimos membros da tripulação. Os treinos e exercícios já começaram, e ainda esta semana será dada a partida do porto de Burriana (Valencia, Espanha) para o centro do Mediterrâneo, numa missão tornada possível devido à iniciativa da Igreja Protestante Alemã e ao apoio de mais de 500 organizações que participaram na campanha de recolha de fundos (crowdfunding) #WirSchickenEinSchiff (“Nós enviamos um navio”).

É notícia

Entre margens

Cultura e artes

A carne, a história e a vida: uma viagem fascinante

A tradição espiritual cristã, radicada na Boa-notícia gerada pelo Novo Testamento, permanece ainda um continente a explorar para muitos dos discípulos de Jesus. A expressão mística contém uma carga associada que não ajuda a visitar o seu espaço: associamo-la a uma elite privilegiada, a fenómenos extraordinários, a vidas desligadas dos ritmos e horários modernos.

Manuel Cargaleiro oferece painel de azulejos a paróquia de Lisboa

Foi como “escrever uma oração” ou fazer “o ramo mais bonito para Deus”. Assim definiu o pintor e ceramista Manuel Cargaleiro o seu mais recente trabalho: um painel de azulejos, que ofereceu à Paróquia de São Tomás de Aquino, em Lisboa. A cerimónia de inauguração e bênção decorreu esta segunda-feira e contou com a presença do autor, avança o Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura.

Sopas do Espírito Santo dão a volta ao mundo em novos selos de correio

Um “teatro”, um bodo e uma coroa para a circulação de âmbito nacional; foliões, um “balho” e uma pomba para a Europa; e uma bênção do bodo, as sopas e uma rosquilha de massa sovada para o resto do mundo. O culto do Paráclito, ou seja, “aquele que ajuda, conforta, anima, protege, intercede” está desde a última quinta-feira, 30 de Julho, representado numa emissão filatélica dos Correios de Portugal, dedicada às festas do “Senhor Espírito Santo”, como é habitualmente designada nos Açores a terceira pessoa da Santíssima Trindade cristã.

Sete Partidas

STOP nas nossas vidas: Parar e continuar

Ao chegar aos EUA tive que tirar a carta condução novamente. De raiz. Estudar o código. Praticar. Fazer testes. Nos EUA existe um sinal de trânsito que todos conhecemos. Porque é igual em todo o mundo. Diz “STOP”. Octogonal, fundo branco, letras brancas. Maiúsculas. Impossível não ver. Todos vemos. Nada de novo. O que me surpreendeu desde que cheguei aos EUA, é que aqui todos param num STOP. Mesmo. Não abrandam. Param. O carro imobiliza-se. As ruas desertas, sem trânsito. Um cruzamento com visibilidade total. Um bairro residencial. E o carro imobiliza-se. Não abranda. Para mesmo. E depois segue.

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

Parceiros

Fale connosco