Cristãos e muçulmanos juntos

Apoio escolar a crianças de Cabo Delgado

| 24 Set 2022

Voluntários da Kuendeleya a entregar o material escolar nas escolas de Paquitequete. Fotos © Associação Kuendeleya

Voluntários da Kuendeleya a entregar o material escolar nas escolas de Paquitequete. Fotos © Associação Kuendeleya

 

A tragédia que ocorre na província moçambicana de Cabo Delgado em consequência de ataques de insurgentes que se reivindicam do jihadismo obriga, constantemente, a rever o número de mortos e de deslocados. Mas também impõe que se olhe com muita atenção para o trabalho de apoio aos que se apresentam numa situação mais vulnerável. A oferta de material escolar básico a crianças órfãs e deslocadas das escolas de Komilamba e Parata, em Paquitequete, que as imagens documentam, é uma boa notícia que merece ser destacada.

A iniciativa foi promovida pela Associação Kuendeleya, uma organização criada localmente e constituída por jovens católicos, protestantes e muçulmanos, e pela Ogumana, uma associação de jovens moçambicanos residentes na Alemanha.

Paquitequete. Fotos © Associação Kuendeleya

Suportar as primeiras necessidades dos mais carenciados, designadamente crianças e jovens, mulheres e idosos, designadamente deslocados de guerra, e trabalhar para que se possam reintegrar socialmente tem sido uma actividade constante da Kuendeleya, palavra que significa Prosseguir-Desenvolver-Continuar nas línguas nativas muani, macua, suaíli e maconde.

Apesar de a Kuendeleya dispor de meios limitados, este trabalho solidário irá prosseguir, disse ao 7MARGENS o presidente da Associação, Abudo Gafuro.

Para quem desejar apoiar, eis o IBAN da Associação Kuendeleya: MZ59 0001 0000 0057 4317 5045 7. 

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Clero de Angra pede “incremento da pastoral vocacional” assente no “testemunho do padre”

Face a "descredibilização" dos presbíteros

Clero de Angra pede “incremento da pastoral vocacional” assente no “testemunho do padre” novidade

Reconhecendo que o contexto da Igreja universal “é caracterizado pela descredibilização do clero provocada por diversas crises, pela redução do número de vocações ao sacerdócio ministerial e pela situação sociológica de individualismo e de crescente indiferença perante a questão vocacional”, os representantes do Clero diocesano de Angra (Açores) defendem o incremento da “pastoral vocacional assente na comunidade, sobretudo na família e no testemunho do padre”.

Por uma transumância outra

Por uma transumância outra novidade

Este texto do Padre Joaquim Félix corresponde à homilia do Domingo IV da Páscoa na liturgia católica – último dia da semana de oração pelas vocações – proferida nas celebrações eucarísticas das paróquias de Tabuaças (igreja das Cerdeirinhas), Vilar Chão e Eira Vedra (arciprestado de Vieira do Minho).  

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This