75 anos da bomba atómica: Nuclear não é “fantasma do passado”, alertam bispos católicos e protestantes

| 5 Ago 20

oracao desarmamento nuclear, Foto Vatican News sem creditos

Nos EUA, a Comissão para a Justiça e a Paz da Conferência Episcopal convocou para 9 de agosto um dia nacional especial de oração, estudo e ação pelo desarmamento nuclear. Foto: Vatican News.

 

 

Já passaram 75 anos sobre os bombardeamentos atómicos nas cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki, ocorridos a 6 e 9 de agosto de 1945, mas “a guerra nuclear e o uso de armas semelhantes como dissuasão não são fantasmas do passado”, sublinham a Comissão Episcopal Alemã para a Justiça e a Paz e o Conselho das Igrejas Ecuménicas na Alemanha num comunicado conjunto. Também no Japão, nos EUA, e um pouco por todo o mundo, os responsáveis por diferentes Igrejas cristãs revelam receios face às ameaças de destruição e apelam à abolição definitiva do armamento nuclear.

Atualmente, “ainda existem 16 mil ogivas nucleares que estão a adquirir uma importância estratégica cada vez maior” e esse “desdobramento preocupante” não pode deixar-nos “indiferentes”, afirmam os bispos alemães. O uso da energia nuclear como “arma de destruição de massa era e é eticamente injustificável”, defendem os responsáveis católicos e protestantes, e a sua utilização como “instrumento de estratégia política” é um ato “irresponsável”.

Os bispos referem ainda a existência de “uma escalada de violência” no mundo, com “novas ameaças” como a “guerra cibernética, o terrorismo, e os conflitos comerciais” e lamentam o “não cumprimento total dos acordos internacionais sobre armas nucleares”.

“Em memória das vítimas de agosto de 1945, hoje pedimos aos líderes políticos para darem passos sérios em direção a um mundo livre de armas nucleares. Isso exige um diálogo confiante e a vontade política de mudança”, cujo “primeiro e notável sinal” deveria ser “a aceitação e ratificação do Tratado das Nações Unidas sobre a proibição de armas nucleares também pela Alemanha”, pode ler-se na nota.

Também numa declaração conjunta, os líderes das conferências episcopais católicas de Inglaterra, Gales e Escócia dizem ser chamados “a refletir sobre a posse de armas nucleares por parte do Reino Unido” e a apelar, uma vez mais, à abolição das mesmas.

“O custo das armas nucleares deveria ser medido não apenas pelas vidas destruídas devido à sua utilização, mas também pelo sofrimento das pessoas mais pobres e vulneráveis, que poderiam ter beneficiado se tais avultadas somas de dinheiro público tivessem sido investidas no bem comum da sociedade”, sublinham.

Nos EUA, a Comissão para a Justiça e a Paz da Conferência Episcopal convocou para 9 de agosto um dia nacional especial de oração, estudo e ação pelo desarmamento nuclear. E em nome dos bispos católicos do país, também o presidente da conferência episcopal norte-americana (USCCB), o bispo José Gomez, assinou um comunicado onde pede que se busque “sempre o caminho da paz e alternativas ao uso da guerra como instrumento de solução dos conflitos entre nações e povos”.

Já no passado mês de junho, os bispos norte-americanos e europeus tinham emitido um comunicado conjunto pedindo “prioridade máxima” para o controlo de armas e desarmamento nuclear e alertando para o facto de o mundo permanecer “em grave perigo”.

Num tom mais positivo, a declaração dos bispos católicos do Japão para assinalar este aniversário recorda as palavras do Papa Francisco, proferidas na sua Mensagem para o 52º Dia Mundial da Paz, em 2019: “O processo de paz é um trabalho paciente de busca da verdade e da justiça, que honra a memória das vítimas e que se abre, passo a passo, a uma esperança comum, mais forte do que a vingança”. Inspirados por elas, afirmam-se otimistas: “Certamente são os seres humanos que causam a guerra, mas não somos também nós os que podemos detê-la?… Esta é a nossa convicção inabalável”.

 

[related_posts_by_tax format=”thumbnails” image_size=”medium” posts_per_page=”3″ title=”Artigos relacionados” exclude_terms=”49,193,194″]

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Assembleia continental europeia do Sínodo

Um bispo, um padre e duas leigas na delegação portuguesa novidade

A delegação portuguesa à assembleia continental europeia do Sínodo que vai decorrer em Praga de 5 a 12 de fevereiro é composta pelo bispo José Ornelas, presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), pelo padre Manuel Barbosa, secretário da CEP, e por Carmo Rodeia e Anabela Sousa, que fazem parte da equipa sinodal nacional. A informação foi divulgada esta quinta-feira, 2 de fevereiro, em nota enviada às redações.

Estudo decorre até 2028

A morte sob o olhar do cinema e da filosofia

O projeto “Film-philosophy as a meditation on death” (A filosofia do cinema como meditação sobre a morte), da investigadora portuguesa Susana Viegas, acaba de ser contemplado com uma bolsa de excelência do European Research Council, no valor de um milhão e setecentos mil euros, para um trabalho de equipa de cinco anos.

Normas inconstitucionais

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC

O secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) saudou a decisão do Tribunal Constitucional (TC), que declarou inconstitucionais algumas das normas do decreto sobre a legalização da eutanásia. “A decisão do TC vai ao encontro do posicionamento da CEP, que sempre tem afirmado a inconstitucionalidade de qualquer iniciativa legislativa que ponha em causa a vida, nomeadamente a despenalização da eutanásia e do suicídio assistido”, disse à agência Ecclesia o padre Manuel Barbosa.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Dia dos Mártires

Igreja na Índia recorda massacre de 2008

Treze anos depois da onda de violência que varreu o Estado de Orissa, na Índia, provocando mais de 100 mortos, a justiça é ainda uma miragem, denuncia a Fundação AIS. Desde 2016 que é celebrado pela Igreja em Orissa o dia dos Mártires. 

Fundação AIS

Padre haitiano morto a tiro

Um padre que dirigia um orfanato no Haiti foi morto a tiro, Andrè Sylvestre, de 70 anos de idade, foi assassinado na tarde de segunda-feira, 6 de setembro, durante uma tentativa de assalto, revelou a Fundação AIS. 

IndieLisboa

Cinema: prémio Árvore da Vida atribuído a “Sopro”

O filme “Sopro”, realizado por Pocas Pascoal, uma cineasta angolana de 58 anos, foi distinguido na segunda-feira com o prémio Árvore da Vida, atribuído pelo Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura (SNPC), no final da 18.ª edição do festival de cinema independente IndieLisboa. 

Máximo histórico

Quatro em cada dez espanhóis dizem-se ateus ou não crentes

O estudo mais recente do Centro de Investigações Sociológicas de Espanha revela que quase quatro em cada dez espanhóis (38,7%) se declaram ateus ou não crentes e são apenas 16,7% os inquiridos que se assumem como católicos praticantes. Trata-se do máximo histórico do número de não crentes e do valor mais baixo alguma vez registado em relação aos católicos praticantes. Se a tendência se mantiver, estima-se que dentro de dois anos o número de não crentes no país ultrapasse, pela primeira vez, o de crentes.

Entre margens

O cristianismo resiste

O cristianismo resiste novidade

Expomos neste artigo a dispersão das crenças religiosas dos portugueses nos últimos 120 anos, baseados nos censos da população, publicados pelo Instituto Nacional de Estatística no dia 23 de Novembro de 2022.

Debate: Deficiência, dignidade e realização humana

Debate: Deficiência, dignidade e realização humana

Quando ambos falamos de realização humana, talvez estejamos a referir-nos a coisas diferentes. Decerto que uma pessoa com deficiência pode ser feliz, se for amada e tiver ao seu alcance um ambiente propício à atribuição de sentido para a sua existência. No entanto, isso não exclui o facto da deficiência ser uma inegável limitação a algumas capacidades que se espera que todos os seres humanos tenham (e aqui não falo de deficiência no sentido da nossa imperfeição geral).

Cultura e artes

E se os Simpsons fossem uma família judia deportada para Auschwitz?

Murais recordam vítimas do Holocausto

E se os Simpsons fossem uma família judia deportada para Auschwitz?

Homer, Marge, Bart, Lisa e Maggie: se a família criada por Matt Groening tivesse vivido em Itália nos anos 40 e fosse judia, teria certamente sido forçada a partir da Plataforma 21, na Estação Central de Milão, com destino aos campos de concentração de Auschwitz. Sobreviveriam? O ativista e artista pop contemporâneo aleXsandro Palombo quer acreditar que sim, mas nunca mais seriam os mesmos. Assim, para assinalar o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto (27 de janeiro), retratou-os junto a essa mesma estação, num “antes e depois” que não deixa ninguém que ali passe indiferente.

Maria Emília Brederode Santos: uma mulher de liberdade

Doutora honoris causa pelo ISPA

Maria Emília Brederode Santos: uma mulher de liberdade

Maria Emília Brederode Santos é uma mulher de liberdade. Foi esta a mensagem que se destacou do discurso de elogio proferido pelo professor José Ornelas na cerimónia de atribuição do doutoramento honoris causa, pelo ISPA – Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida, a Maria Emília Brederode Santos. Sala cheia e muitos aplausos, para homenagear esta grande humanista com uma vida política, social e cultural intensa.

Um concerto de gregoriano e música seiscentista antes de uma visita de estudo a Roma para 22 alunos portugueses

Dia 28, em Lisboa

Um concerto de gregoriano e música seiscentista antes de uma visita de estudo a Roma para 22 alunos portugueses

Será um concerto que cruza o canto gregoriano com música portuguesa do século XVII, mas que pretende preparar também uma visita de estudo a Roma: no próximo sábado, 28, às 17h, na Igreja de São Vicente de Fora, em Lisboa, 22 alunos da Escola Artística e do Consort de Flautas de Bisel do Instituto Gregoriano de Lisboa (IGL) cantarão gregoriano e executarão obras de compositores como Manuel Rodrigues Coelho, António Carreira, Pedro de Araújo ou Pedro de San Lorenzo, transcritas para flauta.

Recordar o centenário do nascimento, quando Eugénio foi senha da revolução de Tiananmen

“Como se amanhecesse”

Recordar o centenário do nascimento, quando Eugénio foi senha da revolução de Tiananmen

Provavelmente são muito poucos, ou quase ninguém, os que sabem desta história. Nunca a vi escrita, nem mencionada nas inúmeras notícias ou biografias do Eugénio, nem muito menos nas crónicas sobre o que aconteceu em Tiananmen, há muitos anos. Tão pouco dá conta disso o seu tradutor em chinês, Yao Jingming, que conheceu o poeta em 1988. É disso que pretendo dar testemunho, ad perpetuam rei memoriam, no dia em que o Eugénio de Andrade celebraria cem anos de vida.

Sete Partidas

O livro que ele não escolheu

O livro que ele não escolheu

E esse homem que lê o livro que não escolheu. Derrama a imaginação no sarcasmo do travesseiro que é degrau de livraria. Então eu sei que o livro é pai e mãe, e voz serena para embalar quem vai dormir. Só que o sono não chega porque a serenidade não cabe nas páginas de quem continua preta.

Aquele que habita os céus sorri

falemos de felicidade

falemos de felicidade

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, no Domingo IV do Tempo Comum A. Hospital de Santa Marta, Lisboa, 28 de Janeiro de 2023.

Agenda

[ai1ec view=”agenda” events_limit=”3″]

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This