Arte mostra que mulheres já lideraram comunidades cristãs

| 27 Out 19 | Cristianismo - Homepage, Igreja Católica, Últimas

Cerula, mulher dos primeiros séculos, representada com os atributos de líder da comunidade cristã.

 

Várias obras de arte cristãs dos primeiros séculos mostram mulheres em lugar de grande destaque nas assembleias dos crentes. Uma das imagens é a que representa uma mulher, de nome Cerula, encontrada nas catacumbas de São Januário, em Nápoles, em 1971: a mulher aparece de mãos erguidas, tendo sobre a sua cabeça as letras Qui e Ró, que simbolizam Cristo e, ao lado, dois livros flamejantes com os evangelhos.

As informações foram dadas por Luca Badini, professor e investigador da Universidade de Birmingham (Reino Unido), que é também director de Investigação no Wijngaards Institute for Catholic Research e autor de vários livros sobre a democracia e o ecumenismo na Igreja Católica.

Num encontro promovido pelo movimento Nós Somos Igreja, em Lisboa, a 19 de Outubro, Luca Badini acrescentou que a iconografia e a forma de representar Cerula era habitualmente reservada a líderes de grande estatuto, como os bispos. E a representação desta mulher é apenas uma entre várias que confirma que, no início, as mulheres tiveram também funções de destaque ou mesmo de liderança nas comunidades cristãs dos primeiros séculos.

Para Luca Badini, factos como estes mostram que não há argumentos suficientes para impedir a ordenação de mulheres no catolicismo, sejam elas de carácter baseadas na tradição ou na interpretação das escrituras ou dos textos do magistério. E hoje os avanços sócio-culturais ou as recentes investigações mostram a insustentabilidade de algumas dessas teses, defendeu Badini.

A iniciativa do Nós Somos Igreja – Portugal concluiu a reunião do comité da Women’s Ordination Worldwide (WOW) em Lisboa. A WOW, fundada em 1996 na Áustria, é uma rede de grupos católicos que defende a possibilidade do acesso das mulheres aos ministérios ordenados. O Nós Somos Igreja – Portugal integra também a WOW, a par de outras organizações como a Women’s Ordination Conference, dos Estados Unidos, e a Roman Catholic Women Priests, responsável pela ordenação de sete mulheres no Danúbio em 2002.

(Texto redigido com base em contributo de Pedro Freitas)

Artigos relacionados

Apoie o 7 Margens

Breves

A mulher que pode ter autoridade sobre os bispos

Francesca di Giovanni, nomeada pelo Papa para o cargo de subsecretária da Secção para as Relações com os Estados, considerou a sua escolha como “uma decisão inovadora [que] representa um sinal de atenção para com as mulheres.

Papa considera “superado” episódio do livro sobre celibato

O Papa Francisco terá considerado ultrapassado o episódio do início desta semana, a propósito do livro sobre o celibato, escrito pelo cardeal Robert Sarah, da Guiné-Conacri, e o Papa emérito Bento XVI (ou que o cardeal escreveu sozinho, usando também um texto de Ratzinger).

Henrique Joaquim: “Assistencialismo não tira da rua as pessoas sem-abrigo”

“O assistencialismo não tira a pessoa da rua, não resolve o problema; ainda que naquela noite tenha matado a fome a uma pessoa, não a tira dessa condição”, diz o gestor da Estratégia Nacional de Integração dos Sem-abrigo, Henrique Joaquim, que esta quinta-feira, 2 de Janeiro, iniciou as suas funções.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

Do Porto a Bissau: um diário de viagem no 7MARGENS dá origem a livro

Do Porto a Bissau: um diário de viagem no 7MARGENS dá origem a livro

A viagem começou a 3 de Fevereiro, diante da Sé do Porto: “Quando estacionámos o jipe em frente à catedral do Porto, às 15h30, a aragem fria que fustigava o morro da Sé ameaçava o calor ténue do sol que desmaiava o seu brilho no Rio Douro.” Terminaria doze dias depois, em Bissau: “Esta África está a pedir, em silêncio e já há muito tempo, uma obra de aglutinação de esforços da comunidade internacional, Igreja incluída, para sair do marasmo e atonia de uma pobreza endémica que tem funestas consequências.”

É notícia

Entre margens

Ditadura da esperteza ou psicopatia

Vivemos na era do destemor e do medo; da aceleração e da lentidão; das raivas e das guerras, mas também do desejo de paz; da ambição de conhecimento e da real ignorância sem qualquer sabedoria.

Beleza e ecumenismo

A junção de beleza e ecumenismo evoca a luxuriante diversidade num jardim. A beleza tem afinidades com a surpresa: é a vitória sobre o banal, o monótono.

Cultura e artes

Cinema: À Porta da Eternidade

O realizador Julian Schnabel alterou, com este filme, alguns mitos acerca de Vincent van Gogh, considerado um dos maiores pintores de todos os tempos. Os cenários, a fotografia e a iluminação do filme produzem uma aproximação visual às telas do pintor, no período em que van Gogh parte para Arles, no sul de França, em busca da luz, seguindo todo o seu percurso até à morte, aos 37 anos de idade.

Que faz um homem com a sua consciência?

Nem toda a gente gosta deste filme. Muitos críticos não viram nele mais do que uma obra demasiado longa, demasiado maçadora, redundante e cabotina. Como o realizador é Terrence Malick não se atreveram a excomungá-lo. Mas cortaram nas estrelas. E no entanto… é um filme de uma força absolutamente extraordinária. Absolutamente raro. Como o melhor de Mallick [A Árvore da Vida].

Sete Partidas

Guiné-Bissau: das “cicatrizes do tempo” ao renascer do povo

Este mês fui de visita à Guiné. Uma viagem de memória para quem, como eu, não tinha memórias da Guiné. Estive em Luanda ainda em criança, mas as memórias são as próprias da idade. Excepção à única em que o meu pai me bateu. Às cinco da tarde saí de casa e às dez da noite descobriram-me a assistir, divertida, ao baile no clube. Uma criança de cinco anos, branca e loura, desaparecida na Luanda dos anos 1960 não augurava coisa boa, o que gerou o pânico dos meus pais. Daí a tareia…

Visto e Ouvido

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

Jan
23
Qui
Encontros de Santa Isabel – “Jesus, as periferias e nós” @ Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa
Jan 23@21:30_23:00

Conferência sobre “Periferias”, com Isabel Mota, presidente da Fundação Calouste Gulbenkian

Jan
30
Qui
Encontros de Santa Isabel – “Jesus, as periferias e nós” @ Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa
Jan 30@21:30_23:00

Debate sobre “Aqui e agora”, com Luís Macieira Fragoso e Maria Cortez de Lobão, presidente e vice-presidente da Cáritas Diocesana de Lisboa

Jan
31
Sex
III Congresso Lusófono de Ciência das Religiões – Religião, Ecologia e Natureza (até 5 de Fevº) @ Universidade Lusófona, Templo Hindu, Mesquita Central e Centro Ismaili
Jan 31@09:30_14:00

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco