“As feridas da guerra não acabam como quem fecha uma torneira” diz bispo moçambicano

| 20 Fev 19

Religiões em Moçambique. Gráfico © Fundação AIS

“As feridas da guerra não acabam como quem fecha uma torneira” diz o bispo de Inhambane (Moçambique), Adriano Langa, em entrevista à fundação AIS, em relação às sequelas de longos anos de conflito armado que ainda são visíveis naquele país africano. 

A guerra civil de Moçambique durou de 1977 a 1992 e fez cerca de milhão de mortos e mais de cinco milhões de deslocados. Em 1992 foi celebrado um acordo de paz sob a égide da Comunidade de Sant’Egídio mas, segundo o bispo, ainda há muito caminho a percorrer até que se possa viver efetivamente em paz: “Ainda há sequelas, há efeitos da guerra colonial, da independência e da guerra civil, da tensão política que se viveu desde os anos 2014 e 2015… e vai levar muito tempo até acabar. Não é uma coisa visível, mas ainda existe.”

Desde outubro de 2017 que o norte do país tem estado sob uma onda de violência, com ataques particularmente graves a aldeias, com casas destruídas e mortes. Calcula-se que já tenham sido assassinados mais de 150 moçambicanos nestes ataques cujas razões são desconhecidas e o bispo de Inhambane expressa a sua preocupação: “São pessoas que morrem ou ficam com as vidas destruídas… Quando se destrói uma casa, uma aldeia, é a vida que é destruída. A Igreja está preocupada e esperamos que as coisas se esclareçam e sobretudo que acabem. Estamos ansiosos de ver isso acontecer. Que acabem (os ataques) pois tem sido muito violenta, muito dura esta situação.”

No Natal do ano passado, realizou-se mesmo um peditório a favor das famílias que mais têm sofrido com estes ataques na província de Cabo Delgado. O importante, sublinha o bispo Langa, “é mostrar, de facto, com esses gestos, a proximidade da Igreja”.

Também fruto da guerra civil foi a pobreza, já previamente referida pelo presidente da Cáritas, o bispo Alberto Vera. Moçambique chegou a ser considerado o país mais pobre do mundo e, apesar de hoje em dia não ser essa a realidade, Adriano Langa afirma que é algo que ainda afeta bastante as zonas rurais: “Quando não há estradas, a circulação torna-se deficiente e isso acontece em Moçambique. O norte produz muito mas os produtos não conseguem chegar até ao sul porque as vias de comunicação são deficientes.”

Artigos relacionados

Breves

Funeral em Lisboa

O papel de Feytor Pinto na mudança social

O padre Vítor Feytor Pinto “foi um exemplo magnífico” das propostas do Concílio Vaticano II no sentido de uma relação “muito activa Igreja-mundo, em que as comunidades cristãs longe de estarem fechadas sobre si próprias se transformam como lugar de encontro e proposta”, disse o patriarca de Lisboa.

Boas notícias

Timor-Leste: nasce associação para o turismo religioso

Iniciativa interconfessional

Timor-Leste: nasce associação para o turismo religioso

Acaba de nascer a Associação de Turismo Religioso de Timor-Leste (ATRTL), num ato realizado na última terça-feira, dia 11, na catedral da Imaculada Conceição, em Díli. O lançamento da iniciativa, que envolve todas as religiões do país, ocorreu no aniversário da data da visita do Papa João Paulo II àquele território, quando este se encontrava ainda ocupado pelo poder indonésio. O processo da sua criação, que decorria desde 2018, envolve as confissões católica (maioritária), protestante, muçulmana, hindu e confucionista.

É notícia 

Entre margens

Um sentimento misto novidade

No trabalho ou em qualquer outra responsabilidade todos desejamos que tenham confiança em nós e no discernimento que fazemos das coisas. Quantas pessoas não fazem a menor ideia da rede complexa de relacionamentos que estão em jogo e que, por detrás dos silêncios, existe uma visão do todo cuja compreensão exige tempo para a assimilar, não um tweet. Assume, aqui, importância, desenvolver uma cultura da confiança em quem assume determinadas responsabilidades.

Abusos: entre a vergonha e a esperança

Saiu agora mais um relatório sobre a realidade dos abusos sexuais, desta vez em França. Recordo outras situações como EUA, Polónia, Irlanda, Austrália, Nova Zelândia, Alemanha…todos, segundo os critérios diferenciados de estudo e análise, vão mostrando uma realidade que envergonha a Igreja Católica e a sociedade, manifestando não apenas escândalo, mas também situações de indiferença e até crueldade.

A busca de Jesus – em memória de Dimas Almeida

Num testamento deixado à família e ao Grupo de Carcavelos, Dimas Almeida cita a célebre pergunta que Jesus fez aos seus discípulos: “Quem dizeis vós que eu sou?” É espantoso que esse texto (Marcos 8: 27-35) esteja incluído no evangelho deste dia litúrgico, precisamente quando evocamos a memória do nosso amigo, e tenha sido citada no último texto que nos legou.

Cultura e artes

Dioceses portuguesas abriram Sínodo

Escutar sem filtros insatisfações e expectativas do mundo sobre a Igreja novidade

Na Arquidiocese de Braga não haverá assembleias sinodais, mas, em contrapartida, haverá uma forte aposta na multiplicação de pequenos grupos nas paróquias, comunidades e movimentos, com a tarefa de “escutarem o que o Espírito Santo diz à Igreja” através dos seus membros e, também através daqueles que andam longe ou nas suas margens. O Sínodo da Igreja Católica foi aberto solenemente em todas as dioceses do mundo, também em Portugal.

Exposição e debate no Museu de Etnologia

Quando o espaço sagrado passa a património

O que têm em comum o santuário católico mariano de Fátima, a vila muçulmana andaluza de Mértola, a romântica e encantada Sintra e o bairro lisboeta e islâmico da Mouraria? E como podem coexistir em Fátima o catolicismo popular que domina o santuário, e o facto de outros cristãos, mas também hindus, muçulmanos, praticantes de religiões afro-brasileiras e de nova era procurarem o lugar?

Cinema

Plantar uma árvore no mar

Comecemos então por aquele barco no mar que leva uma planta e duas personagens. Apesar de Catarina Vasconcelos dizer que não é crente, ao contrário da avó e do avô, são muitos os sinais e as memórias do que podíamos chamar uma linguagem evangélica. Estou a tentar falar de um dos mais belos filmes que já pude ver, A Metamorfose dos Pássaros.

Reflexões da minha cabana

Uma joia da literatura clássica japonesa

O ensaio do monge budista e poeta Kamo no Chōmei (1155-1216), denominado Hōjōki, publicado em 1212, pertence aos clássicos japoneses mais apreciados e a sua primeira menção remonta a 1222, aparecendo em Kankyo no tomo, obra constituída por 32 histórias budistas.

Sete Partidas

Da personalização do voto novidade

Sempre achei confuso e difícil isto de escolher duas coisas com um só boletim de voto. Uma coisa é escolher com que partido ou com que programa de governo me identifico mais, outra coisa é escolher quem é a pessoa ou o partido que eu acho que representa melhor os interesses da minha região no parlamento. Na minha cidade natal, o Porto, aconteceu-me diversas vezes querer votar num partido com um determinado programa de governo, mas achar que o deputado X de outro partido poderia fazer a diferença no Parlamento.

Visto e Ouvido

Igreja tem política de “tolerância zero” aos abusos sexuais, mas ainda está em “processo de purificação”

D. José Ornelas

Bispo de Setúbal

Agenda

[ai1ec view=”agenda”]

Ver todas as datas

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This