As máscaras dos capelães militares, o salário dos padres de Braga e os apoios jesuítas

| 10 Abr 20

Viseiras contra covid-19

Viseiras produzidas no Colégio das Caldinhas, oferecidas aos profissionais de saúde. Foto Ponto SJ

 

Os capelães militares fizeram uma coleta para adquirir 15 mil máscaras, que ofereceram esta quinta-feira, 9 de abril, à Guarda Nacional Republicana, Polícia de Segurança Pública e Forças Armadas.

Numa ação simbólica realizada em Santa Apolónia (Lisboa), o bispo das Forças Armadas e de Segurança, D. Rui Valério, fez a entrega das máscaras e participou na distribuição de refeições a sem-abrigo.

“No contexto da atual situação de pandemia, no qual todos somos convidados, mais do que nunca, a unir-nos e a unir todos os nossos esforços para combater a única e mesma ameaça, os capelães das Forças Armadas e das Forças de Segurança sentiram um forte apelo à solidariedade”, escreveu o bispo numa carta enviada aos chefes das várias forças nacionais.

O responsável da diocese do Ordinariato Castrense sublinhou que todos os capelães militares estão unidos aos elementos das forças de segurança, partilhando “não apenas o sentimento de preocupação pelo que está a acontecer”, mas também “o espírito de prontidão com que os militares e agentes de segurança servem a sua pátria, onde quer que sejam chamados. (…) Com elas e com eles, também os responsáveis pela dimensão espiritual, religiosa e antropológica estão na linha da frente”, assegurou.

 

Arcebispo de Braga desafia padres a oferecerem um salário

Também o arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, considera que os padres devem estar na linha da frente neste “momento de corresponsabilidade solidária”. Enviou por isso uma mensagem a todos os padres da arquidiocese, pedindo que contribuam com um salário para a criação de um fundo solidário.

O fundo “Partilhar com Esperança”, originalmente criado para apoiar os portugueses afetados pela crise de 2009/2010, deverá agora ser reforçado e utilizado para ajudar “pessoas com fome, desempregados”, mas também os “empregados e trabalhadores dos centros sociais que virão a ter dificuldades por causa da nova situação económica”.

Nas palavras do bispo, a Igreja não se pode ficar pelo “mero exigir às pessoas”, precisa de “encontrar soluções que, de um modo novo e totalmente diferente, garantam a sustentabilidade de todas as instâncias da arquidiocese”.

“Estejamos, mais do que nunca, atentos, agora e no futuro, a quem vive na tribulação, no luto e na ansiedade por causa da grave crise que estamos a enfrentar”, pediu o arcebispo. 

 

Jesuítas multiplicam apoios em Portugal e no mundo

Jesuítas. Apoio à luta contra covid-19

Camas do Colégio das Caldinhas (Santo Tirso) cedidas pelos jesuítas para apoio à luta contra a covid-19. Foto: PontoSJ

 

Assim têm feito os padres e voluntários das instituições da Companhia de Jesus em Portugal, a colaborar ativamente com as autoridades nacionais e locais no combate à pandemia de covid-19. Não só colocaram ao dispor equipamentos e instalações para acolher utentes e profissionais de saúde, como estão também a produzir material de apoio aos profissionais de saúde.

Em Santo Tirso, os jesuítas cederam cerca de 50 camas do Colégio das Caldinhas para a criação de um centro de acolhimento, no pavilhão municipal da cidade. O pavilhão gimnodesportivo do colégio foi também disponibilizado para a criação de um centro de acolhimento com 60 camas, instalado em articulação com a Câmara Municipal, os Serviços da Proteção Civil e a Junta de Freguesia.

Na mesma escola, foram ainda produzidas mais de 400 viseiras destinadas aos profissionais de saúde de Santo Tirso, Vila Nova de Famalicão e de outros concelhos próximos. As viseiras foram produzidas voluntariamente por professores da instituição nas impressoras 3D da escola.

Ainda na zona norte do país, a Casa da Torre (centro de espiritualidade dos jesuítas em Soutelo, Braga) disponibilizou cinco quartos para acolher profissionais de saúde que preferem não pernoitar nas suas casas para evitar contagiar familiares, em resposta a um pedido da Câmara Municipal de Vila Verde.

Mais a sul, na Casa de Retiros de Santo Inácio (Rodízio, Sintra), foram também disponibilizados 15 quartos, num total de 30 camas, aos serviços da Segurança Social, destinados a acolher utentes de instituições sociais, nomeadamente lares de idosos

As iniciativas solidárias dos jesuítas têm-se multiplicado em Portugal e no resto do mundo e podem ser conhecidas no novo website da companhia jesuits.online, lançado esta quarta-feira. “Estamos a aprender novos hábitos, a construir novas estruturas”, explicou o superior-geral da Companhia de Jesus, padre Arturo Sosa, numa mensagem em vídeo publicada no novo portal. “Somos chamados a ser mais criativos, é um momento de conversão e estas iniciativas mostram como o Evangelho é vivido a cada momento. Mostram como podemos reagir, que não devemos deixar que a pandemia nos condicione: podemos decidir como viver e a que dar prioridade”.

Artigos relacionados

Pin It on Pinterest

Share This