As muitas manifestações pelo clima, em Portugal, nesta sexta, 27

e | 26 Set 19 | Casa Comum, Sociedade - homepage, Últimas

Jovens em São Francisco (EUA), em Março: o clima está a mudar, porque não mudamos nós?, pergunta o cartaz à esquerda; e à direita: “Um bom planeta é difícil de encontrar”. Foto © Intothewoods7/Wikimedia Commons

 

Nesta sexta-feira, milhões de pessoas em todo o mundo voltarão a fazer greve pelo clima. Em Portugal, estão previstas concentrações e marchas em várias localidades.

Em Lisboa, a marcha ligará o Cais do Sodré ao Rossio a partir das 15h; no Porto, duas horas mais tarde, os manifestantes desfilam entre a Praça da República e a Avenida dos Aliados. Também para as 17horas estão marcadas concentrações em Guimarães (Plataforma das Artes), Braga (Pç. da República), Vila Real (Câmara Municipal), Chaves (Lg. General Silveira), Aveiro (Escola Homem Cristo), Viseu (Rossio), Coimbra (Largo D. Dinis), Setúbal (Largo Zeca Afonso), Évora (Pç. do Giraldo), Sines (Jardim das Descobertas), Faro (Rotunda do Hospital), Lagos (Mercado Municipal), Portimão (Aqua Portimão) e Tavira (Escola Secundária).

Mais cedo, será a vez de Leiria (9h, Estádio Magalhães Pessoa), Guarda (10h30, Pç. da Sé) e Portalegre (16h, Rossio). Haverá ainda concentrações em Castro Verde, Lousada, Moimenta da Beira, Penafiel, Pombal e Vila Pouca de Aguiar.

A nível mundial, está a crescer também a participação de grupos de base religiosa nas manifestações pelo clima. Christina Leaño, directora do Movimento Católico Global pelo Clima (MCGC) disse ao jornal digital Crux que a envolvência de católicos nestes movimentos vem na sequência da Laudato Si’, a encíclica histórica que o Papa Francisco escreveu em 2015, chamando a atenção para o tema.

“Estamos no meio de uma emergência climática, e as pessoas de fé necessitam de respeitar toda a vida, incluindo as gerações que ainda irão nascer, todas as espécies vivas no planeta, e as crianças que vivem neste momento,” afirma Leaño.

A presidente da organização alemã Pão Para o Mundo, Cornelia Füllkrug-Weitzel, afirmou entretanto que a renovação espiritual pessoal e colectiva é a chave para fazer a diferença na luta contra as alterações climáticas. Mas isso deve levar a fazer uma pergunta: “Quais são as partes da nossa espiritualidade que pertencem no mercado económico?”

Citada no serviço noticioso do Conselho Mundial de Igrejas, Füllkrug-Weitzel acrescenta: “Nós precisamos de fazer um exame crítico individual para renovar as nossas raízes espirituais. Podemos e devemos fazer isso.”

As “Reflexões Islâmicas” da revista muçulmana de Lisboa, Al Furqán, publicará nesta sexta-feira também um texto sobre “A Ecologia e os Valores Islâmicos”. Entre vários conselhos, lê-se na revista, publicada por Mohamed Youssuf, da Comunidade Islâmica de Lisboa: “Para sermos fiéis à nossa religião, devemos mudar os nossos costumes e fazer um esforço para conservar, educar e criar instituições alternativas, para mitigar e ajudar a lidar com a crise económica e ambiental iminente, preservar e fortalecer as nossas comunidades e instituições islâmicas, e pensar em como podem ser úteis na luta para ajudar a humanidade a exercer um governo responsável.”

Artigos relacionados

“No tempo dividido” – Mistagogia da temporalidade na poesia de Sophia

“No tempo dividido” – Mistagogia da temporalidade na poesia de Sophia

Sophia chegou cedo. Tinha dez ou onze anos quando li O Cavaleiro da Dinamarca, cuja primeira edição data de 1964. É difícil explicar o que nos ensina cada livro que lemos. Se fechar os olhos, passados mais de 30 anos, recordo ainda que ali aprendi a condição de pe-regrino, uma qualquer deriva que não só nos conduz de Jerusalém a Veneza, como – mais profundamente – nos possibilita uma iniciação ao testemunho mudo das pedras de uma e às águas trémulas dos canais da outra, onde se refletem as leves colunas dos palácios cor-de-rosa.

Apoie o 7 Margens

Breves

Um posto de saúde para os mais pobres na Praça de São Pedro

O Vaticano inaugurou um posto de saúde na Praça de São Pedro para ajudar os mais pobres e necessitados. O posto é composto por oito ambulatórios e, segundo um comunicado do Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização, citado pelo Vatican News, serão disponibilizadas consultas médicas com especialistas, cuidados especiais, análises clínicas e outros exames específicos.

Papa Francisco anuncia viagem ao Sudão do Sul em 2020

“Com a memória ainda viva do retiro espiritual para as autoridades do país, realizado no Vaticano em abril passado, desejo renovar o meu convite a todos os atores do processo político nacional para que procurem o que une e superem o que divide, em espírito de verdadeira fraternidade”, declarou o Papa Francisco, anunciando deste modo uma viagem ao Sudão do Sul no próximo ano.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Entre margens

A morte não se pensa

Em recente investigação desenvolvida por cientistas israelitas descobriu-se que o cérebro humano evita pensar na morte devido a um mecanismo de defesa que se desconhecia.

O regresso da eutanásia: humanidade e legalidade

As Perguntas e Respostas sobre a Eutanásia, da Conferência Episcopal Portuguesa, foram resumidas num folheto sem data, distribuído há vários meses. Uma iniciativa muito positiva. Dele fiz cuidadosa leitura, cujas anotações aqui são desenvolvidas. O grande motivo da minha reflexão é verificar como é difícil, nomeadamente ao clero católico, ser fiel ao rigor “filosófico” da linguagem, mas fugindo ao «estilo eclesiástico» para saber explorar “linguagem franca”. Sobretudo quando o tema é conflituoso…

Cultura e artes

Pedro Abrunhosa a olhar para dentro de nós

É um dos momentos altos do concerto: no ecrã do palco, passam imagens de João Manuel Serra – o “senhor do adeus” que estava diariamente na zona do Saldanha, em Lisboa, a acenar a quem passava – e a canção dá o tom à digressão de Espiritual, de Pedro Abrunhosa, com o músico a convidar cada espectador a olhar para dentro de si.

Trazer Sophia para o espanto da luz

Concretizar a possibilidade de uma perspectiva não necessariamente ortodoxa sobre os “lugares da interrogação de Deus” na poesia, na arte e na literatura é a ideia principal do colóquio internacional Trazida ao Espanto da Luz, que decorre esta sexta e sábado, 8 e 9 de Novembro, no polo do Porto da Universidade Católica Portuguesa (UCP).

As mulheres grávidas e o olhar feminino sobre a crise dos refugiados

Uma nova luz sobre a história dos refugiados que chegam à Europa, evitando retratá-los como “heróis ou invasores”. Francesca Trianni, realizadora do documentário Paradise Without People (Paraíso sem pessoas, em Inglês), diz que o propósito do seu filme, a exibir nesta quinta-feira, 31 de outubro, em Lisboa, era mostrar a crise dos refugiados do ponto de vista feminino.

Sete Partidas

Visto e Ouvido

Agenda

Parceiros

Fale connosco