Segurança reforçada nas mesquitas de Lisboa depois do ataque terrorista na Nova Zelândia

| 15 Mar 19

A Mesquita Al Noor, um dos dois alvos do ataque, numa foto de arquivo; Foto © página da Associação Muçulmana de Canterbury, NZ, no Facebook

 

As autoridades portuguesas reforçaram ligeiramente a segurança junto das mesquitas de Lisboa, depois dos atentados de ontem em duas mesquitas de Christchurch, Nova Zelândia, que provocaram pelo menos 49 mortos. “Todas as sextas-feiras [principal dia de oração dos muçulmanos] a polícia está presente junto da mesquita, mas desta vez sentimos que a presença era um pouco mais significativa”, disse ao 7MARGENS Mahomed Abed, um dos responsáveis da Comunidade Islâmica de Lisboa (CIL). 

O ambiente na mesquita, na oração da hora de almoço – aquela que mais pessoas reúne, às sextas-feiras – era de consternação e tristeza: “As pessoas comentavam que se tinha passado, tristes com o que já tinham ouvido” nos noticiários da manhã, disse ainda Abed. Os responsáveis da CIL receberam, entretanto, várias manifestações de pesar e solidariedade, incluindo do embaixador de Israel em Lisboa. 

Um telegrama do Papa Francisco, divulgado pelo Vaticano nesta sexta-feira e assinado pelo secretário de Estado do Vaticano, Pietro Parolin, expressa também a sua “profunda tristeza pelos ferimentos e vidas perdidas causadas pelos atos de violência sem sentimento nas duas mesquitas em Christchurch”. O Papa expressou ainda a sua solidariedade com todos os neozelandeses e, em particular, com a comunidade muçulmana.

Também o cardeal Vincent Nichols, de Westminster (Inglaterra) e a Comunidade de Santo Egídio, movimento católico sediado em Roma que dá prioridade ao diálogo ecuménico e inter-religioso, expressaram o “choque” pelo sucedido. Santo Egídio apelou a que as sociedades ocidentais combatam o ódio contra os muçulmanos e o islão, ao mesmo tempo que manifestava as “profundas condolências” às vítimas

O ataque foi considerado pelas autoridades neozelandesas como um ato terrorista e descrito pela primeira-ministra do país como “um ato de violência extraordinária e sem precedentes”. Terá sido levado a cabo por três homens e uma mulher, sendo que os quatro já se encontram em custódia policial.

Os dois locais de culto atingidos pelo ataque foram a mesquita Al Noor e a mesquita Linwood, a cerca de cinco quilómetros de distância uma da outra. Para ajudar os feridos, mortos e famílias o Comité Internacional da Cruz Vermelha criou uma página com os nomes das pessoas desaparecidas ou que foram encontradas e registadas.

Na altura dos ataques, Mike Bush, comissário da polícia neozelandesa, alertou a que as pessoas não se dirigissem de novo às mesquitas do país durante o dia de sexta-feira. Os lugares de oração muçulmana do país foram fechados até outras indicações. 

Segundo o The New York Times, um dos suspeitos tem 28 anos e é de nacionalidade australiana. O homem colocou um vídeo no Facebook onde filmou o seu caminho até à mesquita e o desenrolar de todo o ataque. Nesse vídeo, de 17 minutos, é possível ver o sujeito a aproximar-se da mesquita a pé e a começar a disparar para as pessoas à entrada do edifício. O atacante volta a sair da mesquita para ir buscar outra arma ao carro e volta a entrar na mesma, disparando contra mais pessoas. Depois de alguns minutos entra no veículo e vai-se embora.

O mesmo foi já associado como um “troll” da internet, imerso na cultura e fóruns da extrema-direita – onde terá colocado um manifesto de 87 páginas – motivado por um desejo de incitar violência e discórdia entre etnias e eliminar os “invasores” que ameaçam “substituir” os caucasianos.

O seu manifesto já foi considerado, por um especialista em terrorismo sueco “muito semelhante”, ainda que “mais desleixado”, ao manifesto publicado por Anders Behring Breivik, o nacionalista norueguês que matou 77 pessoas num acampamento de verão dos jovens socialistas, numa ilha, em 2011.

Na rede social 8chan, considerada uma comunidade online dominada pela extrema-direita, o mesmo colocou uma imagem com a frase “screw your optics”, a mesma que tinha sido utilizada por Robert Bowers, o atirador da sinagoga de Pittsburgh (EUA), em outubro passado. No 8chan, o vídeo do ataque na Nova Zelândia foi divulgado e o seu autor considerado um herói.

Nos últimos 18 meses, várias empresas tecnológicas têm prometido mais salvaguardas para assegurar que conteúdo violento não é distribuído nos seus sites. Mas essas medidas não foram suficientes para travar a publicação do vídeo ou do manifesto do autor do crime.

Este texto teve o contributo de António Marujo

Artigos relacionados

Breves

Boas notícias

Timor-Leste: nasce associação para o turismo religioso

Iniciativa interconfessional

Timor-Leste: nasce associação para o turismo religioso

Acaba de nascer a Associação de Turismo Religioso de Timor-Leste (ATRTL), num ato realizado na última terça-feira, dia 11, na catedral da Imaculada Conceição, em Díli. O lançamento da iniciativa, que envolve todas as religiões do país, ocorreu no aniversário da data da visita do Papa João Paulo II àquele território, quando este se encontrava ainda ocupado pelo poder indonésio. O processo da sua criação, que decorria desde 2018, envolve as confissões católica (maioritária), protestante, muçulmana, hindu e confucionista.

É notícia 

Entre margens

Sínodo em demanda de mudanças novidade

Falo-vos da reflexão feita pelo Papa Francisco, como bispo de Roma, no início do Sínodo, cuja primeira etapa agora começa, de outubro de 2021 a abril de 2022, respeitando às dioceses individuais. Devemos lembrar que o “tema da sinodalidade não é o capítulo de um tratado de eclesiologia, muito menos uma moda, um slogan ou novo termo a ser usado ou instrumentalizado nos nossos encontros. Não! A sinodalidade exprime a natureza da Igreja, a sua forma, o seu estilo, a sua missão”.

Confinar o medo?

Todos sentimos o impacto da pandemia, seja por conhecermos alguma vítima ou algum familiar ter sido afetado, por termos ouvido dezenas de reportagens nos media sobre a crise económica ou até por, mais de um ano depois, ainda detestarmos as máscaras. Após quase dois anos de distanciamento, continua o receio de estar perto do outro, a tentação de evitar um café com alguém porque “não tem cuidado nenhum”, de nos afastarmos porque temos receio de levar o vírus para dentro das nossas casas.

Cultura e artes

Dioceses portuguesas abriram Sínodo

Escutar sem filtros insatisfações e expectativas do mundo sobre a Igreja

Na Arquidiocese de Braga não haverá assembleias sinodais, mas, em contrapartida, haverá uma forte aposta na multiplicação de pequenos grupos nas paróquias, comunidades e movimentos, com a tarefa de “escutarem o que o Espírito Santo diz à Igreja” através dos seus membros e, também através daqueles que andam longe ou nas suas margens. O Sínodo da Igreja Católica foi aberto solenemente em todas as dioceses do mundo, também em Portugal.

Exposição e debate no Museu de Etnologia

Quando o espaço sagrado passa a património

O que têm em comum o santuário católico mariano de Fátima, a vila muçulmana andaluza de Mértola, a romântica e encantada Sintra e o bairro lisboeta e islâmico da Mouraria? E como podem coexistir em Fátima o catolicismo popular que domina o santuário, e o facto de outros cristãos, mas também hindus, muçulmanos, praticantes de religiões afro-brasileiras e de nova era procurarem o lugar?

Cinema

Plantar uma árvore no mar

Comecemos então por aquele barco no mar que leva uma planta e duas personagens. Apesar de Catarina Vasconcelos dizer que não é crente, ao contrário da avó e do avô, são muitos os sinais e as memórias do que podíamos chamar uma linguagem evangélica. Estou a tentar falar de um dos mais belos filmes que já pude ver, A Metamorfose dos Pássaros.

Reflexões da minha cabana

Uma joia da literatura clássica japonesa

O ensaio do monge budista e poeta Kamo no Chōmei (1155-1216), denominado Hōjōki, publicado em 1212, pertence aos clássicos japoneses mais apreciados e a sua primeira menção remonta a 1222, aparecendo em Kankyo no tomo, obra constituída por 32 histórias budistas.

Sete Partidas

Da personalização do voto

Sempre achei confuso e difícil isto de escolher duas coisas com um só boletim de voto. Uma coisa é escolher com que partido ou com que programa de governo me identifico mais, outra coisa é escolher quem é a pessoa ou o partido que eu acho que representa melhor os interesses da minha região no parlamento. Na minha cidade natal, o Porto, aconteceu-me diversas vezes querer votar num partido com um determinado programa de governo, mas achar que o deputado X de outro partido poderia fazer a diferença no Parlamento.

Visto e Ouvido

Igreja tem política de “tolerância zero” aos abusos sexuais, mas ainda está em “processo de purificação”

D. José Ornelas

Bispo de Setúbal

Agenda

[ai1ec view=”agenda”]

Ver todas as datas

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This