Atentados no Afeganistão são um “sério revés” no processo de paz

| 20 Mai 20

O Conselho Ecuménico de Igrejas (CEI) descreve os últimos atentados ocorridos no Afeganistão como “tragédias aterrorizantes” que “representam um sério revés nos esforços de paz” naquele país. Na semana passada, pelo menos 15 pessoas morreram num hospital em Cabul, incluindo dois bebés, e outras 25 foram mortas na província de Nangarhar durante o funeral de um comandante da polícia local. Esta segunda e terça-feira, dias 18 e 19 de maio, mais 16 pessoas morreram em três ataques, dois deles junto a mesquitas, o outro perto de um edifício dos serviços secretos afegãos.

Referindo-se aos ataques da semana passada, o padre Ioan Sauca, secretário-geral interino do CEI, afirmou ao Vatican News que “estas duas tragédias, visando pessoas inocentes nos momentos mais vulneráveis ​​da vida e da morte, são aterrorizantes. Tirar a vida de recém-nascidos e das suas mães, e de pessoas que participam no funeral de um membro de sua comunidade, toca profundamente a nossa humanidade”.

Os ataques não foram reivindicados por nenhum grupo, mas os Estados Unidos consideram que os mesmos têm todas as características associadas ao grupo afiliado do Daesh no Afeganistão – visando a minoria xiita do país.

Em comunicado, a Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão (UNAMA), expressou também esta terça-feira a sua preocupação com a intensificação dos ataques e a brutalidade de agressões reivindicadas por aquele grupo, bem como por parte dos guerrilheiros talibã e das forças afegãs.

Estes atentados são os mais recentes de uma longa série de atos de violência, após a conclusão em fevereiro de um acordo preliminar de paz entre os Estados Unidos e os talibã, que trazia a esperança de pôr fim a quatro décadas de guerra. 

Artigos relacionados