Aumentou número de mulheres nas cúpulas das dioceses católicas na Alemanha

| 12 Mar 19

Nos últimos cinco anos aumentou em quase seis por cento o número de mulheres em posições directivas nas dioceses católicas alemãs, que atinge actualmente os 19 por cento. Em termos absolutos, nas dioceses alemäs há 39 mulheres nas cúpulas diocesanas, para um total de 213 lugares. E, por voto do conselho permanente da Conferência Episcopal, esse número deve continuar a crescer até atingir nos próximos quatro anos os 33 por cento. Posições directivas significa, neste caso, em lugares de responsabilidade diocesana, imediatamente abaixo do bispo diocesano. Praticamente todas as cúrias diocesanas têm actualmente mulheres entre os seus membros. As mulheres nas cúrias diocesanas ocupam lugares de responsabilidade na pastoral diocesana, na Cáritas, nos secretariados de formação e nas escolas. São leigas, na sua esmagadora maioria, e a maioria mesmo mulheres casadas (53 por cento).

Estes dados foram revelados na manhã desta terça-feira, dia 12 de Março, pelo bispo de Osnabrück, Franz Josef Bode, presidente de uma das comissões da Conferência Episcopal, no âmbito de uma conferência de imprensa em Lingen, onde esta semana está a decorrer a assembleia plenária do episcopado alemão.

Ao propor-se os 33 por cento como objectivo para os próximos anos, a Conferência Episcopal parece levar a sério a importância crescente da mulher na sociedade, que já o Concílio Vaticano II considerou um sinal dos tempos. É também uma questão de credibilidade para a Igreja, como afirmava o cardeal Marx por ocasião do sínodo sobre a juventude em Outubro 2018, numa afirmação citada esta manhã na conferência de imprensa: “Por razões de credibilidade, temos de possibilitar a participação das mulheres em tarefas de direcção a todos os níveis da Igreja, desde a paróquia até às dioceses, na Conferência Episcopal e mesmo no Vaticano. Temos realmente de o querer e de o concretizar!”

(Ilustração da página principal: Sara Naves)

Artigos relacionados

Breves

“Basta. Parem estas execuções”, pedem bispos dos EUA a Trump

O arcebispo Paul Coakley, responsável pelo comité de Justiça Interna e Desenvolvimento Humano na conferência episcopal dos EUA (USCCB), e o arcebispo Joseph Naumann, encarregado das ações pró-vida no mesmo organismo, assinaram esta semana um comunicado onde pedem , perentoriamente, ao presidente Donald Trump e ao procurador-geral William Barr que ponham fim às execuções dos condenados à pena de morte a nível federal, retomadas em julho após uma suspensão de quase duas décadas.

ONGs lançam atlas dos conflitos na Pan-Amazónia

Resultado do trabalho conjunto de Organizações Não Governamentais (ONGs) de quatro países, o Atlas de Conflitos Socioterritoriais Pan-Amazónico será lançado esta quarta-feira, 23 de setembro, e irá revelar os casos mais graves de violação dos direitos dos povos da região, anunciou a conferência episcopal brasileira.

Papa apoia bispos espanhóis para ajudar a resolver estatuto do Vale dos Caídos

O Papa Francisco recebeu os novos responsáveis da Conferência Episcopal Espanhola, com quem falou sobre o papel da Igreja Católica no apoio aos mais pobres e mais fragilizados pela pandemia e sobre dois temas que esta semana estarão em debate nas Cortes de Espanha: eutanásia e lei da memória histórica, com o futuro do Vale dos Caídos em questão.

Boas notícias

Sea-Watch 4 resgata 104 migrantes no Mediterrâneo

Sea-Watch 4 resgata 104 migrantes no Mediterrâneo

O Sea Watch 4 resgatou, de manhã cedo, neste domingo, 23 de Agosto, 97 pessoas que viajavam a bordo de uma lancha pneumática sobrelotada, já depois de ter salvo outras sete pessoas noutra lancha. A presença do navio desde há dias no Mediterrâneo central, é fruto da cooperação entre a Sea Watch, os Médicos Sem Fronteiras (MSF) e a Igreja Protestante alemã, que promoveu uma campanha de recolha de fundos para que ele pudesse zarpar.

É notícia 

Entre margens

Rituais pós-nascimento: “Ku xlomula mamani ni ku humisa mwana” novidade

Nas culturas bantu do sul de Moçambique, especificamente na xironga e na xitswa, após o nascimento de um bebé, a mãe e a sua criança ficam, por algum tempo, interditados do convívio com a família alargada, por se considerar que os seus corpos não se encontram fortes o suficiente para conviver com agentes impuros, sejam do ambiente poluído de fora de casa, sejam os que com eles habitam, pelo facto de viverem entre o resguardo do lar e outras actividades que realizam fora de casa.

Os jovens do Torne na luta por “uma Igreja nova num Portugal novo”

Na década de sessenta do século passado, e até 1974, surgiu na paróquia de São João Evangelista (Vila Nova de Gaia), da Igreja Lusitana, Católica, Apostólica, Evangélica (IL), um grupo de jovens, que se intitulou Jovens do Torne – JT. No princípio englobado na “Liga do Esforço Cristão de Gaia”, foram prosseguindo um caminho ecuménico, alargado a todas as religiões e ateus.

Cultura e artes

Encarnando o irmão Luc novidade

Michael Lonsdale era, naquele final do dia, em Braga, o irmão Luc, assim dando corpo e espírito ao monge com o mesmo nome que foi assassinado na Argélia, em 1996. E é inesquecível a sua participação no filme Dos Homens e dos Deuses, que evoca a vida dos monges do mosteiro argelino de Tibhirine, sete dos quais (Bruno, Célestin, Christian, Cristophe, Michel, Paul, além de Luc) raptados e assassinados por um grupo de islamitas.

O que nos aconteceu? A pergunta do cardeal Tolentino e os pactos necessários

São precisos novos pactos – na comunicação, entre gerações, na comunidade e para o ambiente. Ideias defendidas pelo cardeal Tolentino Mendonça, que vê este tempo como uma oportunidade para novas experiências que a Igreja Católica deve fazer para se aproximar de quem se afastou. E que aponta uma necessária “conversão ecológica” por parte das comunidades cristãs, que ainda não integraram a encíclica Laudato Si’, na sua prática.

Michael Lonsdale: “Gostaria de morrer tranquilamente. Em Deus sobretudo”

Um dos mais fascinantes actores franceses, Michael Lonsdale morreu na passada segunda-feira, 21. Uns lembrar-se-ão de ele ter sido o vice-cônsul de Lahore no filme India Song, de Marguerite Duras, outros não ignorarão o facto de ele se ter empenhado em fazer a vida negra a James Bond. Mas Michael Lonsdale participou em filmes de Truffaut, Malle, Buñuel, Spielberg e outros realizadores não menos relevantes.

Sete Partidas

A reunião de trabalho novidade

A reunião de trabalho convocada pela chefe chegou sem surpresa. Mais uma entre tantas. Comparecemos todos. Através do ecrã, a expressão no rosto e o tom da voz denotavam, no entanto, uma intenção outra. Um assunto especial. Havia efectivamente um assunto especial a abordar. Abertamente. Uma autenticidade sem pudor marcou o tom da conversa. Um cuidado humilde e generoso revelado sem condicionamentos.

Visto e Ouvido

Igreja tem política de “tolerância zero” aos abusos sexuais, mas ainda está em “processo de purificação”

D. José Ornelas

Bispo de Setúbal

Agenda

Fale connosco