Primeiro mural concluído

Zambujal torna-se galeria a céu aberto para promover desenvolvimento sustentável

| 31 Ago 2023

Mural no Bairro do Zambujal, alusivo à Igualdade de Género. Foto © Zambujal 360

Na empena de um edifício localizado na Rua das Mães de Água, é já possível apreciar a pintura de uma mulher e um homem sentados à mesma mesa a competir de igual para igual. Foto © Zambujal 360.

 

O bairro do Zambujal, localizado na freguesia de Alfragide, concelho da Amadora, prepara-se para ser “o primeiro bairro embaixador dos 17 Objetivos de DesenvolvimentoSustentável”: os seus edifícios vão servir de tela para uma série de murais que pretendem ilustrar esses mesmos objetivos, e o primeiro – dedicado à Igualdade de Género – já está pronto.

Esta primeira obra de arte, apoiada pela Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, é da autoria de Mariana Duarte Santos e “foi executada no início de agosto sob o olhar atento dos moradores e um grande envolvimento da comunidade”, informam as associações Ad Gentes e CAZAmbujal, promotoras do projeto Zambujal 360, em comunicado enviado ao 7MARGENS.

Na empena de um edifício localizado na Rua das Mães de Água, é já possível apreciar a pintura de uma mulher e um homem sentados à mesma mesa a competir de igual para igual. “O tabuleiro evoca a posição final do jogo entre Judit Polgar e Garry Kasparov, em que a campeã húngara ganhou ao famoso jogador russo. Contudo, a mulher aqui pintada é uma moradora local, criando uma relação direta com a população que vive no bairro desde o início dos anos 70, quando o Fundo de Fomento para a Habitação criou vários bairros de habitação social, entre os quais o Bairro do Zambujal”, explica o comunicado.

“Na estante em plano de fundo, encontramos vários livros de mulheres e homens que lutaram pela igualdade de género, assim como a capa de um disco da famosa Cesária Évora”, referem ainda os promotores do projeto, acrescentando: “Outros pormenores da pintura justificam uma visita para ver ao vivo este mural. Destacamos a folha de papel com caracteres Nushu, uma forma de escrita inventada e utilizada apenas por mulheres de Jiangyon (China), numa altura em que não lhes era permitido aprender a ler ouescrever, a mesa que não se atravessa completamente entre os dois jogadores, ou um misterioso número 44 na lombada de um dos livros que só os moradores locais poderão esclarecer o significado”.

Apesar de este primeiro mural já estar concluído, as “visitas oficiais” ao bairro do Zambujal só iniciarão a partir de 1 de outubro, altura em que estarão prontas cinco das 17 pinturas da galeria de arte urbana dedicada aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

 

Visite o andar-modelo. Há muitos e bons livros para lembrar Abril

Três obras para ler

Visite o andar-modelo. Há muitos e bons livros para lembrar Abril novidade

Abril, livros mil é o cliché óbvio, e até preguiçoso, para o manancial de edições no mercado livreiro português sobre os 50 anos do 25 de Abril ou que, aproveitando a efeméride redonda da Revolução dos Cravos, se inscrevem na história da ditadura do Estado Novo e da democracia nascida em 1974. O 7MARGENS traz três (breves) propostas. Abril é sinónimo de diversidade e as férias podem ser ocasião para descobrir mais como se fez a democracia que vivemos há cinco décadas.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Jovens bahá’ís dedicam férias de verão ao serviço comunitário

De norte a sul do país

Jovens bahá’ís dedicam férias de verão ao serviço comunitário novidade

O período do verão é muitas vezes utilizado pelos jovens bahá’ís como uma oportunidade para dedicar tempo ao serviço, e este ano não está a ser diferente. A Caravana de Serviço, um projeto que reúne jovens de diversas localidades para atividades de serviço comunitário de norte a sul do país, começou com grande entusiasmo no final de junho com o evento Reconecta, realizado em Monchique, e já em julho com um  acampamento nacional, em Palmela.

Palavras violentas, consequências violentas

Palavras violentas, consequências violentas novidade

Com uma percentagem significativa do país armada, e pelo menos uma percentagem violentamente zangada, temos de concordar que a única esperança para a paz é, como se diz, “reduzir a retórica”. – A reflexão de Phyllis Zagano sobre o panorama atual nos EUA

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This