D. Virgílio em entrevista

Barrete cardinalício é “dom de Deus para a igreja de Timor e o seu povo”

| 12 Ago 2022

D. Virgílio do Carmo da Silva é arcebispo de Dili e vai ser feito cardeal pelo Papa Francisco. Foto © José Fernando Real

D. Virgílio do Carmo da Silva é arcebispo de Dili e vai ser feito cardeal pelo Papa Francisco. Foto © José Fernando Real

 

O bispo de Timor Leste, Virgílio do Carmo da Silva, considera que Timor-Leste tem um lugar “único” naquele continente, mesmo sendo uma das nações mais jovens de todo o continente, por causa da capacidade de “reconciliação” que demonstrou após a independência do país com quem partilha o território. “Falamos de uma ilha pertencente a dois países, Indonésia e Timor Leste, que mantém uma relação pacífica com o nosso país vizinho, a Indonésia. Apesar da nossa história amarga no passado, reconciliámo-nos, perdoando e esquecendo o nosso passado, e agora estamos a desfrutar de um bom relacionamento”, assegura o prelado.

Em entrevista ao portal de notícias da Santa Sé, explicou que estava em retiro quando recebeu a notícia da nomeação cardinalícia, um “dom que Deus fez através do Santo Padre para o povo e a igreja de Timor-Leste”. “A Igreja Católica de Timor Leste, que completou recentemente 500 anos de existência, e o país, que acaba de completar 20 anos de independência, merecem-no. [É] não para mim, mas para o povo de Deus aqui em Timor-Leste, uma ocasião concreta de afirmação da identidade deste pequeno país do Sudeste Asiático com 96% de católicos”, considerou.

Este país de maioria católica viu o número de católicos crescer dramática e rapidamente durante o tempo da guerra civil que assolou o país antes da independência. “A tarefa da Igreja Católica durante essas duas décadas foi de luta, pois trabalhou para dar um bom acompanhamento, consolidar e amadurecer a fé do povo neste período de transição”, recorda.

Para D. Virgílio, que irá ser feito cardeal no Consistório marcado para dia 27 de agosto próximo, as prioridades da Igreja para o seu país passam por “abordar a formação e a educação na fé”. “Devemos assegurar que os formadores sejam bem qualificados, especialmente nos seminários. Devemos formar bem os leigos, especialmente os catequistas e outros voluntários leigos, para nos ajudar a aprofundar a fé do povo. Os catequistas devem ter uma formação sólida, e é importante que os vários grupos categóricos existentes em cada paróquia sejam capacitados”, refere, acrescentando que “os alvos do nosso apostolado são sobretudo as famílias, as crianças e os jovens, prioridades da nossa pastoral”.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Índia

Carnataca é o décimo Estado a aprovar lei anticonversão

O Estado de Carnataca, no sudoeste da Índia, tornou-se, no passado dia 15 de setembro, o décimo estado daquele país a adotar leis anticonversão no âmbito das quais cristãos e muçulmanos e outras minorias têm sido alvo de duras perseguições, noticiou nesta sexta-feira, 23, o Vatican News, portal de notícias do Vaticano.

Neste sábado, em Lisboa

“Famílias naturais” em convívio contra a ideologia de género

Prometem uma “tarde de convívio e proximidade”, um concerto, diversão e “múltiplas actividades para crianças e adultos: o “Encontro da Família no Parque” decorre esta tarde de sábado, 24 de Setembro, no Parque Eduardo VII (Lisboa), a partir das 15h45, e “pretende demonstrar um apoio incondicional à família natural e pela defesa das crianças”.

Gratuito e universal

Documentário sobre a Laudato Si’ é lançado a 4 de outubro

O filme A Carta (The Letter) será lançado no YouTube Originals no dia 4 de outubro, anunciou, hoje, 21 de setembro, o Movimento Laudato Si’. O documentário relata a história da encíclica Laudato Si’, recolhe depoimentos de vários ativistas do clima e defensores da sustentabilidade do planeta e tem como estrela principal o próprio Papa Francisco.

Promessa cumprida, pacto assinado, e agora… “esperamos por ti em Lisboa”, Papa Francisco

Terminou o encontro em Assis

Promessa cumprida, pacto assinado, e agora… “esperamos por ti em Lisboa”, Papa Francisco novidade

“Espero por vocês em Assis.” Assim terminava a carta que o Papa escreveu aos jovens em maio de 2019, convidando-os a participar na Economia de Francisco. Apesar de uma pandemia o ter obrigado a adiar dois anos este encontro, e ainda que as dores no joelho o tenham impedido de vir pelo seu próprio pé, Francisco cumpriu a sua promessa, como só os verdadeiros amigos sabem fazer. Este sábado, 24, logo pela manhã, chegou à cidade de Assis para se juntar aos mil participantes do encontro A Economia de Francisco. Escutou atentamente os seus testemunhos e preocupações, deu-lhes os conselhos que só um verdadeiro amigo sabe dar, selou com eles um pacto e até reclamou por não terem trazido cachaça (bem sabemos que é próprio dos amigos rabujar e fazer-nos rir). Mas sobretudo provou-lhes que acredita neles e que é com eles que conta para fazer do mundo um lugar melhor.

Agenda

Fale connosco

Autores