“Bem público ou riqueza privada?” Desigualdades crescem no mundo, diz Oxfam

| 22 Jan 19

Cinco milésimas da riqueza dos 70 milhões mais ricos do planeta bastam para garantir escola gratuita aos 262 milhões de crianças que a não frequentam e ainda sobra dinheiro para melhorar os serviços de saúde pelo mundo e salvar 3,3 milhões de vidas humanas. Metade da população do planeta vive com menos de 145 euros por mês. Para reunir bens equivalentes às posses das 26 pessoas mais ricas do mundo teríamos que juntar tudo quanto esses 3.800 milhões de homens, mulheres e crianças possuem.

A luta contra a pobreza extrema (pessoas que vivem com menos de dois dólares por dia) produziu resultados muito importantes, conseguindo em 25 anos (1990 a 2015) reduzir o número de seres humanos naquela condição de 1,9 mil milhões para 736 milhões. Mas os números coligidos e divulgados a 21 de janeiro pela Oxfam  na publicação Public Good or Private Wealth  mostram o abrandamento e a recessão das políticas destinadas a reduzir a pobreza no mundo e o grande crescimento das desigualdades em 2018: a riqueza dos mais ricos acresceu 12 por cento enquanto os mais pobres perderam 11 por cento do seu rendimento.

Os peritos reunidos pela Oxfampara elaborarem este relatório concluem: serviços públicos (saúde, proteção social e ensino) gratuitos e universais são o melhor instrumento para lutar contra a pobreza. Recursos financeiros não faltam. Mas estão na mão de muito poucos. Daí o dilema: queremos privilegiar a riqueza individual de uns quantos, ou oferecer mais e melhores bens públicos a quem deles necessita para poder viver? A resposta que demos nos últimos 10 anos foi que preferíamos aumentar a riqueza dos mais ricos: as taxas dos impostos sobre os lucros das empresas, assim como sobre o rendimento das famílias de maiores recursos caíram continuadamente na maior parte dos 80 países mais ricos do mundo…

(foto na página inicial: Sergio Omassi/Pexels)

Breves

Anselmo Borges e a eutanásia: “Quem mata?”

“Se algum dia se avançasse por esta via da legalização da eutanásia, o Estado ficaria com mais uma obrigação: satisfazer o direito ao pedido da eutanásia e seria confrontado com esta pergunta terrível: quem mata?”, escreve Anselmo Borges, professor de filosofia e padre, na sua última crónica no Diário de Notícias.

O Papa e os “teístas com água benta cristã”

“Quando vejo cristãos demasiado limpos, que têm toda a verdade, a ortodoxia, e são incapazes de sujar as mãos para ajudar alguém a levantar-se, eu digo: ‘Não sois cristãos, sois teístas com água benta cristã, mas ainda não chegastes ao cristianismo’”. A afirmação é do Papa Francisco, numa conversa sobre o Credo cristão.

Boas notícias

É notícia

Cultura e artes

São Pessoas. Histórias com gente dentro

Há um tanque de lavar roupa. Há uma cozinha. Há o poço e as mãos que lançam um balde. Há uma sombra que foge. Há o poste de eletricidade que ilumina as casas frágeis. Há o quadro pendurado em que um coração pede “Deus te ajude”. Há a campa e a eterna saudade. E há uns tapetes gastos. Em cada uma destas fotos só se adivinham os rostos, os olhos, as rugas, as mãos rugosas, as bocas, as pessoas que habitam estes lugares.

“2 Dedos de Conversa” num blogue para alargar horizontes

Um dia, uma leitora do blogue “2 Dedos de Conversa” escreveu-lhe: “Este blogue é um momento de luz no meu dia”. A partir daí, Helena Araújo, autora daquela página digital, sentiu a responsabilidade de pensar, de manhã, o que poderia “escrever para animar o dia” daquela rapariga. Sente que a escrita do blogue pode ajudar pessoas que não conhece, além de lhe ter alargado os horizontes, no debate com outros pontos de vista.

Arte de rua no selo do Vaticano para a Páscoa

Um selo para celebrar a Páscoa com arte de rua. Essa será a escolha do Vaticano, segundo a jornalista Cindy Wooden, para este ano, reproduzindo uma Ascensão pintada por Heinrich Hofmann, que se pode ver na Ponte Vittorio Vittorio Emanuele II, em Roma, a poucas centenas de metros da Praça de São Pedro.

Pessoas

Abiy Ahmed Ali, o Nobel da Paz para um cristão pentecostal

Abiy Ahmed Ali, o Nobel da Paz para um cristão pentecostal

O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed Ali, receberá nesta terça-feira o Nobel da Paz de 2019, numa cerimónia em Oslo. O Comité Nobel não o disse, mas várias das atitudes e propostas do mais jovem líder da África, com 43 anos, radicam na sua fé cristã de matriz pentecostal.

Sete Partidas

Uma mulher fora do cenário, numa fila em Paris

Ultimamente, ao andar pelas ruas de Paris tenho-me visto confrontada pelos contrastes que põem em questão um princípio da doutrina social da Igreja (DSI) que sempre me questionou e que estamos longe de ver concretizado. A fotografia que ilustra este texto é exemplo disso.

Visto e Ouvido

Agenda

Entre margens

Maria e Marta – como compreender dois nomes num congresso mundial novidade

Foi nesse congresso que, pela primeira vez, tive a explicação relativa a dois nomes, Maria e Marta, cujo significado fiquei de procurar, desde 1983, ano no qual nasceram as minhas primas Maria e Marta. O facto é que, quando elas nasceram, o meu avô materno, impôs que fossem chamadas por esses nomes. Despertou-me curiosidade a insistência, uma vez que já as chamávamos por outros nomes.

Sempre mais sós (Debate Eutanásia)

Reli várias vezes o artigo de opinião de Nuno Caiado publicado no 7MARGENS. Aprendi alguns aspetos novos das questões que a descriminalização da eutanásia ativa envolve. Mas essa aprendizagem não me fez mudar de opinião. Ao contrário do autor, não creio que a questão central da eutanásia agora em discussão seja a do sofrimento do doente em situação terminal. A questão central é a da nossa resposta ao seu pedido para que o ajudemos a morrer.

Fale connosco