Bíblia: o presente do Papa e a aplicação para o telemóvel

| 21 Jan 20

Histórias à volta da Bíblia (2)

Marc Chagall, Moisés recebendo as tábuas da Lei. Museu Nacional Marc Chagall, Nice (França)

 

Quarenta participantes na missa do próximo domingo, na Basílica de São Pedro, que representam diferentes sectores de actividade, irão receber uma edição especial da Bíblia, autografada pelo Papa, como gesto que assinala ao Domingo da Palavra de Deus, instituído através da carta Aperuit illis (Abriu-lhes o entendimento). Este documento foi publicado a 30 de Setembro, memória litúrgica de São Jerónimo, primeiro tradutor da Bíblia para latim, quando se iniciavam precisamente as celebrações dos 1600 anos da sua morte.

“Lê a palavra de Deus que tens entre as mãos e escuta a voz do Senhor que te indica o caminho da vida. / Domingo da Palavra de Deus, 26 de janeiro de 2020”, é a mensagem que o Papa escreve em cada exemplar da Bíblia, de acordo com as informações do bispo Rino Fisichella, do Conselho Pontifício para a Nova Evangelização, em conferência de imprensa no final da semana passada.

Na carta, o Papa cita São Jerónimo para afirmar: “A ignorância das Escrituras é ignorância de Cristo.” E justifica: “A relação entre o Ressuscitado, a comunidade dos crentes e a Sagrada Escritura é extremamente vital para a nossa identidade. Sem o Senhor que nos introduz na Sagrada Escritura, é impossível compreendê-la em profundidade; mas é verdade também o contrário, ou seja, que, sem a Sagrada Escritura, permanecem indecifráveis os acontecimentos da missão de Jesus e da sua Igreja no mundo.”

Marc Chagall, 1960-66. Moisés diante da arça ardente. Museu Nacional Marc Chagall, Nice (França)

 
Marionetas na Colômbia, leitura do evangelho em voz alta em Roma

A iniciativa da oferta da Bíblia é apenas uma entre várias referidas por Fisichella e previstas para esta semana, de acordo com a agência Ecclesia: na tarde de domingo, a igreja de Sant’Agnese (Praça Navona, também em Roma) acolherá a leitura do evangelho de Mateus, feita por diferentes personalidades; no Brasil, serão divulgados 150 mil subsídios de leitura bíblica; na Colômbia, há uma proposta de conteúdos bíblicos em marionetas, para crianças; nos EUA, há uma Jornada Internacional da Bíblia nos EUA; e, nas Filipinas, a Semana Nacional da Bíblia, que começou por ser uma iniciativa da Presidente Corazón Aquino, em Janeiro de 1987, mobiliza também o país.

“A Bíblia não pode ser património só de alguns e, menos ainda, uma colectânea de livros para poucos privilegiados”, escreve o Papa no documento de Setembro. “Pertence, antes de mais nada, ao povo convocado para a escutar e se reconhecer nesta Palavra. Muitas vezes, surgem tendências que procuram monopolizar o texto sagrado, desterrando-o para alguns círculos ou grupos escolhidos. Não pode ser assim. A Bíblia é o livro do povo do Senhor que, escutando-a, passa da dispersão e divisão à unidade. A Palavra de Deus une os crentes e faz deles um só povo.”

Desta afirmação surge o claro carácter ecuménico e de diálogo inter-religioso da iniciativa, que pretende “fortalecer os laços com os judeus e rezar pela unidade dos cristãos”. O facto de este Domingo da Palavra de Deus coincidir no tempo com a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (entre 18 e 25 de Janeiro) não é uma mera coincidência temporal, acrescenta: “Celebrar o Domingo da Palavra de Deus expressa um valor ecuménico, porque a Sagrada Escritura indica aos que colocam em atitude de escuta o caminho a seguir para chegar a uma autêntica e sólida unidade”.

Na carta Aperuit illis, o Papa Francisco fala da Bíblia como “livro do povo”, diz que os padres devem dedicar o “tempo conveniente” a preparar as homilias porque “não se pode improvisar o comentário às leituras sagradas”, para não fazer “homilias enfatuadas ou sobre assuntos não atinentes”. A Bíblia está intimamente ligada à Eucaristia e está dirigida à salvação integral da pessoa”, acrescenta o Papa.

 

Uma aplicação para as orações bíblicas

Foto © Ivars Kupcis/WCC (Conselho Mundial de Igrejas)

 

Uma outra iniciativa que liga a Bíblia à Semana de Oração pela Unidade é a disponibilização de uma aplicação informática que permite ler os textos bíblicos para esta semana através do computador, telefone ou tablet. A aplicação, promovida pelo Conselho Mundial de Igrejas (CMI) permite não só aprofundar os conteúdos do tema “Trataram-nos com invulgar humanidade”, mote para esta semana, como também ler outros excertos da Bíblia, partilhar versículos nas redes sociais e assinalar textos favoritos.

“As reflexões da Semana de Oração são curtas e inspiradoras, perfeitas para quem precisa de alimentar a sua alma em movimento, com a ajuda de um telefone inteligente”, diz Annegret Kapp, responsável de comunicação do CMI.

A aplicação está disponível em português na aplicação “Bíblia” ou através da YouVersion.

 

(Acerca do Domingo da Palavra de Deus, pode ler-se a crónica do padre Fernando Calado Rodrigues no JN de segunda-feira, 20.

A propósito do mesmo tema, o 7MARGENS publicará nestes próximos dias vários textos sobre edições e iniciativas recentes relacionadas com a Bíblia. O primeiro foi dedicado à história da primeira tradução da Bíblia em português.)

Artigos relacionados

Apoie o 7 Margens

Breves

O Papa e os “teístas com água benta cristã”

“Quando vejo cristãos demasiado limpos, que têm toda a verdade, a ortodoxia, e são incapazes de sujar as mãos para ajudar alguém a levantar-se, eu digo: ‘Não sois cristãos, sois teístas com água benta cristã, mas ainda não chegastes ao cristianismo’”. A afirmação é do Papa Francisco, numa conversa sobre o Credo cristão.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Entre margens

Eutanásia, hora do debate novidade

Seja qual for a posição de cada um, a reflexão e o debate sobre a eutanásia é uma exigência de cidadania e não uma discussão entre alguns, em círculo fechado, mesmo se democraticamente nos representam. Quando está em jogo o tipo de sociedade que desejo para os meus netos, não quero que outros decidam sem saberem o que penso.

“Qual é o mal de matar?”

A interrogação que coloquei como título deste texto foi usada por Peter Singer que a ela subordinou o capítulo V do seu livro Ética Prática. Para este filósofo australiano, a sacralidade da vida humana é entendida como uma forma de “especismo”, uma designação que ele aplica a todas as teorias que sustentam a superioridade da espécie humana.

Cultura e artes

São Pessoas. Histórias com gente dentro novidade

Há um tanque de lavar roupa. Há uma cozinha. Há o poço e as mãos que lançam um balde. Há uma sombra que foge. Há o poste de eletricidade que ilumina as casas frágeis. Há o quadro pendurado em que um coração pede “Deus te ajude”. Há a campa e a eterna saudade. E há uns tapetes gastos. Em cada uma destas fotos só se adivinham os rostos, os olhos, as rugas, as mãos rugosas, as bocas, as pessoas que habitam estes lugares.

“2 Dedos de Conversa” num blogue para alargar horizontes

Um dia, uma leitora do blogue “2 Dedos de Conversa” escreveu-lhe: “Este blogue é um momento de luz no meu dia”. A partir daí, Helena Araújo, autora daquela página digital, sentiu a responsabilidade de pensar, de manhã, o que poderia “escrever para animar o dia” daquela rapariga. Sente que a escrita do blogue pode ajudar pessoas que não conhece, além de lhe ter alargado os horizontes, no debate com outros pontos de vista.

Um selo em tecido artesanal para homenagear Gandhi e a não-violência

Os Correios de Portugal lançaram uma emissão filatélica que inclui um selo em khadi, o tecido artesanal de fibra natural que o Mahatma Gandhi fiava na sua charkha e que utilizava para as suas vestes. Portugal e a Índia são, até hoje, os únicos países do mundo que utilizaram este material na impressão de selos, afirmam os CTT.

Arte de rua no selo do Vaticano para a Páscoa

Um selo para celebrar a Páscoa com arte de rua. Essa será a escolha do Vaticano, segundo a jornalista Cindy Wooden, para este ano, reproduzindo uma Ascensão pintada por Heinrich Hofmann, que se pode ver na Ponte Vittorio Vittorio Emanuele II, em Roma, a poucas centenas de metros da Praça de São Pedro.

Sete Partidas

Uma mulher fora do cenário, numa fila em Paris

Ultimamente, ao andar pelas ruas de Paris tenho-me visto confrontada pelos contrastes que põem em questão um princípio da doutrina social da Igreja (DSI) que sempre me questionou e que estamos longe de ver concretizado. A fotografia que ilustra este texto é exemplo disso.

Visto e Ouvido

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

Parceiros

Fale connosco