Bielorrússia: Líderes religiosos pedem fim da violência, mas são acusados de envolvimento político e afastados

| 15 Set 20

Ministro do Exterior bielorusso Vladimir Makei com o arcebispo Gallagher em Minsk, Foto_ Vatican News.

O Ministro dos Exteriores bielorusso, Vladimir Makei com o arcebispo Gallagher, durante a visita que o representante do Papa fez a Minsk. Foto: Vatican News.

 

 

“Se dizemos que nos opomos à tortura, isso é política?”, perguntou o bispo auxiliar de Minsk, Yuri Kasabutsky, numa das suas recentes homilias. Para o recentemente reeleito Presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, parece que sim. O arcebispo Tadeusz Kondrusiewicz, que apelou ao diálogo e reconciliação, continua sem autorização para entrar no país, acusado por Lukashenko de se ter “dedicado à política”. O metropolita ortodoxo Pavel, que visitou no hospital manifestantes agredidos pela polícia, foi substituído. Diante dos contínuos protestos motivados pelas eleições do dia 9 de agosto, consideradas fraudulentas pela oposição, o Papa enviou ao país o “número 2” da sua diplomacia, o arcebispo Paul Richard Gallagher, mas a visita terminou esta segunda-feira, 13 de setembro, sem sinais de que a tensão tenha diminuído.

“Temos sido testemunhas de violência, já que se derramou sangue, houve feridos de ambos os lados, milhares foram presos e muitos mutilados. A sociedade está dividida, o ódio e as ameaças mútuas violam o princípio cristão de justiça na misericórdia”, pode ler-se numa das várias cartas que Tadeusz Kondrusiewicz, arcebispo de Minsk e presidente da Conferência Episcopal da Bielorrússia, escreveu aos fiéis a partir da fronteira polaca, onde ficou retido a 31 de agosto. Citado pela revista espanhola Vida Nueva, o arcebispo considera que as feridas físicas e espirituais do país demorarão muito a sarar e será muito importante “um espírito de arrependimento e perdão”.

O Papa Francisco, embora sem referir explicitamente a situação na Bielorrússia, convidou este domingo, 13 de setembro, os católicos a  trabalhar “em favor do diálogo, sempre em favor do diálogo, e em favor da reconciliação” e pediu “a todos os que têm responsabilidades públicas e de governo que ouçam a voz dos seus concidadãos e que vão ao encontro das suas justas aspirações, assegurando o pleno respeito dos Direitos Humanos e das liberdades civis”.

Perante milhares de peregrinos reunidos na Praça de São Pedro para a oração do Angelus, Francisco assegurou que acompanha as manifestações de crescente “mal-estar” da sociedade civil, em vários países, perante situações políticas e sociais que considera “particularmente críticas”.

Prova de que a Bielorrússia era uma das situações a que se referia foi o envio, na sexta-feira anterior, do arcebispo Paul Richard Gallagher, secretário do Vaticano para as relações com os Estados, para uma visita de quatro dias ao país. De acordo com o Vatican News, Gallagher esteve com diversas autoridades civis e responsáveis católicos, com o objetivo de “manifestar a atenção e a proximidade” do Papa à Igreja Católica e a todo o país, mas não foi divulgado o teor nem resultados práticos destes encontros.

“As forças do mal estão a tentar silenciar esta voz [do arcebispo Tadeusz Kondrusiewicz], mas não podem destruí-la por completo, já que fala na alma, no coração do homem, mesmo atrás das grades. Rezamos pela conversão de quem comete atos desumanos e, quanto mais oramos, mais as pessoas podem abrir a sua consciência”, concluiu o bispo auxiliar de Minsk, Yuri Kasabutsky, na mesma homilia em que questionava se a oposição à tortura e à violência seriam política e lamentava a “perseguição à Igreja Católica na Bielorrússia”.

 

Milhares na rua com Bíblias na mão

Os sentimentos dos líderes católicos encontraram eco nos representantes dos cristãos ortodoxos e protestantes no país, revela um testemunho publicado pelo jornal digital alemão Novena News. No caso da Igreja Ortodoxa, a posição do seu líder máximo, o metropolita Pavel, levou mesmo à sua substituição por parte do Patriarcado de Moscovo.

Num primeiro momento, logo após as eleições, Pavel felicitou Lukashenko pela vitória. Uns dias mais tarde, pediu desculpa pela “reação prematura” que “causou indignação entre muitos crentes ortodoxos no país” e em seguida condenou veementemente a dura reação das forças policiais para com os manifestantes, tendo visitado um hospital onde se encontravam internadas algumas das vítimas de repressão. Alguns dias depois, o Patriarcado de Moscovo anunciava a sua substituição pelo metropolita Venjamin e proibia os fiéis de participarem em manifestações públicas, conta o Asia News.

Muitos cristãos protestantes aderiram também às manifestações, tendo apelado às autoridades para pôr fim à violência, libertar todos os detidos e iniciar um diálogo pacífico com a população. Uma das comunidades de Minsk dinamizou a iniciativa “De Kurapaty a Akreścina, nunca mais” (sendo Kurapaty uma localidade nos arredores de Minsk onde o regime soviético cometeu as atrocidades mais extremas contra os bielorrussos, e Akreścina um centro de detenção na capital, recentemente famoso por albergar presos políticos e manifestantes). O protesto levou milhares de pessoas para a rua, muitas delas com Bíblias na mão, formando uma cadeia de 15 quilómetros.

Para Zmicier Dashkievich, ativista protestante e um dos dinamizadores desta iniciativa, as igrejas são as instituições que naturalmente poderão ajudar a resolver a crise política sem derramamento de sangue e trazer uma renovação à sociedade bielorrussa. Mas o exílio forçado do líder da Igreja Católica e a substituição do metropolita da Igreja Ortodoxa já deixaram antever quais as possíveis consequências de manifestar uma posição contrária à do Governo.

 

Mais de 340 milhões de cristãos “fortemente perseguidos” no mundo em 2020

Mais de 340 milhões de cristãos “fortemente perseguidos” no mundo em 2020

Todos os dias, 13 cristãos morrem por causa da sua fé, 12 são detidos injustamente e cinco são sequestrados. O número de cristãos perseguidos em todo o mundo aumentou de 260 milhões, em 2019, para mais de 340 milhões em 2020, confirmando a tendência de crescimento dos últimos anos, a qual foi acentuada pela pandemia de coronavírus, revela o relatório da ONG Open Doors (Portas Abertas), divulgado esta quarta-feira, 13 de janeiro.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

O poder no feminino, nas histórias de seis portuguesas negras

O programa Poder no Feminino, que estreia às 19h30 deste domingo, 10 de Janeiro, na RTP África, dará voz a seis mulheres de ascendência africana, portuguesas ou que residem em Portugal, que fizeram o seu percurso profissional na academia, nos negócios, na política, no jornalismo, na psicologia, em Portugal e no mundo.

Santuário de Fátima entrega 13 mil euros de ofertórios do Natal à diocese de Pemba

Os ofertórios das missas de Natal e de Ano Novo do Santuário de Fátima renderam 13.397,34 euros e o dinheiro será enviado directamente para a diocese de Pemba (Moçambique), que está no centro das tensões que têm atingido a província de Cabo Delgado, onde os ataques de grupos terroristas provocaram já mais de meio milhão de desalojados e mais de dois mil mortos.

Cristão libertado 11 anos depois de condenação por blasfémia no Paquistão

O Tribunal de Relação de Lahore, no Paquistão, absolveu o cristão Imran Masih, que tinha sido condenado a prisão perpétua em julho de 2009 por, segundo testemunhas oculares, ter queimado livros contendo versículos do Alcorão enquanto limpava a sua loja em Hajveri, Faisalabad. O processo judicial sofreu quase 70 adiamentos durante os 11 anos que Imran permaneceu na prisão.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

“Pelo amor de Deus, enviem-nos oxigénio”, apela o arcebispo de Manaus

Com o aumento vertiginoso de casos de covid-19 no Estado do Amazonas (Brasil), particularmente na capital Manaus, e com as principais unidades de saúde já sem oxigénio disponível, o arcebispo da diocese, Leonardo Ulrich Steiner, gravou um vídeo apelando à solidariedade de todos. “Pelo amor de Deus, enviem-nos oxigénio”, pediu na mensagem divulgada esta sexta-feira, 15 de janeiro, pelo Vatican News, sublinhando que a região se encontra “num momento de pandemia, quase sem saída”, em que as pessoas estão a morrer “por falta de oxigénio, por falta de camas” nas unidades de cuidados intensivos.

Bangladesh: Incêndio em campo de refugiados rohingya deixa 3.500 sem casa

Um incêndio devastou esta quinta-feira, 14 de janeiro, o campo de refugiados da cidade portuária de Cox’s Bazar, no sul do Bangladesh, tendo destruído mais de 550 casas que abrigavam cerca de 3.500 pessoas da minoria rohingya. Não são conhecidas até ao momento quaisquer vítimas mortais ou feridos graves, mas este incidente “terá roubado a muitas famílias o abrigo e dignidade que lhes restava”, afirmou o diretor da ONG Save the Children no país, Onn van Manen.

Papa Francisco e Bento XVI vacinados, e em breve toda a população do Vaticano

A primeira dose da vacina contra a covid-19 já foi administrada ao Papa Francisco e ao emérito Bento XVI, confirmou esta quarta-feira o porta-voz da Sala de Imprensa da Santa Sé, Matteo Bruni. Depois de terem chegado ao Vaticano, no início desta semana, dez mil doses da vacina fabricada pela Pfizer, dentro de poucos dias todos os 4.730 residentes, trabalhadores e religiosos afetos ao pequeno estado estarão imunizados. O Vaticano será assim o primeiro estado do mundo a ter toda a sua população vacinada.

Bispos portugueses determinam suspensão de batismos, crismas e matrimónios

Apesar de as orientações governamentais para o novo período de confinamento permitirem a celebração de cerimónias religiosas com a presença física de fiéis, a Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) anunciou esta quinta-feira, 14 de janeiro, que deverão ser “suspensas ou adiadas para momento mais oportuno” as celebrações de batismos, crismas e matrimónios.

O Vídeo do Papa: Francisco inicia 2021 com um apelo à fraternidade humana

O primeiro “Vídeo do Papa” de 2021 foi divulgado esta terça-feira, 5 de janeiro, e é dedicado à fraternidade humana. Nele, Francisco pede que rezemos “uns pelos outros, abrindo-nos a todos” e que os católicos se unam “como irmãos àqueles que rezam seguindo outras culturas, outras tradições e outras crenças”.

Entre margens

A máscara – espelho da alma

A propósito da recolha, compilação e publicação de alguns contos e lendas do concelho de Bragança, todos eles belíssimos e inspiradores, resolvi escrever sobre um deles (A Máscara de Ouro), por três razões principais: a primeira razão prende-se com o facto de unir a memória e o território, na figura do Abade de Baçal, patrono do meu Agrupamento de Escolas;

A Gaivota que nos ensinou o que é a esperança

Muitas vezes são invejadas as pessoas que abraçam a vida com uma atitude de esperança. Como se esta fosse um dom inato que permitisse viver com maior ligeireza. Contrariamente ao que se possa pensar, a esperança é um ato de resistência, um combate interior e, por vezes, exterior. Exige muitíssimo mais olhar o mundo com um olhar de esperança e de braços erguidos quando tudo parece perdido do que, pura e simplesmente, aceitar a dureza da realidade que não nos satisfaz.

O estado dos portugueses

Era bom que todos entendessem que a presente situação pode ser ainda pior do ponto de vista emocional do que uma guerra, pelo menos num aspecto. É que a guerra implica um inimigo a combater, com um rosto, uma intenção e uma identidade, contra quem se podem dirigir as nossas energias, o que não é possível numa pandemia causada por um vírus que não se vê a olho nu e cuja presença não se sente nem percepciona.

Cultura e artes

A vida, o sofrimento e Jesus

Dois autores, ambos presbíteros com profundas experiências e preocupações pastorais – Valdés é biblista argentino, Bermejo é especialista na pastoral da saúde em Espanha – oferecem em Peregrinar a Jesus um contributo notável para aprofundar as difíceis e exigentes questões relacionadas com a saúde, o sofrimento e a relação de fé.

O olhar da raposa

Infelizmente, são ainda muitos os lugares deste mundo onde a pena de morte continua a existir e a ser praticada. Sirvam de exemplo estas notícias do Público de sexta, 11 de Dezembro e Domingo 13 de Dezembro: “Trump autoriza onda de execuções como não se via há 124 anos”; “Alfred Bourgeois é o segundo executado em dois dias pela Administração Trump”; “Irão executa jornalista por inspirar protestos de 2017 contra o regime”.

A pegada de religiosidade na obra de João Cutileiro

“Na vasta obra de João Cutileiro, há uma intermitente, mas persistente, pegada de religiosidade que deixou plasmada em poemas de pedra”, escreve o padre Mário Tavares de Oliveira, cónego da diocese de Évora, num texto que evoca a arte do escultor que morreu no passado dia 5.

Palavra e Palavras

Durante as semanas de Advento li o novo livro de Valter Hugo Mãe (VHM), Contra Mim. Trata-se de um livro que revela quem é Valter Hugo Mãe. A sua leitura literalmente me encantou e fez emergir múltiplas epifanias.  Um grande livro, um grande escritor. Uma prosa lindíssima e original. Uma profunda busca de Deus.

Auscultar a expressão de um Povo

A chamada Caixa de Correio de Nossa Senhora constitui um arquivo do santuário de Fátima no qual se conservam as mensagens ali enviadas de todo o mundo, a partir da década de 40 do século passado, dirigidas à Mãe de Jesus. Trata-se de cartas, bilhetes, postais, ex-votos, num número que atinge os milhões e que constituem uma expressão de devoção íntima e pessoal de inúmeros católicos de todas as origens sociais, económicas e familiares.

Sete Partidas

Angela Merkel

Partilho o último discurso de Ano Novo de Angela Merkel como chanceler alemã. A princípio não gostava muito dela, e desgostei especialmente na época da crise do euro. A rejeição era tal que, há cerca de 15 anos, os meus filhos sentiram necessidade de tomar uma importante decisão pessoal: anunciaram que gostavam muito dos avós “apesar de eles votarem na Angela Merkel”.

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This