Bielorrússia: Lukashenko autoriza regresso de arcebispo de Minsk, por “respeito ao Papa”

| 23 Dez 20

Tadeusz Kondrusiewicz, Foto CCEE

O arcebispo de Minsk, Tadeusz Kondrusiewicz, tem apelado ao diálogo e reconciliação no país, mas o presidente considera que ele tem uma série de elementos negativos. Foto: CCEE.

 

O arcebispo de Minsk (Bielorrússia), Tadeusz Kondrusiewicz, recebeu esta terça-feira autorização para regressar ao seu país, quase quatro meses depois de o presidente Alexander Lukashenko ter impedido a sua entrada, acusando-o de apoiar os protestos contra o governo. A decisão terá sido tomada na sequência de uma reunião na semana passada entre Lukashenko e o enviado especial do Papa e ex-núncio na Bielorrússia, Claudio Gugerotti, após a qual o presidente concordou em encontrar uma solução para o problema “pelo profundo respeito ao Papa e às boas relações pessoais” que mantém com o mesmo, avançou o Religión Digital.

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Bielorrússia, Vladimir Makéi, admitiu que a chegada do Natal católico foi um dos argumentos a favor do regresso de Kondrusiewicz, “apesar de uma série de elementos negativos relacionados com essa pessoa”.

No passado dia 1 de setembro, Lukashenko acusou a Igreja Católica de apoiar a oposição ao governo e os participantes nas manifestações antigovernamentais, e sublinhou que o arcebispo de Minsk recebeu “missões concretas” da Polónia, onde se teria deslocado nos dias anteriores para reunir com as autoridades locais, que não reconhecem a sua vitória nas eleições presidenciais de 9 de agosto.

Tadeusz Kondrusiewicz afirmou por seu lado ter-se deslocado à Polónia para as celebrações em honra de Nossa Senhora de Częstochowa. Logo no dia 2 de setembro, os bispos da Bielorrússia emitiram uma declaração, em que afirmavam ser “inadmissível” e “incompatível com a atual legislação da República da Bielorrússia” que um bispo da Igreja Católica fosse “privado da oportunidade de estar na sua própria diocese e de nela exercer o ministério que lhe foi confiado pelo Papa Francisco”.

No dia 11 de setembro, o arcebispo Paul Gallagher, cujo cargo equivale ao de ministro dos Negócios Estrangeiros da Santa Sé, esteve na Bielorrússia para encontrar uma solução junto das autoridades locais, sem, no entanto, ter conseguido desbloquear a situação.

No último domingo, 20 de dezembro, milhares de bielorrussos voltaram a sair às ruas por todo o país para exigir o afastamento do presidente. Os protestos têm sido recorrentes desde a polémica reeleição de Lukashenko, considerada como fraudulenta pela oposição e pelo Ocidente.

 

Jornada Nacional Memória & Esperança 2021 já tem site

Homenagem às vítimas da pandemia

Jornada Nacional Memória & Esperança 2021 já tem site novidade

O site oficial da Jornada Nacional Memória & Esperança 2021, iniciativa que visa homenagear as vítimas da pandemia com ações em todo o país entre 22 e 24 de outubro, ficou disponível online esta sexta-feira, 17. Nele, é possível subscrever o manifesto redigido pela comissão promotora da iniciativa e será também neste espaço que irão sendo anunciadas as diferentes iniciativas a nível nacional e local para assinalar a jornada.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Novo ano letivo: regressar ao normal?

Novo ano letivo: regressar ao normal? novidade

Após dois conturbados anos letivos, devido à pandemia, as escolas preparam-se para um terceiro ano ainda bastante incerto, mas que desejam que seja o mais normal possível. O regresso à normalidade domina as declarações públicas de diretores escolares e de pais, alunos e professores. Este desejo de regresso à normalidade, sendo lógico e compreensível, após dois anos de imensa instabilidade, incerteza e experimentação, constitui ao mesmo tempo um sério problema.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This