Novo cargo no Vaticano

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas

| 3 Dez 2022

Carlos Azevedo

Carlos Azevedo em Roma, no início de Novembro: o bispo português passa a integrar o comité das Ciências Históricas, do Vaticano. Foto @ 7Margens

 

O bispo português Carlos Azevedo foi nomeado neste sábado para o lugar de delegado (“número dois”) do Comité Pontifício para as Ciências Históricas, deixando o cargo equivalente que desempenhava no Dicastério para a Cultura e a Educação, da Santa Sé, que há poucas semanas passou a ser dirigido pelo também português cardeal José Tolentino Mendonça.

A nomeação foi anunciada ao final da manhã de sábado pela Sala de Imprensa da Santa Sé, num momento em que o bispo se encontra em Portugal a apresentar o seu último livro, sobre o qual o 7MARGENS o entrevistou. O património e os arquivos são duas das áreas mais importantes tuteladas pelo Comité Pontifício.

Na noite de sexta-feira, na primeira sessão de apresentação do livro Entre Vaticano e Portugal: questões de governo e de pastoral (séc. XVII a XX), que decorreu em Lisboa, o bispo afirmou que a compreensão histórica da relação da Igreja com o mundo e o tempo é condição essencial para se perceber como pode o cristianismo ser relevante na cultura contemporânea.

“As formas futuras do cristianismo emergirão da profunda crise actual e implicam a mudança do papel da fé na sociedade e das manifestações na cultura contemporânea”, afirmou, citado pela Ecclesia.

“O esforço por compreender a si mesmo e à história é uma componente substancial da história humana. Uma configuração da fé humana pede o exercício de compreensão”, sublinhou o agora delegado do Comité Pontifício para as Ciências Históricas.

O bispo português, que está há uma década no Vaticano, fez notar que contactar com “sucessivas mudanças”, focadas na publicação, convida “a pôr de lado muitos categorias estáticas e a acolher profeticamente a sabedoria de um olhar histórico”.

“Conhecer as mudanças, no itinerário da fé das pessoas, seja nas categorias mentais que orientam as instituições, ajuda a relativizar, a afastar o fanatismo que paralisa numa época, esquecido do dinamismo histórico do cristianismo. As concepções teóricas, rescritas imutáveis, são questionadas pela evolução histórica”, afirmou, sublinhando a importância da historicidade para a vida pastoral.

O novo livro foi apresentado por Paulo Fontes, do Centro Estudos de História Religiosa, da Universidade Católica Portuguesa, que valorizou o “material novo, de contacto directo com as fontes” e que apresenta “uma descrição viva e acutilante do que eram as preocupações dos agentes, de um protagonismo na sua vivacidade”, e que recorda questões atuais.

 

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou novidade

Em que vai, afinal, desembocar o esforço reformador do atual Papa, sobretudo com o processo sinodal que lançou em 2021? Que se pode esperar daquela que já foi considerada a maior auscultação de pessoas alguma vez feita à escala do planeta? – A reflexão de Manuel Pinto, para ler no À Margem desta semana

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados

Inaugurado em Vendas Novas

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados novidade

O apelo foi feito pelo Papa Francisco: utilizar os espaços da Igreja Católica devolutos ou sem uso para respostas humanitárias. Os Salesianos e os Jesuítas em Portugal aceitaram o desafio e, do antigo colégio de uns, nasceu o novo centro de acolhimento de emergência para refugiados de outros. Fica em Vendas Novas, tem capacidade para 120 pessoas, e promete ser amigo das famílias, do ambiente, e da comunidade em que se insere.

Bispos católicos de França apelam à fraternidade e justiça, mas não se demarcam da extrema-direita

Com as eleições no horizonte

Bispos católicos de França apelam à fraternidade e justiça, mas não se demarcam da extrema-direita novidade

O conselho permanente dos bispos da Igreja Católica de França considera, num comunicado divulgado esta quinta-feira, 20 de junho, que o resultado das recentes eleições europeias, que deram a vitória à extrema-direita, “é mais um sintoma de uma sociedade ansiosa, dividida e em sofrimento”. Neste contexto, e em vésperas dos atos eleitorais para a Assembleia Nacional, apresentaram uma oração que deverá ser rezada por todas as comunidades nestes próximos dias.

“Precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança”

Tolentino recebeu Prémio Pessoa

“Precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança” novidade

Na cerimónia em que recebeu o Prémio Pessoa 2023 – que decorreu esta quarta-feira, 19 de junho, na Culturgest, em Lisboa – o cardeal Tolentino Mendonça falou daquela que considera ser “talvez a construção mais extraordinária do nosso tempo”: a “ampliação da esperança de vida”. Mas deixou um alerta: “não basta alongar a esperança de vida, precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança e a deseje fraternamente repartida, acessível a todos, protagonizada por todos”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This