Estados Unidos

Bispo do Texas rejeita publicamente magistério do Papa Francisco

| 14 Mai 2023

O bispo Strickland, do Texas, entrou em rutura com o Papa Francisco. Foto retirada do site da diocese de Tyler.

O bispo Strickland, do Texas, entrou em rutura com o Papa Francisco. Foto reproduzida do site da diocese de Tyler.

 

O bispo da diocese de Tyler, no Texas (EUA), Joseph Strickland, assumiu publicamente que “chegou o tempo de dizer que rejeita o programa do Papa Francisco” porque esse “programa” “está a minar o depósito da fé” (o que a tradição da Igreja Católica ensina).

Strickland comentava nestes termos, na sua conta no Twitter, um video de Patrick Coffin no qual esta figura pública dos media católicos apresentava alegadas razões pelas quais se poderia afirmar que o Papa Francisco usurpou o lugar e seria um anti-Papa. Este é, de resto, o tipo de ideias que meios fundamentalistas católicos alimentam, especialmente nos Estados Unidos da América.

O bispo de Tyler não ia tão longe, reconhecendo que o Papa Francisco é mesmo o Papa, mas que enveredou por um caminho que trai a tradição da Igreja. 

Segundo Mike Lewis, autor de Where Peter is, um blogue considerado pelo seu equilíbrio na cobertura da atualidade católica, este bispo por mais de uma vez tinha dado a entender que perfilhava estas opiniões, mas não ousara afirmar isso publicamente.

Até hoje, este membro do episcopado dos Estados Unidos tem defendido teorias conspirativas sobre o vírus da covid-19 e as vacinas; subscreveu publicamente a pseudoteoria do roubo de votos a Trump na última eleição presidencial e expressou concordância com um vídeo que insultava o Papa, mas não afirmara nada disso em público.

Com a assunção de uma divergência de fundo com o Papa, Strickland “parece ter finalmente cruzado a linha da oposição direta e explícita ao Papa Francisco e a sua autoridade de ensino”, refere o blogger.

Esta posição do responsável eclesiástico terá sido já participada à Nunciatura Apostólica no país, a qual ainda não reagiu.

 

Por um mundo que acolha as pessoas refugiadas

Dia Mundial do Refugiado

Por um mundo que acolha as pessoas refugiadas novidade

Dia 20 de Junho é dia de homenagearmos todos aqueles e aquelas que, através do mundo, se veem obrigados e obrigadas a fugirem do seu lar, a suspenderem a vida e a interromperam os seus sonhos no lugar que é o seu. Este é o dia de homenagearmos a força e a coragem desses homens e mulheres – tantos jovens e crianças, meu Deus! – que arriscam a vida na procura de um lugar que os acolha.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Reunião do Conselho dos Cardeais com o Papa voltou a contar com três mulheres

Uma religiosa e duas leigas

Reunião do Conselho dos Cardeais com o Papa voltou a contar com três mulheres novidade

Pela quarta vez consecutiva, o papel das mulheres na Igreja voltou a estar no centro dos trabalhos do Papa e do seu Conselho de Cardeais – conhecido como C9 -, que se reuniu no Vaticano nos últimos dois dias, 17 e 18 de junho. Tratou-se de uma reflexão não apenas sobre as mulheres, mas com as mulheres, dado que – tal como nas reuniões anteriores – estiveram presentes três elementos femininos naquele que habitualmente era um encontro reservado aos prelados.

Liga Operária Católica apela aos trabalhadores que se sindicalizem

Reunida em Seminário Internacional

Liga Operária Católica apela aos trabalhadores que se sindicalizem novidade

“Precisamos que os sindicatos sejam mais fortes e tenham mais força nas negociações e apelamos a todos os os trabalhadores a unirem-se em volta das suas associações”. A afirmação é dos representantes da Liga Operária Católica/Movimento de Trabalhadores Cristãos (LOC/MTC), que estiveram reunidos no passado fim de semana no Museu da Central do Caldeirão, em Santarém, para o seu Seminário Internacional.

Escravatura e racismo: faces da mesma moeda

Escravatura e racismo: faces da mesma moeda novidade

Nos últimos tempos muito se tem falado e escrito sobre escravatura e racismo no nosso país. Temas que nos tocam e que fazem parte da nossa história os quais não podemos esconder. Não assumir esta dupla realidade, é esconder partes importantes da nossa identidade. Sim, praticámos a escravatura ao longo de muitos séculos, e continuamos a fechar os olhos a situações de exploração de pessoas imigradas, a lembrar tempos de servidão.[Texto de Florentino Beirão]

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This