Pressionado pela Nunciatura

Bispo indiano acusado de violar freira renuncia ao cargo

| 1 Jun 2023

Franco Mulakkal

Bispo Franco Mulakkal: “Renuncio pelo bem da diocese de Jalahandar”

 

O bispo indiano Franco Mulakkal da diocese de Jalahandar, acusado de ter violado e abusado de uma freira ao longo de vários anos, acaba de ver o seu pedido de renúncia ao cargo aceite pelo Papa, de acordo com uma informação esta quinta-feira difundida pela Sala de Imprensa do Vaticano.

O bispo Mulakkal foi acusado de estuprar a ex-superiora geral das Missionárias de Jesus em várias ocasiões, de 2014 a 2016, aquando de visitas que fazia ao convento do instituto em Kerala, e de “abusar de sua posição de poder”. O caso gerou reações de repúdio entre católicos indianos, sobretudo depois de cinco freiras, que residiam com a vítima terem vindo a público, em 2018, pedir justiça.

Por sua vez, o bispo não só negou as acusações como as considerou difamatórias e uma forma de ela se vingar por ele a ter afastado da liderança da congregação, na sequência de indícios de alegado envolvimento dela com um homem casado.

Mulakkal chegou a estar preso três semanas, tendo saído sob fiança e sido absolvido por um tribunal local, em janeiro de 2022. Porém, o tribunal superior da cidade de Kerala viria, posteriormente, a aceitar um recurso dessa absolvição.

Segundo o site católico Asia News, a solicitação da renúncia terá sido feita pela Nunciatura Apostólica (equivalente a embaixada do Vaticano) na Índia, “para o bem da Igreja”, especialmente para o bem da diocese de Jalandhar, que precisa de um novo bispo.

O bispo, de 59 anos, que continuava sem serviço atribuído, depois de ter sido dispensado de funções pelo Vaticano, para responder como acusado, em 2018, declarou, numa mensagem por vídeo: “Renuncio pelo bem da diocese de Jalahandar”. Quer do lado da Nunciatura quer do visado sublinha-se que não se trata de uma medida disciplinar, mas de acautelar “o bem da Igreja”.

Na mensagem divulgada, Mulakkal disse que se tinha encontrado com o Papa em fevereiro deste ano, no Vaticano, acrescentando que tinha, nessa ocasião, informado o pontífice da sua decisão de renunciar ao cargo.

As freiras que denunciaram o bispo sofreram o descrédito e, de certo modo, o abandono da hierarquia da Igreja. A ex-superiora queixou-se de não ter recebido respaldo de responsáveis da Igreja para denunciar os abusos de que se diz vítima e viu-lhe instaurado um processo de expulsão da congregação. O 7MARGENS referiu-se várias vezes (Freira indiana apela ao Vaticano contra a sua expulsão da ordem, Índia: Vaticano rejeita apelo da irmã Lucy Kalappura e Católicos pedem proteção para alegada vítima de violação) ao grupo de freiras e à coragem da denúncia, que demonstraram, num ambiente hostil.

 

Felizes os meninos de mais de 100 países – incluindo Portugal – que participam na Jornada Mundial das Crianças

Este fim de semana, em Roma

Felizes os meninos de mais de 100 países – incluindo Portugal – que participam na Jornada Mundial das Crianças novidade

Foi há pouco mais de cinco meses que, para surpresa de todos, o Papa anunciou a realização da I Jornada Mundial das Crianças. E talvez nem ele imaginasse que, neste curto espaço de tempo, tantos grupos e famílias conseguissem mobilizar-se para participar na iniciativa, que decorre já este fim de semana de 25 e 26 de maio, em Roma. Entre eles, estão alguns portugueses.

Cada diocese em Portugal deveria ter “uma pessoa responsável pela ecologia integral”

Susana Réfega, do Movimento Laudato Si'

Cada diocese em Portugal deveria ter “uma pessoa responsável pela ecologia integral” novidade

A encíclica Laudato Si’ foi “determinante para o compromisso e envolvimento de muitas organizações”, católicas e não só, no cuidado da Casa Comum. Quem o garante é Susana Réfega, portuguesa que desde janeiro deste ano assumiu o cargo de diretora-executiva do Movimento Laudato Si’ a nível internacional. Mas, apesar de esta encíclica ter sido publicada pelo Papa Francisco há precisamente nove anos (a 24 de maio de 2015), “continua a haver muito trabalho por fazer” e até “algumas resistências à sua mensagem”, mesmo dentro da Igreja, alerta a responsável.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Bispo José Ornelas: “Estamos a mudar o paradigma da Igreja”

Terminou a visita “ad limina” dos bispos portugueses

Bispo José Ornelas: “Estamos a mudar o paradigma da Igreja” novidade

“Penso que estamos a mudar o paradigma da Igreja”, disse esta sexta-feira, 24 de maio, o bispo José Ornelas, presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), numa conversa com alguns jornalistas, em plena Praça de S. Pedro, no Vaticano, em comentário ao que tinha acabado de se passar no encontro com o Papa Francisco e às visitas que os bispos lusos fizeram a vários dicastérios da Cúria Romana, no final de uma semana de visita ad limina.

O mundo precisa

O mundo precisa novidade

O mundo precisa, digo eu, de pessoas felizes para que possam dar o melhor de si mesmas aos outros. O mundo precisa de gente grande que não se empoleira em deslumbrados holofotes, mas constrói o próprio mérito na forma como, concretamente, dá e se dá. O mundo precisa de humanos que queiram, com lealdade e algum altruísmo, o bem de cada outro. – A reflexão da psicóloga Margarida Cordo, para ler no 7MARGENS.

“Política americana sobre Gaza está a tornar Israel mais inseguro”

Testemunho de uma judia-americana que abandonou Biden

“Política americana sobre Gaza está a tornar Israel mais inseguro”

Esta é a história-testemunho da jovem Lily Greenberg Call, uma judia americana que exercia funções na Administração Biden que se tornou há escassos dias a primeira figura de nomeação política a demitir-se de funções, em aberta discordância com a política do governo norte-americano relativamente a Gaza. Em declarações à comunicação social, conta como foi o seu processo interior e sublinha como os valores do judaísmo, em que cresceu, foram vitais para a decisão que tomou.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This