Bispos anglicanos avisam contra impacto nos pobres de um “Brexit” sem acordo

| 3 Set 19

Bandeiras da União Europeia, do Reino Unido e de Portugal numa manifestação em março, em Londres, contra o Brexit: os bispos anglicanos avisam sobre o “grande impacto” na vida dos mais pobres. Foto © Tony Neves

 

Um grupo de bispos da Igreja de Inglaterra (Anglicana) adverte para o “grande impacto” que terá nos mais pobres uma saída do Reino Unido da União Europeia sem acordo. O alerta surgiu depois de o primeiro-ministro inglês, Boris Johnson, ter solicitado à Rainha Isabel II a suspensão do Parlamento.

A saída nessas condições pode ter um “custo potencial” para “os menos resistentes às crises económicas”, dizem os mais de vinte bispos anglicanos numa carta aberta em que expõem as suas “preocupações específicas” diante do possível cenário de um “Brexit” sem entendimento com a UE.

Esta advertência surgiu logo depois de o chefe do Executivo britânico ter pedido à rainha que suspenda o Parlamento Britânico entre 10 de setembro e 31 de outubro. Isso impedirá que os deputados que se opõem ao “Brexit” tenham tempo suficiente para discutir, analisar e pôr em marcha legislação necessária para evitar a saída. Isabel II aceitou o pedido do primeiro-ministro de suspender o Parlamento.

“O Governo acredita que abandonar a União Europeia em 31 de Outubro é essencial para restaurar a confiança”, tem justificado Boris Johnson, que nesta segunda-feira, 2 de setembro, reafirmou que o país sairá da UE, com ou sem acordo. “É essencial respeitar o resultado do referendo de 2016, em que ganhou o Brexit”, insiste Johnson.

Os bispos anglicanos avisam, no entanto, citados no Religion Digital: “A soberania do Parlamento não é apenas um termo vazio, baseia-se em instituições que devem ser honradas e respeitadas: a nossa democracia está em perigo devido ao respeito desplicente em relação a elas”.

Artigos relacionados