Garimpo ilegal

Bispos brasileiros denunciam aumento de violência contra os Yanomami

| 6 Mai 2022

garimpo ilegal brasil, foto CIMI

Só no ano passado, o garimpo ilegal avançou 46% em comparação com o ano anterior. Foto © CIMI.

 

O Conselho Indigenista Missionário (Cimi) Regional Norte I, organismo da Conferência Nacional de Bispos do Brasil (CNBB), denunciou o “aumento de violência” contra o povo Yanomami, pedindo “medidas de proteção aos indígenas e ao seu território”, numa nota divulgada esta semana no seu site oficial.

“Mais de 20 mil garimpeiros e pessoas que dão suporte à atividade ilegal circulam nas terras e rios, intimidando, ameaçando, avançando, desmatando, poluindo, contagiando, violentando e matando”, assinala o comunicado.

O organismo recorda que os líderes do povo Yanomami “denunciaram a morte de uma menina de 12 anos”, depois de ter sido violada pelos garimpeiros  que controlam a comunidade Aracaçá, na região de Waikás, “e o desaparecimento de outra criança de três anos, quando a tia das meninas resistiu à violência”.

O Conselho Indigenista Missionário revela que 2021 já tinha sido “extremamente trágico” para o povo Yanomami, principalmente a partir do mês de maio, “com ataques violentos à comunidade Palimiu, na região do rio Uraricoera”. Só no ano passado, o garimpo ilegal avançou 46% em comparação com o ano anterior.

A nota assinala ainda Íque o novo arcebispo da Arquidiocese de Cuiabá, na homilia de despedida de Roraima, no dia 24 de abril, alertou para “a omissão e a responsabilidade do Governo Federal que incentiva as invasões e coloca na pauta do Congresso Nacional o projeto de lei que legaliza a mineração em terras indígenas”.

“Sofrem os povos indígenas, a natureza, os ribeirinhos e as cidades com os rios e os peixes envenenados pelo mercúrio, e sofrem também as pessoas iludidas que buscam no garimpo um modo de escapar das duras condições de vida no Brasil, mas encontram servidão, violência, drogas e morte. Deus nos livre dessa maldição!”, disse o arcebispo Mário Antônio da Silva.

A defesa dos povos indígenas e dos seus direitos às suas terras tem sido objeto de apelos recorrentes por parte dos bispos brasileiros, especialmente desde a assembleia especial do Sínodo dos Bispos na Região Pan-Amazónica, em outubro de 2019.

 

Polícia da moralidade encerrada no Irão

Protestos a produzir efeitos

Polícia da moralidade encerrada no Irão novidade

A ausência de polícia de moralidade nas ruas de Teerão e de outras grandes cidades iranianas nos últimos meses alimentaram a especulação que foi confirmada na noite de sábado pelo Procurador-Geral do Irão, Mohammad Jafar Montazeri, de que a polícia havia sido desmantelada por indicação “do próprio local onde foi estabelecida”.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

Um Deus mergulhado na nossa humanidade

Um Deus mergulhado na nossa humanidade novidade

Diante de uma elite obcecada pelo ritualismo de pureza, da separação entre puros e impuros, esta genealogia revela-nos um Deus que não se inibe de operar no ordinário e profano, que não toma preferência alguma acerca daqueles que se assumem categoricamente como sendo corretos, puros de sangue ou mesmo como pertencentes a determinada etnia ou género.

feitos de terra

feitos de terra

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, Domingo II do Advento A. Hospital de Santa Marta, Lisboa, 3 de Dezembro de 2022.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This