Garimpo ilegal

Bispos brasileiros denunciam aumento de violência contra os Yanomami

| 6 Mai 2022

garimpo ilegal brasil, foto CIMI

Só no ano passado, o garimpo ilegal avançou 46% em comparação com o ano anterior. Foto © CIMI.

 

O Conselho Indigenista Missionário (Cimi) Regional Norte I, organismo da Conferência Nacional de Bispos do Brasil (CNBB), denunciou o “aumento de violência” contra o povo Yanomami, pedindo “medidas de proteção aos indígenas e ao seu território”, numa nota divulgada esta semana no seu site oficial.

“Mais de 20 mil garimpeiros e pessoas que dão suporte à atividade ilegal circulam nas terras e rios, intimidando, ameaçando, avançando, desmatando, poluindo, contagiando, violentando e matando”, assinala o comunicado.

O organismo recorda que os líderes do povo Yanomami “denunciaram a morte de uma menina de 12 anos”, depois de ter sido violada pelos garimpeiros  que controlam a comunidade Aracaçá, na região de Waikás, “e o desaparecimento de outra criança de três anos, quando a tia das meninas resistiu à violência”.

O Conselho Indigenista Missionário revela que 2021 já tinha sido “extremamente trágico” para o povo Yanomami, principalmente a partir do mês de maio, “com ataques violentos à comunidade Palimiu, na região do rio Uraricoera”. Só no ano passado, o garimpo ilegal avançou 46% em comparação com o ano anterior.

A nota assinala ainda Íque o novo arcebispo da Arquidiocese de Cuiabá, na homilia de despedida de Roraima, no dia 24 de abril, alertou para “a omissão e a responsabilidade do Governo Federal que incentiva as invasões e coloca na pauta do Congresso Nacional o projeto de lei que legaliza a mineração em terras indígenas”.

“Sofrem os povos indígenas, a natureza, os ribeirinhos e as cidades com os rios e os peixes envenenados pelo mercúrio, e sofrem também as pessoas iludidas que buscam no garimpo um modo de escapar das duras condições de vida no Brasil, mas encontram servidão, violência, drogas e morte. Deus nos livre dessa maldição!”, disse o arcebispo Mário Antônio da Silva.

A defesa dos povos indígenas e dos seus direitos às suas terras tem sido objeto de apelos recorrentes por parte dos bispos brasileiros, especialmente desde a assembleia especial do Sínodo dos Bispos na Região Pan-Amazónica, em outubro de 2019.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Cruz Vermelha quer levar ajuda urgente às vítimas das cheias no Brasil

Apelo internacional

Cruz Vermelha quer levar ajuda urgente às vítimas das cheias no Brasil novidade

Com o objetivo de “aumentar a assistência humanitária às comunidades afetadas pelas devastadoras inundações no Rio Grande do Sul, no Brasil”, a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV) lançou um “apelo de emergência de cerca de oito milhões de euros”, anunciou a Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), na última quarta-feira, 22 de maio.

A Dignidade da pessoa humana como prioridade

A Dignidade da pessoa humana como prioridade novidade

Na semana depois de Pentecostes é oportuno recordar a publicação da declaração Dignitas Infinita sobre a Dignidade Humana, elaborada durante cinco anos e divulgada pelo Dicastério para a Doutrina da Fé, pondo a tónica na dimensão universal, filosófica e antropológica, do respeito pela pessoa humana enquanto fator de salvaguarda dos direitos humanos, do primado da justiça e do reconhecimento de que todos os seres humanos como livres e iguais em dignidade e direitos.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This