Bispos católicos contra liberalização do aborto na Coreia do Sul e Equador

| 2 Set 2020

manifestacao contra legalizacao aborto mexico, Foto_ Pasos por la Vida

Manifestação contra a legalização do aborto no México: agora, é a vez do Equador e da Coreia do Sul. Foto © Associação Pasos por la Vida

 

As conferências episcopais da Coreia do Sul e do Equador manifestaram publicamente o seu “não” às intenções de descriminalizar a prática do aborto nos respetivos países. Na Coreia do Sul, está em causa “a total abolição das penas para os crimes ligados ao aborto” e no Equador há um novo “Código Orgânico de Saúde”, que, além de liberalizar o aborto, aprova o uso de anticoncecionais por menores sem o consentimento dos pais, ou o recurso a barrigas de aluguer.

“A Igreja pede que leis complexas como estas não possam ser aprovadas por maioria de votos, ignorando os valores universais fundados na dignidade da vida humana”, pode ler-se no comunicado dos bispos coreanos, citado pelo Vatican News. Na nota, os bispos criticam ainda a atitude de alguns meios de comunicação no país, acusando-os de querer “fazer passar como um direito o que é considerado crime”.

Mas enquanto na Coreia do Sul o que existem neste momento são apenas “recomendações” apresentadas pela Comissão para as Políticas de Igualdade de Género (órgão consultivo do Ministério da Justiça) com o objetivo de abolir a regulamentação em vigor, no caso do Equador o novo código de saúde foi já aprovado a 25 de agosto pelo Senado e o poder executivo tem agora um mês para ratificá-lo, avança o Crux.

De acordo com o novo código, se uma mulher se dirigir ao hospital depois de iniciar uma tentativa de interromper a sua gravidez, os médicos são obrigados a finalizar o procedimento.

O código aprova ainda o “uso indiscriminado de anticoncepcionais por menores sem o consentimento dos pais”, permite a mudança de sexo ou género de uma pessoa durante a puberdade, e também o recurso a barrigas de aluguer (embora de forma gratuita e apenas para casos em que a mulher não tenha possibilidade de levar uma gravidez a termo).

Revogar os regulamentos propostos, argumentam os bispos do Equador numa nota divulgada na semana passada, “favoreceria e defenderia a saúde integral das pessoas, o direito à objeção de consciência, a vida humana, e o papel primordial da família na sociedade na educação de seus filhos, conforme contemplado no Constituição.”

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Índia

Carnataca é o décimo Estado a aprovar lei anticonversão

O Estado de Carnataca, no sudoeste da Índia, tornou-se, no passado dia 15 de setembro, o décimo estado daquele país a adotar leis anticonversão no âmbito das quais cristãos e muçulmanos e outras minorias têm sido alvo de duras perseguições, noticiou nesta sexta-feira, 23, o Vatican News, portal de notícias do Vaticano.

Neste sábado, em Lisboa

“Famílias naturais” em convívio contra a ideologia de género

Prometem uma “tarde de convívio e proximidade”, um concerto, diversão e “múltiplas actividades para crianças e adultos: o “Encontro da Família no Parque” decorre esta tarde de sábado, 24 de Setembro, no Parque Eduardo VII (Lisboa), a partir das 15h45, e “pretende demonstrar um apoio incondicional à família natural e pela defesa das crianças”.

Gratuito e universal

Documentário sobre a Laudato Si’ é lançado a 4 de outubro

O filme A Carta (The Letter) será lançado no YouTube Originals no dia 4 de outubro, anunciou, hoje, 21 de setembro, o Movimento Laudato Si’. O documentário relata a história da encíclica Laudato Si’, recolhe depoimentos de vários ativistas do clima e defensores da sustentabilidade do planeta e tem como estrela principal o próprio Papa Francisco.

Promessa cumprida, pacto assinado, e agora… “esperamos por ti em Lisboa”, Papa Francisco

Terminou o encontro em Assis

Promessa cumprida, pacto assinado, e agora… “esperamos por ti em Lisboa”, Papa Francisco novidade

“Espero por vocês em Assis.” Assim terminava a carta que o Papa escreveu aos jovens em maio de 2019, convidando-os a participar na Economia de Francisco. Apesar de uma pandemia o ter obrigado a adiar dois anos este encontro, e ainda que as dores no joelho o tenham impedido de vir pelo seu próprio pé, Francisco cumpriu a sua promessa, como só os verdadeiros amigos sabem fazer. Este sábado, 24, logo pela manhã, chegou à cidade de Assis para se juntar aos mil participantes do encontro A Economia de Francisco. Escutou atentamente os seus testemunhos e preocupações, deu-lhes os conselhos que só um verdadeiro amigo sabe dar, selou com eles um pacto e até reclamou por não terem trazido cachaça (bem sabemos que é próprio dos amigos rabujar e fazer-nos rir). Mas sobretudo provou-lhes que acredita neles e que é com eles que conta para fazer do mundo um lugar melhor.

Agenda

Fale connosco

Autores