Comunicado critica novas regras

Bispos dos EUA exigem a Biden soluções dignas para os migrantes

| 9 Jan 2023

tijuana mexico fronteira eua migrantes foto Simeyla

De acordo com as medidas anunciadas na passada quinta-feira, 5 de janeiro, os EUA passam a recusar a entrada de todos os cubanos, haitianos e nicaraguenses que atravessem ilegalmente a fronteira a partir do México. Foto © Simeyla.

 

Os bispos católicos dos Estados Unidos da América (EUA) manifestaram-se contra as novas medidas que visam conter a migração ilegal para o país, anunciadas na semana passada pelo Presidente Joe Biden. Em comunicado, exigem ao governo que “reverta o seu caminho atual, em favor de soluções humanas que reconheçam a dignidade dada por Deus aos migrantes e forneçam acesso equitativo à imigração e caminhos humanitários”.

A declaração, assinada por Mark Seitz, bispo de El Paso (Texas), presidente do Comité para a Migração da Conferência dos Bispos Católicos dos EUA (USCCB), refere que “é difícil” considerar as novas regras anunciadas por Biden como um “progresso”, quando estas “impedem os que são forçados a fugir da sua terra natal a fazer uso do direito de procurar asilo”.

De acordo com as medidas anunciadas na passada quinta-feira, 5 de janeiro, os EUA passam a recusar a entrada de todos os cubanos, haitianos e nicaraguenses que atravessem ilegalmente a fronteira a partir do México, ampliando assim o plano já existente para reduzir a entrada de migrantes venezuelanos.

O presidente americano pediu aos migrantes que solicitem online as autorizações humanitárias para entrar no país e advertiu que, se atravessarem a fronteira sem autorização, serão expulsos e deixarão de poder beneficiar deste programa.

“O México concordou em permitir o regresso a cada mês de até 30 mil pessoas desses quatro países que tenham sido capturadas e deportadas tentando cruzar a fronteira sul de forma irregular”, disse Biden em declarações à imprensa na Casa Branca, citadas pela agência EFE.

O Presidente norte-americano confirmou que as deportações acontecerão ao abrigo do Título 42, política migratória estabelecida pelo seu antecessor, Donald Trump , no contexto da pandemia, e que o Supremo Tribunal americano ordenou manter durante os próximos meses, pelo menos. “Não gosto do Título 42, mas é o que temos que usar”, comentou, acrescentando que “este procedimento é ordenado, humanitário e funciona”.

Os bispos católicos consideram, no entanto, que “sob essa abordagem, muitos dos mais vulneráveis serão excluídos do socorro e submetidos a circunstâncias perigosas, infringindo as leis americanas e internacionais de refugiados, bem como a doutrina social católica”.

Para Seitz, “este é um afastamento drástico da promessa do governo de criar um sistema de imigração ‘justo, ordeiro e humano’ e apenas exacerbará os desafios em ambos os lados de nossa fronteira”.

 

Corpo de Alexei Navalny já foi entregue à mãe

Nove dias após a sua morte numa prisão russa

Corpo de Alexei Navalny já foi entregue à mãe novidade

O corpo do líder da oposição russa, Alexei Navalny, foi entregue à sua mãe, informou ontem, sábado, Ivan Zhdanov, diretor da Fundação Anti-Corrupção de Navalny e um dos seus principais assessores na sua conta de Telegram. O responsável agradeceu a “todos” os que apelaram às autoridades russas para que devolvessem o corpo de Navalny à sua mãe, citado pela Associated Press.

Bispos católicos belgas vão debater sacerdotes casados e mulheres diáconos

Como preparação para a segunda sessão do Sínodo

Bispos católicos belgas vão debater sacerdotes casados e mulheres diáconos novidade

Os bispos católicos da Bélgica enviaram às dioceses e comunidades locais do seu país uma carta no dia 16 de fevereiro sugerindo a reflexão sobre dois temas ministeriais, a ordenação sacerdotal de homens casados e a instituição de mulheres diaconisas, como forma de preparação dos trabalhos da segunda sessão do Sínodo dos Bispos, que decorrerá em Roma em outubro próximo.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Cristo Cachorro, versão 2024

Cristo Cachorro, versão 2024 novidade

Invejo de morte a paixão que os cartazes da Semana Santa de Sevilha conseguem despertar. Os sevilhanos importam-se com a sua cidade, as festas e com a imagem que o cartaz projecta, se bem que com o seu quê de possessivo, mas bem melhor que a apatia. Não fossem frases como “É absolutamente uma vergonha e uma aberração” e as missas de desagravo e o quadro cartaz deste ano teria passado ao lado.

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia Cáritas

7MARGENS antecipa estudo

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia Cáritas

Ao basear-se em inquéritos junto das famílias, as estatísticas oficiais em Portugal não captam as situações daqueles que não vivem em residências habituais, como as pessoas em situação de sem-abrigo, por exemplo. E é por isso que “subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia a Cáritas Portuguesa na introdução ao seu mais recente estudo, que será apresentado na próxima terça-feira, 27 de fevereiro, na Universidade Católica Portuguesa do Porto.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This