Morreu ex-Presidente das Filipinas

Bispos elogiam contributo de Benigno Aquino Jr. para a democracia

| 25 Jun 2021

Benigno Aquino Jr., ex-presidente das Filipinas, que morreu nesta quinta-feira, 24, em Manila, foi elogiado pelos bispos católicos do país pela “profunda dedicação à democracia, ao bom governo e à dignidade da pessoa humana”.

Aquino foi o 15º presidente das Filipinas, entre 2010 e 2016. Faleceu aos 61 anos, vítima de insuficiência renal causada por diabetes. O funeral está previsto para este sábado, 26.

O presidente da Conferência Episcopal Filipina agradeceu “o respeito mútuo” que existiu entre a administração deste ex-Presidente e a Igreja Católica nas Filipinas, “enraizada na nossa fé inabalável no Deus Trino, e no nosso compromisso comum para a construção de uma sociedade justa e humana, especialmente para os necessitados”, refere a agência Fides.

Aquino descendia de dois ícones da democracia no sudeste asiático: o seu pai, o senador Benigno Simeon “Ninoy” Aquino Jr. (ferrenho adversário do então ditador Ferdinand Marcos), que foi assassinado ao retornar às Filipinas, após o exílio nos Estados Unidos, em 1983. Esse assassinato gerou a onda de indignação que resultou na revolução popular de 1986 e culminou com a fuga do ditador para os Estados Unidos. Foi então que a mãe de Aquino Jr III, Corazon Conjuanco Aquino, foi eleita Presidente e governou o país de 1986 a 1992, destacando-se no fortalecimento do caminho e das instituições democráticas.

O Presidente Rodrigo Duterte anunciou um período de luto nacional até 3 de julho.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Irritações e sol na cara

Irritações e sol na cara novidade

“Todos os dias têm muito para correr mal, sim. Mas pode-se passar pela vida irritado? Apitos e palavras desagradáveis, respirações impacientes, sempre com o “não posso mais” na boca.” – A crónica de Inês Patrício, a partir de Berlim

A cor do racismo

A cor do racismo novidade

O que espero de todos é que nos tornemos cada vez mais gente de bem. O que espero dos que tolamente se afirmam como “portugueses de bem” é que se deem conta do ridículo e da pobreza de espírito que ostentam. E que não se armem em cristãos, porque o Cristianismo está nas antípodas das ideias perigosas que propõem.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This